Copa do Nordeste 2016

Santa Cruz sem margem de erro para encarar o Bahia

Foto: André Nery/JC Imagem. – Autor: Wladmir Paulino

O Santa Cruz terá uma grande prova de fogo nesta quarta-feira (13), quando abre uma das semifinais da Copa do Nordeste, diante do Bahia, no Arruda. Depois de passar pelo Ceará com duas vitórias, o Tricolor encara seu maior algoz na competição regional. Os dois estavam no mesmo grupo e o Tricolor de Aço venceu nas duas oportunidades, ambas por 1×0. A partida começa às 21h45.

O técnico Milton Mendes repete uma escalação pela primeira vez. Assim, está mantido o 4-2-3-1 do clássico com o Sport. Porém, mais do que nomes e sistemas, o técnico ressalta a importância de deixar tudo em campo. Nem precisa ser um primor de técnica. Mas a entrega tem que ser total. “Ninguém é obrigado a jogar bem. Eles são obrigados a dedicar-se e a lutar muito, dar o sangue. Não admito ninguém dar mais ou menos”, enfatizou.

TÁTICA
Esse é aspecto comportamental. O componente de campo termina sendo uma extensão do que ele prega, já que exige a participação ofensiva da defesa e defensiva do ataque. Milton refuta a ideia de responsabilidades específicas por setor, inclusive usando uma palavra, hoje, muito em moda no futebol brasileiro: compactação.

“Para mim a defesa começa no ataque e o ataque começa na defesa. Futebol é um todo, não dá para separar. Para nossa compactação, os atacantes ajudam na defesa. O futebol que defendo é o total: a defesa aparece na cara do gol e o atacante ajuda a defesa. É ocupação de espaço, mas feita com ordem”, contou.

SEM ERROS
O caráter decisivo da partida fez o técnico tocar em outro ponto. Os erros. Ou a ausência deles. Ainda invicto no comando do Santa – dois empates e uma vitória – ele acredita que essa escrita tem que ser mantida para o bem de todos. “Perdeu lá atrás quando podia. Agora não pode, estamos no momento que não podemos e isso talvez seja o foco. Não sei se é muito importante o que já passou. Eu já disse uma fez que excesso de passado é depressão e excesso de futuro é ansiedade”.

ADVERSÁRIO

brocador_bahia_770

O técnico Doriva não tem grandes problemas para montar a equipe. O grande destaque do time é o atacante Hernane Brocador, que voltou recentemente. O técnico não tem problemas físicos entre os titulares.

INGRESSOS
A diretoria coral manteve a promoção de ingressos até esta quarta-feira.  O bilhete inteiro custa R$ 25. Sócio para R$15 e quem apresentar dez apostas do concurso 865 da Timemania ganha um bilhete.

Ficha do jogo:

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Vítor, Danny Morais, Neris e Allan Vieira; uilian Correia, João Paulo e Lelê; Arthur, Grafite e Keno. Técnico: Milton Mendes.

Bahia: Marcelo Lomba; Hayner, Lucas Fonseca, Éder e João Paulo Gomes; Feijão, Danilo Pires e Juninho; Thiago Ribeiro, Edigar Junio e Hernane. Técnico: Doriva.

Local: Arruda. Horário: 21h45. Árbitro: Claudio Francisco Lima E Silva (SE). Assistentes: Rodrigoo Guimarães Pereira e Eric Nunes Costa, ambos de Sergipe.

Santa enfrenta Confiança em busca da confiança perdida

Autor: Alvaro Filho

 

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Após bater na trave – e por duas vezes – na estreia na Copa do Nordeste, o Santa Cruz quer provar que a derrota para o Bahia foi um mero acidente de percurso. Nesta quarta (17), no Batistão, em Sergipe, o Tricolor busca inspiração no sugestivo nome do adversário, o Confiança, para recuperar justamente um poderoso aliado, a confiança, após um início de temporada irregular.

A partida pela segunda rodada do Grupo C do Nordestão será às 21h30 (do Recife). Antes, o Bahia recebe o Juazeirense, às 19h, na Fonte Nova. O Tricolor da Boa Terra lidera a chave, com três pontos, seguido dos conterrâneos de Juazeiro e dos sergipanos, que somam um, enquanto os pernambucanos seguram temporariamente a lanterna, ainda sem pontuar.

Com Grafite recuperado do choque que abriu a testa do atacante o custou seis pontos de sutura, o Santa Cruz deve ter em campo o mesmo time que pressionou o Bahia em busca da vitória, com direito a duas bolas na trave e um pênalti não marcado. Nem a defesa, considerada o calcanhar de Aquiles tricolor, será alterada, mantendo a formação com Alemão e Danny Morais.

Grafite, Santa

Falando em Grafite, o jogador mantém o discurso otimista dos demais jogadores do Santa, de que apesar do começo com atuações irregulares, o time está se reencontrando e voltando a ter as qualidades da elogiosa campanha do acesso. “Apesar da derrota para o Bahia de outros resultados, como o empate contra o salgueiro, estamos voltando a jogar bem e com um pouco mais de tempo iremos recuperar o futebol do ano passado”, disse o atacante.

