Copa do Brasil 2015

Sport perde para o Santos por 3×1 e vai à Copa Sul-Americana

Autor: Wladmir Paulino

Sem intensidade e velocidade o Sport cedeu muito espaço ao Santos e perdeu a vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil ao sair derrotado por 3×1 na noite desta quarta-feira (22), na Vila Belmiro. O time rubro-negro entou em campo pensando em avançar na competição nacional, mas como está desclassificado terá que disputar a Copa Sul-Americana, quando deve enfrentar o Bahia.

Além das mudanças obrigatórias – Ferrugem e Ewerton Páscoa nos lugares de Samuel Xavier e Matheus Ferraz, respectivamente – o técnico Eduardo Baptista optou por deixar o volante Wendel no banco e colocar Rodrigo Mancha. Essa mudança provocou uma alteração no posicionamento de Rithely, com mais liberdade para chegar ao ataque. Mesmo assim, o Sport iniciou o jogo desligado e o Santos soube aproveitar muito bem marcando o gol ainda no primeiro minuto. Zeca jogou a bola na área e Gabriel desviou na saída de Danilo Fernandes.

O gol foi cedo, mas depois dele o Sport mostrou os motivos. Não lembrou em nada o time veloz, tanto para defender quanto para atacar, que venceu o São Paulo no último domingo. Essa falta de velocidade cedeu espaços demais ao Santos, que poderia ter ampliado logo em seguida quando Gabriel chutou por cima. O Sport tinha dificuldade pela lentidão, principalmente no lado esquerdo; e falta de coordenação no direito. Élber e Ferrugem, que atuavam juntos pela primeira vez, não conseguiam dar sequência às jogadas.

Nesse ritmo lento, o Santos ampliou num lance duvidoso. Aos 37, Renê tentou um corte de cabeça e a bola caiu nos pés de Ricardo Oliveira, que estava em posição de impedimento. O camisa 9 avançou para a área e cruzou rasteiro para Gabriel concluir cara a cara com Danilo. O Sport conseguiu responder dois minutos depois. Diego Souza, que escorregara anteriormente ao receber um presentão de Werley dentro da área, bateu falta e contou com o desvio nas costas de Marquinhos Gabriel para diminuir o prejuízo: 2×1.

Quem voltou diminuindo o ritmo do jogo foi o Santos, ainda que o resultado de 2×1 não lhe favorecesse. Já o Sport adiantou o meio de campo e passou a trocar mais passes no campo ofensivo. Mas o que o time pernambucano ganhou de bola não traduziu em verticalidade. O Leão rondava a área sem fazer a bola chegar em condições de finalização para ninguém.

O Santos cozinhou o jogo até encontrar o espaço. E encontrou aos 13. Renato lançou Geuvânio entre Páscoa e Durval. Ele esperou a saída de Danilo Fernandes e chutou na saída do goleiro para fazer 3×1. No prejuízo, o time da Ilha mudou. Élber, Marlone e Rithely saíram para entradas de Régis, Samuel e Wendel, respectivamente.

Não houve mais velocidade nem finalização. Régis não rendeu atuando como extremo direito – como não o fez em nenhum momento que atuou nessa posição – e Samuel diminuiu o volume de jogo pelo lado esquerdo. Wendel foi o único a fazer um pouco de diferença. Foi dele a finalização mais perigosa ao chutar raspando a trave direita aos 26 minutos.

Ficha do jogo:

Santos: Vanderlei; Vítor Ferraz, Werley, David Braz e Zeca; Paulo Ricardo, Renato e Marquinhos Gabriel (Elano); Geuvânio, Ricardo Oliveira (Nílson) e Gabriel (Rafael Longuine). Técnico: Dorival Júnior.

Sport: Danilo Fernandes; Ferrugem, Ewerton Páscoa, Durval e Renê; Rithely (Wendel), Rodrigo Mancha e Diego Souza; Élber (Régis), André e Marlone (Samuel). Técnico: Eduardo Baptista.

