Coruripe 1×0 Sport

Sport erra demais e perde para o Coruripe por 1×0

Por Wladmir Paulino

Com quantidade excessiva de passes errados o Sport interrompeu a ascensão na temporada ao perder para o Coruripe nesta quarta-feira (11), no Gerson Amaral, pela quinta rodada do Grupo B da Copa do Nordeste. O resultado não tirou a segunda posição do Leão, que vai ter que torcer para o Sampaio Corrêa perder novamente seis pontos nesta quinta-feira (12), quando os maranhenses forem julgados no STJD pela escalação de um jogador irregular – atualmente tem 11. Já o Coruripe ganhou novo fôlego por chegar aos seis pontos, apenas um atrás dos pernambucanos.

O Sport tentou repetir a conduta adotada contra Socrrense e Serra Talhada, este último pelo Campeonato Pernambucano: marcar forte no campo adversário e construir a vantagem no primeiro tempo. Até que conseguiu cumprir o primeiro item. O segundo comprometeu-se por uma certa dose de impaciência dos pernambucanos e outra de leitura de jogo. Os zagueiros e volantes tentavam a bola longa repetidamente em detrimento a um toque de bola mais vertical. E com o jogo quase exclusivo pelo lado esquerdo, Diego Souza poderia ter caído mais no setor, até porque Elber, que lá estava, pouco produziu.

Ao Coruripe restou encontrar alguma brecha em contra-ataques e foi da equipe da casa a melhor oportunidade. George escapou da esquerda cruzou para o meio da área aos 21 e Casagrande conseguiu dominar e girar na frente de Durval. O chute passou raspando a trave esquerda, com Magrão apenas torcendo para não entrar. O Sport havia chegado perto aos três minutos num cruzamento de Renê que Felipe Azevedo esticou-se para concluir em cima de Carlos. Depois disso, o time da Ilha sempre rondou o gol adversário mas sem concluir com grande perigo. Aos 30, Carlos desviou de leve uma bola que Diego Souza iria pegar em cheio.

A falta de criatividade leonina no primeiro tempo não serviu de exemplo para a etapa final. Para piorar, o técnico Jaelson Marcelino viu que se deixasse Renê livre iria passar por apuros e mexeu no setor ofensivo. Tirou Casagrande, atacante de referência para colocar Kaká jogar pelo lado esquerdo defensivo do Sport. O cuidado defensivo do lateral acabou com melhor válvula de escape. A partida ficou equilibrada e sem grandes oportunidades de gol até George cobrar uma falta pelo lado direit aos 17 minutos. Williames José foi mais esperto e cabeceou para baixo, cara a cara com Magrão: 1×0.

Com Renê preocupado em defender soubrou o lado direito para atacar. E o time rubro-negro até foi por lá mas cansou de errar passes e cruzamentos, fosse com Vítor, Felipe Azevedo ou Régis, que entrou no lugar de Mike e prendeu a bola demais. Joelinton também ganhou uma oportunidade no posto de Elber mas entrou na dança dos erros. O Coruripe explorou apenas os contra-ataques mas não chegou a criar chances claras de ampliar a vitória.

Só na morosidade
O árbitro Arilson Bispo da Anunciação permitia uma eternidade para simples cobranças de falta. Numa delas, o Sport demorou um minuto e meio para jogar a bola na área do Coruripe.

Buzina infernal
Uma imensa buzina foi a maior atração na arquibancada do Gerson Amaral. Durante todo primeiro tempo infernizou o banco rubro-negro e atrapalhou até os jogadores em campo, que mal ouviam o apito do árbitro. No intervalo, a Polícia mandou o dono acabar com a festa.

O melhor
O lateral-esquerdo Renê foi eficiente na defesa e no ataque. No primeiro tempo teve espaço e tornou-se o principal articulador ofensivo sem deixar a defesa descoberta. No segundo precisou ser mais marcador pela mudança tática do Coruripe.

O pior
Do jogador que iniciou a temporada marcando gols pouco se vê hoje em dia. No jogo desta quarta foi figura quase nula. Pouco apresentou-se e terminou substituído aos 14 minutos do segundo tempo.

Ficha do jogo:

Sport: Magrão; Vítor, Durval, Ewerton Páscoa e Renê; Rithely, Rodrigo Mancha (Wendell) e Diego Souza; Élber (Joelinton), Mike (Régis) e Felipe Azevedo. Técnico: Eduardo Baptista.

Coruripe: Carlos; Luiz Mário, Jair, Williames José e George (Antônio Carlos); Leo Maceió, Mazinho, Aurélio (João Paulo) e Tiago Lima; Ivan e Casagrande (Kaká). Técnico: Jaelson Marcelino.

Local: Estádio Gerson Amaral, em Coruripe. Árbitro: Arilson da Anunciação (BA). Assistentes: Kildenn Tadeu e Márcio Freire (ambos da PB). Gol: Williames José, aos 17 do segundo. Cartões amarelos: George, João Paulo e Rithely.