Apesar de atuar em outro setor, Grafite não exime o ataque da função de ajudar a defesa na marcação. “Marcelo Martelotte sempre coloca para a gente que a marcação começa lá na frente e se a gente não estiver disposto a ajudar, a zaga ficará vulnerável”, disse o atacante.

 

FICHA DO JOGO

 

Confiança

Rafael Sandes; Ney Maruim, Lucas Rocha, Eron e Izaldo, Wallace Sergipano, Everton, Flávio e Wallace Pernambucano; Caíque e Leandro Kível. Técnico: Betinho.

Local: Batistão (Aracaju). Horário: 21h30 (do Recife).  Árbitro: Clizaldo França (PB). Assistentes: Luis Filipe Gonçalves e Oberto da Silva Santos (ambos da PB)

Sport busca liderança no Nordestão, mas também evolução

Lenis volta ao time. Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

O Sport ainda não fez nenhuma apresentação digna de encher os olhos na temporada e provavelmente não vai conseguir fazer isso nesta quarta-feira, às 21h30, na Ilha do Retiro, contra o Fortaleza, pelo Nordestão. É até natural que o Leão não faça grandes apresentações por ser começo de temporada. No entanto, o torcedor espera ver, além da vitória, algum tipo de evolução do time em relação aos últimos jogos. Logo, não é só vencer por vencer, é vencer e mostrar alguma perspectiva para a torcida. Lembrando que em caso de vitória, os rubro-negros irão para a liderança do Grupo D da competição – atualmente os dois times dividem a ponta com três pontos.

Lenis volta

O técnico Falcão poderá contar com o meia-atacante Reinaldo Lenis nesta partida. O jogador se recuperou de mialgia na coxa direita e vai para o jogo no lugar de Luiz Antônio. Ele, porém, será a única novidade no time titular. O restante da equipe será a mesma que encarou o Botafogo-PB no último domingo. O que significa dizer que Mark González continua de fora. O chileno ainda se recupera de edema na coxa esquerda.

Túlio de Melo quer mostrar serviço

Se existe alguém que vai querer mostrar serviço esse alguém é Túlio de Melo. Não que ele esteja tão abaixo dos seus companheiros de time, mas é que agora ele tem a concorrência de Johnathan Goiano, que vai ficar no banco de reservas. Se for mal, Falcão possivelmente vai acionar o “CR7 da Ilha”. Logo, é bom o camisa 99 dar mais cambalhotas.

Técnico do Fortaleza ligado no jogo

O treinador do Fortaleza, Flávio Araújo, demonstra conhecer bem o adversário. Em entrevista no Ceará, o técnico descreveu bem o rubro-negro. Segundo ele, os tricolores terão que marcar forte para vencer. “Nosso time tem que ter personalidade. Temos que marcar e jogar, buscar nos impor na qualidade técnica, não podemos ficar só atrás. Temos que fazer um jogo com inteligência e personalidade para surpreender e superar o adversário”, disse.

FICHA DA PARTIDA – SPORT X FORTALEZA

Sport: Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Durval e Renê; Rithely, Serginho e Luiz Antônio; Éverton Felipe, Leni e Túlio de Melo. Técnico: Falcão.

Fortaleza: Erivelton; Moacir, Edimar (Leonardo), Max Oliveira (Lima) e Jean Mota; Corrêa, Juliano, Dudu Cearense e Éverton; Eduardo e Anselmo. Técnico: Flávio Araújo.

Nordestão. Local: Ilha do Retiro, Recife (PE). Horário: Quarta-feira, às 21h30. Árbitro: Leandro Saraiva Dantas de Oliveira (RN). Auxiliares: Rondinelle dos Santos Tavares e Esdras Mariano de Lima Albuquerque (ambos de Alagoas).

Para fazer valer alcunha de Terror do Nordeste, Santa Cruz inicia Nordestão diante do Bahia

 Brenno Costa /Diario de Pernambuco

Santa Cruz inicia Nordestão diante do Bahia, no Arruda, a partir das 16h (do Recife) deste domingo

Está escrito na composição do tricolor Capiba, lançada em 1957. Nos versos da música do Mais Querido, o Santa Cruz é taxado como o Terror do Nordeste. Alcunha que a torcida carrega com orgulho até hoje. Mas, no atual contexto, o apelido precisa de uma taça para ganhar ainda mais força. No torneio regional que inicia mais um capítulo neste fim de semana, o time coral sequer chegou em uma decisão em nove disputas. A chance de reverter o quadro começa a partir das 16h (horário do Recife) deste domingo. De cara, um duelo de peso. No Arruda, encara o Bahia para fazer valer a escrita dos versos entoados pela arquibancada.