Local: Vila Belmiro (Santos-SP). Árbitro: Paulo Salmazio (MS). Assistentes: Eduardo da Cruz (MS) e Fabiano Ramires (ES). Gols: Gabriel, a um minuto e aos 37. Diego Souza, aos 39 do primeiro tempo. Geuvânio, aos 13 do segundo. Cartões amarelos: Vanderlei, Vítor Ferraz, Werley, Elano, Ricardo Oliveira, Renê e Ferrugem.

Sport vai em busca das oitavas da Copa do Brasil na Vila Belmiro

No primeiro jogo Renê marcou o gol da vitória do Sport. Foto: Diego Nigro/JC Imagem. – Autor: Wladmir Paulino

Por motivos distintos, Santos e Sport têm o foco maior no Brasileiro, mas ambos dão um tempo para disputar uma vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil na noite desta quarta-feira (22), a partir das 22h, na Vila Belmiro. A vantagem é do time pernambucano, que venceu na Ilha do Retiro por 2×1 e avança com qualquer empate. Se perder por um gol de diferença a partir de 3×2 (4×3, 5×4…) também fica com a vaga. O Santos pode se classificar com um 1×0 ou vitória por dois gols de diferença com os rubro-negros marcando. Se o Peixe devolver o placar do Recife a definição vai para as cobranças de pênaltis.

» Recuperação de Maikon Leite será mais curta

O FOCO É OUTRO
O técnico Eduardo Baptista e o vice-presidente Arnaldo Barros já avisaram: a prioridade do Sport é o Brasileirão. Por conta de uma logística menos complicada, a diretoria optou por tentar avançar na Copa do Brasil em detrimento à Copa Sul-Americana, competição em que na fase internacional requer um esforço maior nos deslocamentos. Já o Santos abre a zona de rebaixamento do Brasileiro com 13 pontos e precisa lutar para evitar o vexame: o Peixe é um dos quatro clubes que nunca disputaram a Série B. Internacional, Flamengo e São Paulo são os outros.

DESFALQUES

Ferrugem será titular do Sport pela primeira vez. Foto: Guga Matos/JC Imagem.

Ferrugem será titular do Sport pela primeira vez. Foto: Guga Matos/JC Imagem.

O Sport só tem dois desfalques, ambos pelo regulamento que não permite a um jogador disputar a Copa do Brasil por duas equipes diferentes. Por isso, o lateral-direito Samuel Xavier e o zagueiro Mateus Ferraz ficam de fora. Ferrugem, que estreou fazendo gol diante do São Paulo, e Ewerton Páscoa são os substitutos.

PALAVRA DO PROFESSOR
O técnico leonino acredita que o momento ruim do adversário na Série A dificulta ainda mais a vida de seu time. “É um time que vem pressionado pelos maus resultados no Brasileirão, ainda mais por estar atuando dentro de casa. Dorival Júnior (técnico santista) chegou recentemente à Vila e vem dando um padrão ao time deles. Temos que tomar cuidado, marcando bem e jogando quando estivermos com a bola nos pés. Precisamos nos impor”.

O ADVERSÁRIO
O cérebro do Santos, o meia Lucas Lima, não enfrenta seu ex-time por cumprir suspensão – terceiro amarelo. Por coincidência ele será substituído por outro jogador com passagem pela Ilha do Retiro: Marquinhos Gabriel. O volante Thiago Maia, machucado, cede o posto a Paulo Ricardo.

Ficha do jogo:

Santos: Vanderlei; Vítor Ferraz, Werley, David Braz e Zeca; Paulo Ricardo, Renato e Marquinhos Gabriel; Geuvânio, Ricardo Oliveira e Gabriel. Técnico: Dorival Júnior.

Sport: Danilo Fernandes; Ferrugem, Ewerton Páscoa, Durval e Renê; Rithely, Wendel e Diego Souza; Marlone, André e Elber. Técnico: Eduardo Baptista.

Local: Vila Belmiro (Santos-SP). Horário: 22h. Árbitro: Paulo Salmazio (MS). Assistentes: Eduardo da Cruz (MS) e Fabiano Ramires (ES).

