Estádio Independência

Náutico vai de técnico novo, vida nova na Série B

Autor: Alvaro Filho

Foto: Fernando da Hora/JC Imagem

Com o G4 se distanciando, o Náutico não pode se dar ao luxo de manter a rotina ingrata de derrotas fora de casa. Motivado pela presença de um novato no banco – o técnico Gilmar Dal Pozzo comanda pela primeira vez a equipe – os alvirrubros lutam para voltar a vencer fora de casa após 24 rodada, neste sábado, às 16h30, contra o América/MG, no Independência, em Belo Horizonte.

O  novo comandante mudou o esquema de jogo do time, optando pelo 4-4-2, com dois volantes, Marino e João Ananias, dois meias, Patrick Vieira e Hiltinho, e dois atacantes, Douglas e Bergson.

O Náutico, que já chegou a figurar por várias rodadas no G4, começou a 25ª rodada na oitava colocação, com 36 pontos, a cinco do Bahia, que abria a zona de classificação, com 41. O América/MG é o sexto, com 38.

Foto: Fernando da Hora/JC Imagem

Foto: Fernando da Hora/JC Imagem

O NÁUTICO
A grande novidade do Náutico para a partida em Belo Horizonte não vai estar dentro de campo, mas no banco de reservas. Após a demissão do técnico Lisca em mais uma derrota fora de casa, 1×0 para o Ceará, segunda (7), a direção agiu rápido e na terça anunciou Gilmar Dal Pozzo, catarinense com histórico parecido com o ex-treinador, forjado por trabalho em equipes médias do futebol gaúcho e de Santa Catarina, como Criciúma e a emergente Chapecoense.

Dal Pozzo teve dois dias de trabalho à frente do Náutico. No treino de quinta (10), ele já deu a entender que pode até ter um histórico parecido com o de Lisca, mas entendeu que a tão esperada vitória fora de casa seria mais viável com um time mais ofensivo.  Ele abriu mão de um dos três volantes e recuou Patrick Vieira, que vinha jogando como atacante, para a posição original, a meia, ao lado de Hiltinho.

No ataque, Dal Pozzo está disposto a acabar com a “solidão” do atacante Douglas, escalando Bergons para fazer companhia ao jogador.

Outra mudança no time que vinha jogando é a volta de Guilherme no lugar de Lucas Farias. Ausência que deve ser sentida é a do zagueiro Fabiano Eller, que se machucou no primeiro tempo da partida contra o Ceará não se recuperou.

O AMÉRICA/MG

Treinado pelo pernambucano Givanildo Oliveira, o América/MG vai tentar fazer o inverso do Náutico: vencer dentro de casa, fato que não ocorre há três rodadas, duas delas com derrota. A barra só aliviou para o treinador devido à vitória na última rodada contra o Sampaio Corrêa, em São Luís.

Givanildo terá que improvisar o meia Xavier na lateral-esquerda, já que o titular e o vice da posição, Bryan e Raul, estão machucados. Os meias Mancini, com fadiga muscular, e  Patrick Allan, contundido, também não jogam, assim como Tony, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Tanto Bryan, quanto Raul estão lesionados. O primeiro com lesão no adutor da coxa, o segundo nos ligamentos do joelho. Ambas as contusões são na perna esquerda. O meia Xavier será improvisado no setor.

FICHA DO JOGO

América/MG

João Ricardo; Wesley Matos, Alison e Anderson Conceição; Walber, Rodrigo Souza, Leandro Guerreiro, Marcelo Toscano e Xavier; Felipe Amorim e Richarlison. Técnico: Givanildo Oliveira.

Náutico: Júlio César. Guilherme, Rafael Pereira, Ronaldo Alves e Gastón Filgueira; João Ananias, Marino, Patrick Vieira e Hiltinho; Bergson e Douglas. Técnico: Gilmar Dal Pozzo.

Local: Estádio Independência (Belo Horizonte). Horário: 16h30. Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR). Assistentes:Victor Hugo Imazu dos Santos e Pedro Martinelli Christino (ambos PR).