Os números atestam, de fato, uma dificuldade histórica do Santa Cruz na Copa do Nordeste. São apenas duas semifinais no currículo. Uma em 2002 quando encarou o Vitória. Outra em 2014 com duas derrotas para o Sport em mais uma despedida indesejada. Neste ano, a tentativa de mudar essa sina pode vir na própria alcunha descrita na canção favorita dos corais.

Diario de Pernambuco/Arquivo
Diario de Pernambuco reporta a conquista do Santa Cruz no torneio Pernambuco/Bahia em 1956

 

As palavras de Capiba autointitulam o Santa como Terror do Nordeste em um contexto diferente. Na época, a dificuldade em viajar tornava os torneios fora do estado algo difícil. Mas, neste período, o Tricolor já tinha conseguido algumas façanhas. Foi o primeiro time do Brasil a vencer a Seleção, em 1934. Depois, apenas Atlético Mineiro (1969) e Flamengo (1976) conseguiram o feito.

Além disso, também foi o vencedor do torneio Pernambuco/Bahia, de 1956, superando rivais como Náutico, Sport, Bahia e Vitória. Outro ponto ainda mais distante no passado foi a histórica vitória sobre o Botafogo, de 1919, que tornou o time coral o primeiro nordestino a bater uma equipe do Sudeste. No gramado, as vitórias do passado inspiram um novo futuro. Podem, inclusive, trazer o título que falta ao Santa Cruz para marcar ainda mais o ressurgimento do clube.

Frase

“É um jogo novo, com times em estágio de início de temporada. A gente espera estar em uma evolução maior para ter uma apresentação melhor e buscar uma vitória, que é importante numa estreia”, afirmou o técnico Marcelo Martelotte.

Ficha do jogo

Santa Cruz
Tiago Cardoso; Lucas Ramon (Vitor), Alemão, Neris (Danny Morais) e Allan Vieira; Wellington Cézar, Dedé (Daniel Costa), João Paulo, Lelê e Raniel (Wallyson); Grafite. Técnico: Marcelo Martelotte

Bahia
Marcelo Lomba; Hayner, Éder, Gustavo e João Paulo; Paulo Roberto, Danilo Pires, Juninho e Zé Roberto; Luisinho e Hernane Brocador. Técnico: Doriva

Local: estádio do Arruda (Recife). Horário: 16h (do Recife). Árbitro: Charles Hebert Cavalcante Ferreria (AL).Assistentes: Esdras Mariano de Lima Albuquerque e Maxwell Rocha da Silva (ambos de AL). Ingressos: R$ 40 (arquibancada inferior), R$ 20 (meia-entrada e sócio) e R$ 15 ou 5 Timemanias + R$ 5 (arquibancada superior).

Sport quer começar Nordestão melhor do que Estadual

Leão encara o Botafogo-PB fora de casa. Foto: Diego Nigro/JC Imagem  Autor: Thiago Wagner

O Sport pode ainda não estar no melhor momento técnico e físico, mas vai ter que superar essas dificuldades de uma equipe em montagem para bater o Botafogo-PB, neste domingo, às 16h, no Almeidão, e começar no Nordestão melhor do que iniciou o Pernambucano. A tarefa não é fácil principalmente por conta da falta de entrosamento, mas é o tipo de coisa de vencer a todo custo, mesmo que jogando um pouco abaixo do esperado.

 

Time sem Mark González

O técnico Paulo Roberto Falcão tem um problema para essa partida. O meia-atacante Mark González não se recuperou de edema na coxa esquerda e está vetado. Em seu lugar permanece Luiz Antônio, já acionado no meio de semana contra o Central. Sendo assim, o time é o mesmo que bateu a Patativa pelo Estadual.

time-sport

Vitória pode motivar

Algo que pode deixar o Sport mais motivado é o fato de ter vencido a primeira na temporada – bateu o Central por 2×1. Isso pode fazer o Leão ficar mais confiante para estrear no Nordestão. Claro que isso é um aspecto que serve muito mais para a parte psicológica do que a técnica. Futebol ainda é decidido dentro de campo.

Boas memórias

Para o torcedor mais supersticioso, vale a lembrança que a última vez que o Sport e Botafogo-PB caíram no mesmo grupo o Leão foi campeão da competição. Foi em 2014. O primeiro duelo foi empate em 1×1, em João Pessoa, enquanto que a volta foi 1×0, na Ilha do Retiro.

FICHA DA PARTIDA – BOTAFOGO-PB x SPORT

Botafogo-PB: Michel Alves; Angelo, Plínio, Magno Alves e Zeca; Gedeil, Val e Janeudo; Carlinhos (Dijavan), Muller e Jó Boy. Técnico: Itamar Schülle.

Sport: Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Durval e Renê; Rithely, Serginho, Luiz Antônio, Éverton Felipe e Lenis; Túlio de Melo. Técnico: Falcão.

Pernambucano 2016. Local: Almeidão, João Pessoa (PB). Horário: Domingo, às 16h. Árbitro: Caio Max Augusto (RN). Auxiliares: Vinícius Melo e Jean Márcio (ambos do RN).