Copa do Brasil: Náutico encara o reforçado Flamengo para consolidar bom momento

Autor: Wladmir Paulino

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Vindos de situações opostas nas suas respectivas divisões no Brasileiro (B e A), Náutico e Flamengo decidem uma vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil nesta quarta-feira (15), a partir das 22h, na Arena Pernambuco. O timbu já começa o jogo em vantagem. Como arrancou o empate por 1×1 no jogo de ida, no Maracanã, avança na competição com um 0x0 por ter marcado gol fora de casa. Caso o 1×1 se repita, a definição vai para a cobrança de pênaltis. Empate por qualquer placar a partir de 2×2 (3×3, 4×4…) dá Flamengo. Obviamente quem vencer estará classificado.

O time pernambucano vem de vitória sobre o eterno rival Santa Cruz no último sábado. Triunfo conseguido de forma maiúscla, quando tinha um jogador a menos. A classificação seria a manutenção de um bom momento. Já o Flamengo foi atropelado no Rio de Janeiro pelo Corinthians. Saiu de campo derrotado por 3×0 no último domingo e vai precisar da Copa do Brasil para aliviar um pouco a imagem arranhada com a torcida.

DESFALQUES
Apesar da empolgação o Náutico tem desfalques, que, inclusive, continuarão a acontecer caso o time siga na Copa do Brasil. O zagueiro Ronaldo Alves, o volante Gil Mineiro e o meia Hiltinho. Para completar, de última hora, o técnico Lisca soube que não poderá contar com o lateral-esquerdo Gastón Filgueira. Ele cumpre suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Essa informação deixou o comandante timbu bastante irritado.

“Fiquei sabendo por torcedores. Sem comentários. Essa pergunta é para ser feita a quem tem a incumbência de gerenciar isso, que não é minha. As pessoas responsáveis por isso deverão falar. Acho.”

soutto gol

Fillipe Soutto deve aparecer na lateral esquerda.

OPÇÕES
A primeira opção para a lateral seria Piauí, especialista no setor. Como ele não conseguiu se apresentar bem na derrota para o Atlético-GO, pela Série B, a tendência é que o volante Fillipe Soutto seja deslocado para a posição. Na zaga, Diego deve ser o companheiro de Fabiano Eller. Rogerinho fica no meio e Stéfano Yuri pode ser o companheiro de Douglas

O ADVERSÁRIO

Foto:site oficial

Sheik e Guerrero formam o ataque do Flamengo na Arena. Foto:site oficial

O Flamengo que empatou com o Náutico no Rio tem dois reforços de peso para tentar a classificação na Arena Pernambuco. Os atacantes Emerson Sheik e Paolo Guerrero não enfrentaram o Corinthians por questões contratuais mas estão confirmados contra os alvirrubros. Apesar do peso que a dupla tem ninguém na Gávea espera moleza. “O Náutico está longe de ter um time ruim.  Muito pelo contrário. Vem embalado pelo bom trabalho que vem realizando na Série B, que tem um nível de competitividade muito elevado. Mas o Flamengo é um time que cresce nos momentos de adversidade”, afirmou o volante paraguaio Cárceres

Ficha do jogo:

Náutico: Júlio César; Guilherme, Diego, Fabiano Eller e Fillipe Soutto; João Ananias, William Magrao, Marino e Rogerinho; Stéfano Yuri e Douglas. Técnico: Lisca.

Flamengo: César; Luiz Antônio, Marcelo, Wallace e Jorge (Armero); Jonas, Cáceres, Canteros e Éverton; Emerson Sheik e Paolo Guerrero. Técnico: Cristóvão Borges.

Local: Arena Pernambuco. Horário: 22h. Árbitro: Cláudio Francisco Lima e Silva (SE). Assistentes: Luís Carlos Bezerra e Lorival Flores (ambos do RN).

Sob o comando de auxiliares, Fla e Náutico empatam em 1 a 1 no Maracanã

Fonte: Site do Flamengo

O Flamengo empatou com o Náutico no Maracanã nesta quarta-feira (27.05) e agora depende de uma vitória simples em Recife para se classificar. A equipe também pode passar de fase na Copa do Brasil caso empate com dois ou mais gols.O próximo compromisso é o clássico contra o Fluminense no próximo domingo (31.05), pela quarta rodada do Brasileiro. 

