CSA-AL

Em clima de decisão, Santa Cruz encara o CSA-AL no Rei Pelé

Tiago Cardoso é o trunfo do sistema defensivo do Santa Cruz para a partida contra o CSA

Uma decisão em apenas 30 dias de temporada certamente não era o que o Santa Cruz desejava para este início de temporada. Mas, as circustâncias fizeram com que o time coral, tivesse que enfrentar um duelo decisivo antes do prazo esperado e vai para o jogo contra o CSA-AL, nesta quinta-feira, às19h15, no estádio Rei Pelé, pela quarta rodada do Grupo B da Copa do Nordeste, tratando como a primeira final do ano.

“É uma final, o de sábado também era, perdemos, e agora temos que buscar esses pontos fora de casa. É uma situação delicada mas não é desesperadora, temos condições de ir lá e trazer a vitória”, afirmou o técnico Vica.

Tudo bem que a Copa do Nordeste é uma competição de tiro curto e que logo mais os jogos decisivos iriam aparecer. O que os comandados de Vica não esperavam, é que ela viria já na quarta rodada da competição.

Tudo isso por conta do revés sofrido no último sábado, diante do mesmo CSA-AL, o que fez com que a equipe azul disparasse na tabela assumindo a liderança isolada do grupo com  sete pontos. Agora, além de não deixar o time se desgarrar ainda mais na ponta da tabela, o Santa precisa tomar cuidado com o Bahia, terceiro colocado, mas com os mesmos quatro pontos do tricolor do Arruda.

“Precisamos vencer porque também tem o Bahia atrás e para não deixar o CSA-AL disparar.Achávamos que iríamos sair com a vitória no sábado mas perdemos. Agora é o momento de se superar e vencer uma equipe que está maios preparadas do que a nossa”, afirmou Raul.

Para tentar devolver a derrota sofrida no Lacerdão, o Santa Cruz viajou para Maceió pregando muito respeito ao adversário, e reservando alguns “mistérios” para tentar surpreender o azulão. “É uma equipe muito boa, marca muito forte, mas temos uma maneira de jogar e vamos tentar impor o nosso ritmo. Vamos jogar em Maceió do mesmo jeito que estamos jogando, sempre em busca da vitória”, garantiu o zagueiro Renan Fonseca.

Já o mistério, é guardado pelo técnico Vica, que disse estar escondendo o jogo, para tentar atrapalhar os planos do time alagoano. “Só vou definir a equipe momentos antes do jogo. Posso adiantar que a minha única dúvida é entre Cassiano e o Caça-Rato, que na verdade não é uma dúvida, eu já sei quem vai jogar, apenas prefiro guardar para dificultar as coisas para o time adversário”, disse.

Um dos pontos mais elogiados dos alagoanos no último jogo, foi a forte marcação imposta ao Santa Cruz, exigida pelo técnico do CSA-AL, Oliveira Canindé. “Eles nos marcaram muito no primeiro jogo e fizeram muitas faltas”.

“Não podemos aceitar o jogo deles. Nossa equipe sabe tocar a bola, precisamos fazer isso neste jogo e também finalizar mais”, contou Raul.

Para o jogo, Vica não poderá contar com o centroavante Léo Gamalho, que sentiu dores na panturrilha esquerda, e foi vetado pelo departamento médico do clube. Assim, o provável substituto é o também atacante Cassiano, mas isso só deverá ser divulgado minutos antes do jogo.

O adversário

Embalado e isolado na liderança do Grupo B da Copa do Nordeste, o CSA-AL chega para o confronto contra o Santa Cruz com status de favorito. O sucesso do time alagoano é creditado ao técnico Oliveira Canindé, campeão da última edição do Nordestão, em 2013, pelo Campinense-PB. Uma nova vitória em cima dos pernambucanos, poderá dar a classificação antecipada à próxima fase do Nordestão. A novidade pode ser a estreia do meia Jerson, contratado para reforçar a equipe nesta temporada. Ele teve o nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID), da CBF, e está à disposição do técnico Oliveira Canindé.

Ficha de jogo

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel, Renan Fonseca, Everton Senta e Tiago Costa; Sandro Manoel, Luciano Sorriso, Natan, Raul e Renatinho (Carlos Alberto); Cassiano (Caça-Rato). Técnico: Vica

CSA-AL: Pantera; Mineiro, Pedro Silva, Breno e Roberto; Charles Wenderson, Lucas, Jeferson Maranhense (Jerson) e Daniel Costa; Uénderson e Josimar. Técnico: Oliveira Canindé.

Copa do Nordeste – 4°rodada. Local: Estádio Rei Pelé, Alagoas. Horário: 19h15 (horário de Pernambuco). Árbitro: Avelar Rodrigo da Silva (CE). Assistentes: Marcione Mardonio da Silva Ribeiro (CE) e Anderson Silveira Ribeiro (CE).

