Goias 0x0 Sport

Sport prioriza a defesa, arranca ponto do Goiás mas cai na classificação

Autor: Wladmir Paulino

Num jogo em que foi brilhante na defesa e capenga no ataque, o Sport arrancou um ponto do Goiás no Serra Dourada, na noite deste domingo (20) com o empate por 0×0. Apesar disso, os demais resultados da rodada derrubaram o time pernambucano do G4 para a oitava posição, agora com 18 pontos. No próximo domingo, os rubro-negros recebem o Atlético Mineiro, provavelmente na Arena Pernambuco. Antes, na quinta, os leões fazem o jogo da volta contra o Paysandu, pela Copa do Brasil.

Desde os primeiros minutos o Sport mostrou que não tentaria levar vantagem de qualquer forma. O time pernambucano optou por controlar o Goiás o máximo que pôde e o fez com competência e sem permitir pressão do adversário. Como? Usando princípios básicos de quem defende num jogo de futebol. Primeiro, tirou amplitude (largura) e profundidade (extensão) aproximando as linhas de marcação.

Essas mesmas linhas aproximadas fechavam as linhas de passe do Goiás. O time esmeraldino era quase sempre obrigado a usar um lançamento mais longo ou uma jogada individual no meio de um enxame de rubro-negros. Defensivamente, tudo ok. Mas na hora de mudar o chip defensivo para o ofensivo, os leoninos não imprimiam a velocidade necessária.

E houveram oportunidades. Na primeira, Felipe Azevedo arrancou mas correu para o lado em que haviam mais marcadores quando Leonardo aparecia livre no lado esquerdo. Terminou desarmado. Zé Mário teve duas jogadas semelhantes. Primeiro foi derrubado. Depois, pressionado, desabou no gramado pedindo falta que não houve.

Quando fez a bola correr mais rápido, o time da Ilha teve sua melhor chance, aos 35. Felipe Azevedo e Érico Júnior tocaram apenas uma vez na bola para deixar Zé Mário cara a cara com Renan pelo lado esquerdo da pequena área. O chute do camisa 31 foi rasteiro e defendido com os pés. Os goianos responderam numa boa jogada individual de Assuério apenas dois minutos depois. Ele foi à linha de fundo e cruzou para trás, onde estava Tiago Real livre. Magrão saiu bem para bloquear o chute.

Depois disso, os dois times preferiram não correr risco. Ambos ocuparam bem os espaços e preferiram não correr riscos. Os laterais quase não avançaram e nenhum volante tentou furar o bloqueio contrário. Por isso, o 0×0 além de justo traduziu bem os objetivos dos dois times.

O Goiás voltou para o segundo tempo com uma alteração para tentar abrir o ferrolho leonino. Liniker deu lugar a Erik, que ficou fixo na direita como um antigo ponta. Eduardo Baptista contra-atacou com a entrada de Danilo no lugar de Érico Júnior justamente naquele setor. Com um lateral de ofiício ele reforçaria a marcação no lado esquerdo da defesa sem perder ofensividade.

O jogo estava mais para xadrez do que futebol, tamanha era a movimentação das peças no ‘tabuleiro’. O primeiro a tentar algo diferente foi Thiago Mendes. Num jogo em que os laterais foram exclusivamente defensores, ele arrancou pela direita e cruzou quase da linha de fundo. Patric apareceu para mandar para escanteio.

Mais corajoso que o Sport, o Goiás deixou seu gol mais maduro aos 29 minutos. Ao invés de tentar a jogada em profundidade, Erik cortou para o meio da área e encontrou Esquerdinha. Ele tocou de leve para Ramon, que entrava de frente para o gol. Passou por Magrão mas o ângulo de chute ficou muito curto. Terminou acertando a parte externa da rede.

Se o Goiás tentava ser ousado, o Sport confirmou seu conservadorismo com a entrada do volante Willian no lugar de Leonardo. E no minuto seguinte saiu aquele tipo de jogada que os centroavantes esperam a partida inteira. Patric finalmente arrancou para a área e cruzou a meia altura. Renan afastou parcialmente e, no rebote, Wendell chutou torto, para fora. Antes disso, Bruno Mineiro escorou cruzamento de Lima e venceu Magrão. Mas estava impedido.

Ficha do jogo:

Goiás: Renan; Thiago Mendes, Jackson, Pedro Henrique e Lima; Amaral, David, Ramon, Liniker (Erik) e Tiago Real (Esquerdinha); Assuério (Bruno Mineiro). Técnico: Ricardo Drubscky.

Sport: Magrão; Patric, Ewerton Páscoa, Durval e Renê; Rithely, Wendel e Zé Mario (Renan Oliveira); Érico Junior (Danilo), Felipe Azevedo e Leonardo. Técnico: Eduardo Baptista.

Série A (11ª rodada). Estádio: Serra Dourada, Goiânia (GO). Árbitro: Péricles Bassols (RJ). Assistentes: Rodrigo Henrique Corrêa e Eduardo de Souza Couto (ambos do RJ). Cartões amarelos: Lima, Patric, Wendell e Rithely.