 

Galo marca no fim e consegue o empate com o Inter no Horto

Campeões estaduais no último fim de semana, Atlético-MG e Internacional se encontraram no Independência nesta quarta-feira para o primeiro duelo pelas oitavas de final de Libertadores. Por conta de suas campanhas na fase de grupos, o jogo de ida foi realizado no caldeirão do Horto. Em partida emocionante e com início arrasador, o Colorado surpreendeu e esteve perto da vitória, com direito a dedo do técnico Diego Aguirre, que colocou D’Alessandro e Valdivia no segundo tempo e mudou a história do confronto, mas viu sua equipe sofrer gol de Leonardo Silva no fim e acabou deixando o campo com o 2 a 2 no placar.

O mistério dos treinadores nos últimos dias foi justificado pelas novidades nas equipes. Levir sacou o jovem Carlos e começou o jogo com Thiago Ribeiro, enquanto Aguirre escalou Ernando na lateral esquerda e deixou D’Alessandro e Valdivia entre os suplentes no primeiro tempo.

O JOGO

O ponteiro do relógio mal tinha dado sua primeira, volta e o garoto Luan já havia levado o primeiro cartão amarelo do jogo. Segundos mais tarde, Marcos Rocha vacilou na defesa, e Lisandro López surpreendeu os atleticanos presentes, já que muitos ainda nem tinham entrado no estádio. Apesar do gol colorado, o Galo procurou não se abater e mostrou uma boa postura em campo. Com dez minutos, o time mineiro já fazia jus ao empate. Em lance muito parecido com o gol marcado sobre o Colo Colo, Rafael Carioca fez a bola explodir no travessão de Alisson. Pouco depois, em nova blitz do Alvinegro, Douglas Santos pegou a sobra de fora da área e chutou rasteiro, igualando o marcador.

No restante do primeiro tempo, o Atlético foi mais incisivo e intenso dentro de campo, mas pecou no mau rendimento de Dátolo e Thiago Ribeiro, que deixaram a desejar. Muitas vezes empurrado em seu campo defensivo, o Inter recorreu às faltas, o que rendeu cartões amarelos. A estratégia de Aguirre de atuar com três zagueiros gerou algumas batidas de cabeça da defesa antes da equipe conseguir se acertar e levar certo perigo nas descidas em velocidade e na bola parada de Alex.

O segundo tempo começou com o Atlético passando mais tempo no ataque, mas ainda sem empolgar. A torcida já começava a pegar no pé de alguns jogadores, mas foi Diego Aguirre quem fez as primeiras alterações. Titulares do Colorado, Valdivia e D’Alessandro tiveram que esperar mais 15 minutos da etapa final no banco de reservas, mas menos de dois minutos para colocar o Inter novamente na frente. No levantamento do argentino pelo lado esquerdo, a bola acabou encontrando o craque do Campeonato Gaúcho, que ganhou a disputa pelo alto e marcou o segundo da equipe do Sul.

Com seu time novamente em desvantagem, Levir foi para o tudo ou nada e arriscou ao promover as entradas de Jô e Giovanni Augusto, abrindo mão de um de seus volantes para explorar o setor criativo e a jogada aérea. A pressão foi até o fim e deu certo, já que Leonardo Silva garantiu o empate aos 48 minutos do segundo tempo.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 2×2 INTERNACIONAL

Motivo: Jogo de ida, oitavas de final, Libertadores 2015
Data/Hora: 06/05/2015, às 22h
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Assistentes: Wilmar Navarro (COL) e Cristian de La Cruz (COL)
Cartões amarelos: Luan (CAM), Willian, Aranguiz, Lisandro López (INT)
Público/Renda: Não disponívels

GOLS: Lisandro López, 1’1ºT (0-1); Douglas Santos, 14’1ºT (1-1); Valdivia, 15’2ºT (1-2); Leonardo Silva, 48’2ºT

ATLÉTICO-MG: Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Rafael Carioca e Leandro Donizete (Giovanni Augusto – 23’2ºT); Dátolo (Jô – 23’2ºT), Luan e Thiago Ribeiro (Carlos – 32’2ºT); Pratto. Técnico: Levir Culpi.

INTERNACIONAL: Alisson; William, Alan Costa, Juan e Ernando; Rodrigo Dourado, Aranguiz e Alex (D’Alessandro – 15’2ºT); Jorge Henrique (Alan Ruschel – 32’2ºT), Sasha (Valdivia – 14’2ºT) e Lisandro López. Técnico: Diego Aguirre.

Fonte: LANCENET!