Final Pernambucano 2015

Santa Cruz e Salgueiro fazem o duelo final no Arruda

Autor: Wladmir Paulino

Para o Santa Cruz é uma oportunidade abarrotar sua sala de troféus com mais uma conquista e a ampliar a supremacia na década. Para o Salgueiro, a chance de escrever em cores ainda mais brilhantes seu nome na história do futebol pernambucano. Esses são os igrediantes da decisão que começa às 16h, no Arruda, edição que marca os cem anos do Estadual.

Com o empate por 0x0 no primeiro jogo, na última quarta-feira, no Cornélio de Barros, os dois times entram em campo rigorosamente iguais. Se persistir a igualdade seja sem ou com gols, a decisão vai para as cobranças de pênaltis. Só haverá campeão no tempo regulamentar se houver vencedor, e por qualquer diferença de gols.

Um dos trunfos do Santa Cruz é o fator casa. Há quem aposte num público de até 50 mil pessoas no José do Rego Maciel. O próprio técnico Ricardinho já declarou que a força das arquibancadas será fundamental para a atuação de seus comandados.

O Salgueiro tem seu pilar num retrospecto arrasador sobre os times grandes, suas únicas vítimas tanto no hexagonal do título quanto no mata-mata. Primeiro, eliminou o Náutico das semifinais com uma goleada por 4×1 no Cornélio de Barros. Depois, despachou o Sport na semifinal com uma vitória em casa e um empate na Arena Pernambuco. Sobre o Santa, o Carcará tem cem por cento de invencibilidade. venceu dois jogos, empatou um e não tomou um gol sequer.

Confiança

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Aborrecido com a atuação no sertão, o técnico Ricardinho espera um futebol mais qualificado na partida decisiva. “É aquela hora de colocar para fora toda a qualidade, o momento da excelência, de estar na sua melhor condição. Não pode deixar nada para depois. É a hora de qualificar o trabalho de toda uma competição”. O técnico não adiantou a escalação, até porque ainda está na dependência do lateral-esquerdo Tiago Costa. Ele recupera-se de uma pequena contusão muscular. Ele também pode mexer no ataque, com Anderson Aquino entrano no lugar de Emerson Santos.

Imposição

Salgueiro e a missão quase impossível diante do Ceará

Foto: JC Imagem

No lado do Carcará, o técnico Sérgio China não quer seus jogadores dando oportunidades ao Santa. Mas avisa: não vai apenas se defender. “Futebol é imposição, e nós fizemos isso no jogo passado. No momento eme que eles tiverem a posse de bola, precisamos, como sempre, marcar forte. A nosso favor, agredir o adversário e tentar o gol porque só assim a outra equipe vai ter respeito por nós”. Ele não tem problemas para escalar a equipe, mas também pode mexer no ataque. Nesse caso, Anderson Lessa poderia reaparecer como titular.

O Decisivo

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Não faz muito tempo, o atacante Betinho encarava uma decisão tão equilibrada quanto a deste domingo, porém numa amplitude ainda maior. Em 2012, ele defendia o Palmeiras e, na decisão contra o Coritiba foi fundamental para a conquista do título do Verdão. No primeiro jogo, em São Paulo, sofreu o pênalti que originou o primeiro gol. Na volta, em Curitiba, marcou o gol de empate (1×1), que sacramentou a conquista. Até o momento ele marcou cinco vezes e sempre em jogos decisivos para o tricolor: o primeiro num clássico contra o Náutico, no final do jogo, e que deu a vitória aos corais. Fez mais dois nos 3×0 sobre o Serra Talhada, partida que garantiu a vaga nas semifinais. Por fim, outros dois na goleada por 4×0 em cima do Central, quando deixou o passaporte para a decisão praticamente carimbado.

O Experiente

Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Aos 34 anos, o lateral-direito e capitão do Salgueiro, Marcos Tamandaré sabe bem o que é encarar o Santa Cruz numa final de Campeonato Pernambucano. Ele passou pela experiência há nove anos e saiu-se muito bem. Com a camisa do Sport decidiu o Estadual de 2006, quando os leoninos conquistaram o título nos pênaltis depois de uma vitória no Arruda (2×1) e uma derrota na Ilha (0x1). Nas penalidades, o lateral foi um dos cinco jogadores rubro-negros que converteram. Agora ele espera ter a mesma felicidade, mas, para isso, quer o Salgueiro repetindo as boas atuações com os grandes. “A gente vem jogando de igual para igual com os grandes. Esperamos que desta vez a gente consiga fazer os gols. A gente mereceu a vitória (em casa). Temos que ter tranquilidade”.

Ficha do jogo:

Santa Cruz: Fred; Nininho, Alemão, Danny Morais e Renatinho; Bileu (E. Sitta), Bruninho, João Paulo e Guilherme Biteco; Emerson Santos (Anderson Aquino) e Betinho. Técnico: Ricardinho.

Salgueiro: Luciano; Marcos Tamandaré, Ranieri, Rogério Paraíba e Marlon; Vitor Caicó, Moreilândia, Rodolfo Potiguar, Valdeir e Lúcio; Kanu (Anderson Lessa). Técnico: Sérgio China

Local: Arruda. Horário: 16h. Árbitro: Emerson Sobral. Assistentes: Albino Albert Junior. Ingressos: R$ 60 (arquibancada inferior) e R$ 30 (arquibancada superior).