O jogo
Buscando a vitória, o Rubro-Negro entrou em campo pressionando o Náutico. Logo aos dois minutos, Arthur Maia tocou para Alecsandro, que quase marcou. Nove minutos depois, Paulinho, na ponta esquerda, dominou e cortou para chutar pelo meio. O gol saiu apenas aos 41. Cáceres cabeceou na trave após cobrança de escanteio e no rebote, Wallace não perdoou: 1 x 0.

No segundo tempo, as equipes voltaram sem alterações. Logo aos dois minutos, Arthur Maia lançou Alecsandro que não conseguiu marcar o segundo gol do time. Cinco minutos depois, Canteros cobrou falta no contrapé de Julio Cesar, mas a bola saiu. O Rubro-negro tinha as melhores ações ofensivas, mas o Náutico empatou aos 30, com Douglas aproveitando lançamento de Marino.

Precisando marcar para sair com a vitória, Jayme colocou Eduardo em campo. Apesar disso, o Rubro-Negro não conseguiu marcar e terminou com o empate.

Sport tem “teste” de Série A contra o Santos na Copa do Brasil

Danilo Fernandes vai substituir Magrão. Foto: Diego Nigro/JC Imagem – Autor: Thiago Wagner

A Copa do Brasil pode até não ser uma das prioridade do Sport a partir de agora, o clube tem que escolher se avança no mata-mata nacional ou se vai para a Sul-Americana, mas não há dúvidas que uma boa apresentação contra o Santos, nesta quarta-feira, às 22h, pela terceira fase da competição, é interessante para os jogadores leoninos sob a ótima do Brasileirão. Por mais que a classificação não venha, os duelos com o Peixe servem de teste para a Série A, onde os rubro-negros começaram muito bem com uma vitória e um empate.

Time mudado

O Sport que joga nesta quarta é um pouco diferente do que empatou com o Flamengo, no último domingo, no Maracanã. Não porque o técnico Eduardo Baptista vai optar por um time misto, mas por conta de alguns problemas que impedem a repetição da escalação. O principal deles é obviamente o goleiro Magrão, que desfalcará o Leão entre 45 e 60 dias. Além do arqueiro, Samuel Xavier e Matheus Ferraz também não podem jogar já que atuaram na Copa do Brasil por outros clubes, enquanto que Samuel, com lesão na coxa, está vetado pelo departamento médico. Vitor, Ewerton Páscoa e Joelinton vão entrar no lugar dos dois respectivamente. Outro que podem ficar de fora é Élber, que não treinou nesta terça. Caso não jogue Neto Moura será acionado.

O cara – Diego Souza

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Ele é a principal esperança do Leão não só para esse jogo como para todos. Diferenciado tecnicamente, o camisa 87 pode decidir qualquer partida com um passe ou gol. Para melhorar ainda mais a situação para os rubro-negros, Diego parece estar muito mais concentrado no Sport do que antes. Motivado, é muito mais perigoso.

Fique de olho – Danilo Fernandes

Por conta da lesão de Magrão, Danilo Fernandes será acionado para o gol da equipe. Ele já atuou em cinco jogos nesta temporada. Mesmo assim vale ficar de olho em como ele irá se comportar substituindo o ídolo rubro-negro.

Reencontro de Lucas Lima com a Ilha

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

O Santos vem com força máxima para enfrentar o Sport. Isso significa que o meia Luca Lima está confirmado no confronto. Será o reencontro dele com a Ilha do Retiro. O jogador atuou pelo Leão em 2013, quando obteve o acesso para a primeira divisão. Além dele, nomes como Robinho e Ricardo Oliveira irão atuar.

FICHA DA PARTIDA – SPORT X SANTOS

Sport: Danilo Fernandes; Vitor, Ewerton Páscoa, Durval e Renê; Rithely, Wendel, Neto Moura (Élber) e Diego Souza; Mike e Joelinton. Técnico: Eduardo Baptista.