Santa Cruz decepciona, perde para o CSA, e não assume a liderança do Grupo B

Artilheiro Josimar marca e garante vitória e liderança isolada do grupo para o CSA diante do Santa Cruz
(Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

Por GloboEsporte – Caruaru, PE

No duelo entre Santa Cruz e CSA, que valia a liderança do grupo 3 da Copa do Nordeste, o artilheiro Josimar ofuscou o brilho do xodó tricolor Flávio Caça-Rato. Com o gol do atacante, o Azulão venceu a equipe coral por 1 a 0, neste sábado, no Lacerdão, em Caruaru, e se isolou na ponta com 7 pontos. Os pernambucanos permanecem com quatro pontos e podem até perder a segunda posição dependendo do resultado do duelo entre Bahia e Vitória da Conquista, que começou às 18h30m deste sábado.

O destino parecia já estar traçado, quando o técnico Vica manteve Caça-Rato no banco até os 32 minutos segundo tempo, apesar da insistência dos torcedores corais. Dois minutos depois do pedido ser aceito pelo treinador tricolor, Josimar se apressou em ser o nome do jogo e agradeceu pelo cruzamento perfeito para marcar o gol que garantiu a vitória.

– Cara, Deus está sendo muito bom comigo. Eu não poderia desperdiçar aquele cruzamento do Pedro. Foi uma grande vitória, e a próxima partida vai ser ainda melhor, na presença do nosso torcedor.

Para Caça-Rato, restou apenas lamentar e seguir olhando para o próximo duelo, que será justamente contra o mesmo CSA, nesta quinta-feira, agora no estádio Réi Pelé, em Maceió.

– Vamos trabalhar. Trabalhar para conseguir a vitória no próximo jogo. Hoje, infelizmente não deu.

CSA domina primeiro tempo e Santa sente ausência de Caça-Rato

Com um público bem abaixo do que costuma levar em seus jogos no Arruda, o Santa iniciou o jogo sentindo a distância de atuar no Lacerdão, em Caruaru, por conta de uma punição do STJD. O CSA, mesmo beneficiado por um empate para seguir na liderança do grupo, soube aproveitar e parecia estar jogando em casa. Tomou a iniciativa da partida e chegou ao ataque logo nos primeiros minutos. Foram chutes de longa distância, bolas cruzadas para a área coral e cobranças de falta em lances com Josimar e Jeferson Maranhense. Só faltaram vencer o goleiro Tiago Cardoso, que apareceu bem.

Outra ausência bastante sentida pelo Tricolor foi a do xodó Flávio Caça-Rato, que perdeu a vaga para Léo Gamalho. No último treino o atacante declarou que preferia ficar no banco a jogar fora da sua posição e foi o que fez o técnico Vica. No entanto, o novo ataque coral não rendeu o esperado pelo comandante. Foram apenas duas boas chances em chutes da entrada da área, primeiro com Tiago Costa, aos 25, e depois com Renatinho, aos 37, mas todas defendidas por Pantera. Para a equipe alagoana, a única ausência foi em relação à pontaria dos homens de frente, que chegavam, mas não conseguiram ser eficientes.

No segundo tempo, Josimar rouba a cena de Caça-Rato

flávio caça-rato santa cruz (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
Caça-Rato entra no final, mas não resolve
(Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

No segundo tempo houve mudanças. O Santa começou a ser mais efetivo e logo aos 7 minutos Léo Gamalho mandou no travessão. Dois minutos a resposta do CSA veio num chute venenoso de Mineiro, defendido por Tiago Cardoso. Minutos depois, as mudanças foram na formação das equipes. Mesmo com o pedido da torcida, o técnico Vica manteve Caça-Rato no banco e mandou para campo o atacante Cassiano e o meio-campo estreante Carlos Alberto. Saíram Renatinho e Raul. No Azulão, Oliveira Canindé renovou o fôlego do ataque com Diego Clementino entrando na vaga de Uederson. Tudo isso até os primeiros dez minutos.

As substituições mantiveram as equipes buscando o gol, mesmo que as oportunidades fossem marcadas mais por vontade do que por técnica. Mas o placar insistiu em seguir inalterado. O CSA, que com o empate seguia na ponta, passou a segurar mais o jogo, enquanto o Santa arriscava mais. Aos 32 minutos, enfim veio uma manifestação da arquibancada coral, mas era apenas a entrada do atacante Flávio Caça-Rato no lugar de Natan.

Dois minutos depois, enfim, veio o grito de gol. Mas, quem brilhou foi o artilheiro Josimar, aproveitando um cruzamento na área e abrindo o placar para o Azulão numa cabeçada firme. Foi o terceiro gol dele na competição. Ao Santa, restou afobação numa busca improdutiva para ao menos empatar.