Santos: Vladimir; Victor Ferraz, Werley, David Braz e Chiquinho; Valencia, Renato e Lucas Lima; Geuvânio, Ricardo Oliveira e Robinho. Técnico: Marcelo Fernandes

Copa do Brasil (3ª fase). Estádio: Ilha do Retiro, Recife (PE). Horário: quarta-feira, às 22h. Árbitro: Claudio Francisco Lima E Silva – SE. Auxiliares: Victor Oliveira Cruz – SE e Eric Nunes Costa – SE.

Sport abusa dos erros e perde para a Chapecoense por 2×0

Foto: Rodrigo Goulart/Diário do Iguaçu – Autor: Wladmir Paulino

Num jogo em que os erros golearam os acertos, o Sport estreou com derrota na segunda fase do Brasil ao cair por 2×0 diante da Chapecoense na noite desta quarta-feira (6), na Arena Condá, em Chapecó (SC). Com o resultado, os leoninos precisam vencer por três gols de diferença na próxima semana, na Ilha do Retiro, para avançar à terceira fase. Qualquer empate ou vitória rubro-negra por dois gols de vantagem com a Chapecoense marcando (3×1, 4×2, etc.) dá a vaga aos catarinenses.

Mais do que complicar a vida do time na competição, o jogo deixou uma perspectiva ruim para o início do Campeonato Brasileiro. No próximo domingo, o time de Eduardo Baptista encara o Figueirense, na Ilha.

Com a clara estratégia do contra-atraque, o Sport teve muita dificuldade para levar a teoria à prática. Claro que surgiram oportunidades, mas o setor de criação pernambucano tinha imensa dificuldade em trabalhar a bola. Tanto que não chegava nem a ameaçar finalizar, pois os erros de passes surgiam já no nascedouro das jogadas. Quando conseguiu acertar uma sequência de quatro passes seguidos o cronômetro já marcava 30 minutos do primeiro tempo. Oswaldo encontrou Samuel na linha da pequena área mas ao dominar no peito o atacante não conseguiu completar com o chute.

O time sentiu a ausência de alguém no corredor central que organizasse a transição ofensiva. Wendell tentou fazer esse papel e errou mais que acertou. Élber, meia de origem, estava deslocado pelo lado esquerdo. Já a Chapecoense explorava o jogo pelas duas laterais, dando muito trabalho a Renê e Oswaldo. Mas fazer a bola chegar aos atacantes também foi difícil. Na melhor delas, Bruno Rangel recebeu da esquerda e aproveitou que Páscoa não cortou para chutar no lado externo da rede.

Na volta para o segundo tempo, o técnico Vinícius Eutrópio tentou dar um pouco mais de qualidade com a entrada de Maranhão no lugar de William Barbio, que tinha dificuldade até para dominar a bola. Aos dez minutos, Samuel não aguentou uma pancada na coxa sofrida no primeiro tempo e deixou o campo para entrada de Régis. O problema é que, mais uma vez, o camisa 10 atuou deslocado da posição em que chamou a atenção do próprio Sport. Ele ocupou a faixa lateral direita, a mesma que Samuel estava, no momento em que a maior carência leonina era na região central do campo.

O jogo caminhava no mesmo ritmo quase parando do primeiro tempo quando o time da casa aproveitou um erro na saída de bola de Renê. Camilo rolou para Hyoran, que entrava pelo lado direito da área. Ele chutou rasteiro, no canto direito de Magrão. O detalhe é que essa foi a primeira finalização da Chapecoense em direção ao gol.

E a segunda também foi letal para os rubro-negros. Em outra saída de bola errada, Bruno Rangel lançou Maranhão na hora que a defesa do Sport saía. Magrão tentou fechar o ângulo mas Maranhão teve a tranquilidade para tirar do goleiro e ampliar.

SEM CRIATIVIDADE
Trocas de passes em progressão? Velocidade? Nada disso. Os dois times sofreram muito com falta de qualidade para jogar com os pés. O Sport até tentou mas errou demais. A Chapecoense nem isso. Apelou mesmo para o jogo áreo. Mesmo quando saía de seu campo de defesa era apelando para a bola longa.

MAGOADA
Aos dez minutos do segundo tempo Régis apareceu na lateral do campo para entrar no lugar de Samuel. O estádio inteiro vaiou. Resultado da troca feita pelo jogador no Brasileiro do ano passado, quando deixou a Chapecoense para assinar contrato com o Sport.

Ficha do jogo:

Chapecoense: Danilo; Apodi, Rafael Lima, Vilson e Dener; Elicarlos, Gil, Maylson (Hyoran) e Camilo (Wanderson); William Barbio (Maranhão) e Bruno Rangel. Técnico: Vinícius Eutrópio.

Sport: Magrão; Oswaldo, Ewerton Páscoa, Durval e Renê; Rithely, Rodrigo Mancha, Wendell (Mike) e Élber; Samuel (Régis) e Joelinton. Técnico: Eduardo Baptista.

Local: Arena Condá, em Chapecó (SC). Árbitro: Igor Benevenuto (MG). Assistentes: Márcio Santiago e Marcus Vinícius Gomes (ambos de MG). Gols: Hyoran, aos 29; Maranhão, aos 34 do segundo. Cartões amarelos: Vílson, Régis, Maranhão, Ewerton Páscoa, Joelinton, Rodrigo Mancha e Oswaldo.

Náutico quer avançar na Copa do Brasil para não ampliar crise

Lisca tem o time definido. Foto: Diego Nigro/JC Imagem – Autor: Thiago Wagner

A vitória e a classificação para a próxima fase da Copa do Brasil com certeza não vão fazer com que o torcedor do Náutico esqueça as eliminações no Nordestão e no Pernambucano. No entanto, o Timbu precisa da vaga na segunda etapa do mata-mata nacional para não afundar ainda mais na crise. Por isso, é importante uma boa apresentação contra o Brasília, nesta quarta-feira, às 22h, na Arena Pernambuco.

O lado bom é a vida do Timbu está um pouco mais “fácil” nesse jogo de volta. Como venceu por 1×0 no primeiro confronto, os alvirrubros podem até empatar que garantem a vaga. Mas é lógico que o técnico Lisca quer garantir a classificação com uma vitória.

Timbu sem obrigação de vencer segundo Lisca

Apesar da boa vantagem, o comandante alvirrubro não fala em favoritismo ou em obrigação de vencer. Segundo ele, o mais importante é fazer uma boa apresentação. “Temos que fazer o máximo. É um adversário qualificado e temos que respeitar. Falar em obrigação de vencer é até falta de respeito”, disse o treinador.

Lisca também não quis saber de esconder o jogo e já definiu o time da partida de amanhã. A novidade é a presença do volante Marino, que mal chegou e já vai para o jogo. Eis o time: Júlio César; Guilherme, Niel, Diego e Gastón; João Ananias, Marino, Bruno Alves, Patrick Vieira; Renato e Yuri.

O cara – Patrick Vieira

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

De fora dos últimos jogos do Náutico, Patrick Vieira é visto como a esperança do Timbu em dias melhores na criação do time. Apostando nisso, Lisca o escolheu para o time titular. A expectativa é que com ele em campo o Timbu cresça na parte ofensiva.

Fique de olho – Marino

Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

O volante nem esquentou no clima do Recife e já vai vestir a camisa alvirrubra como titular. Além disso, chega com muita moral junto a Lisca, que enxerga em Marino uma peça que pode dar equilíbrio ao time. Resta conferir no gramado agora.

FICHA DO JOGO – NÁUTICO X BRASÍLIA

Náutico: Júlio César; Guilherme, Niel, Diego e Gastón; João Ananias, Marino, Bruno Alves, Patrick Vieira; Renato e Yuri. Técnico: Lisca.

Brasília: Arthur; Paulo Ricardo, Índio, André e Makeka; Pedro Ayub, Héverton, William e Werick; Giba e Bruno Moraes. Técnico: Luiz Carlos Souza.

Copa do Brasil (1ª rodada). Local: Arena Pernambuco, São Lourenço da Mata (PE). Horário: quarta-feira, às 22h. Árbitro: Renan Roberto de Souza (PB). Auxiliares: Nailton Junior de Sousa Oliveira (CE) e Kildenn Tadeu Morais de Lucena (PB).