Grupo A

Náutico enfrenta Salgueiro no Nordestão; Sport no Grupo B

Autor: Thiago Wagner

O Náutico terá o Salgueiro pela frente na primeira fase da Copa do Nordeste 2015. O Timbu caiu no Grupo C e terá ainda o Moto Club e o Piauí no caminho. O Sport está no Grupo B ao lado de Sampaio Corrêa, Socorrense e Coruripe. O Leão é o atual campeão da competição. O sorteio ocorreu na noite desta quinta-feira, no Recife. O Nordestão começa no dia 4 de fevereiro. O Santa Cruz não disputa o regional porque não conseguiu classificação.

Atual vice-campeão, o Ceará caiu em um chave complicada ao lado de Fortaleza, Botafogo-PB e River no Grupo D.

Os baianos ficaram em grupos considerados fáceis de passar. O Vitória ficou no Grupo A ao lado de Serrano, Confiança e América-RN. Já o Bahia ficou no E com Globo, Campinense e CRB.

Os primeiros colocados de cada grupo classificam para a próxima fase. O mata-mata é complementado com os três melhores segundos colocados. Depois disso, o regional entra na fase do mata-mata.

Além do sorteio dos grupos, houve ainda a apresentação do mascote da competição, o Zeca Brito, da bola Asa Branca II e da taça do Nordestão, que foi alterada para incluir Maranhão e Piauí. A Liga do Nordeste também elegeu a seleção da edição 2014. O Sport dominou a equipe que ficou da seguinte maneira: Magrão (Sport), Patric (Sport), Durval (Sport), Sandro (Ceará) e Renê (Sport), Luciano Sorriso (na época jogava pelo Santa Cruz), Rithely (Sport), Ricardinho (Sport) e Daniel Costa (na época no CSA); Neto Baiano (Sport) e Magno Alves (Ceará). Renê foi eleito a revelação do torneio, enquanto que Neto Baiano o craque. Eduardo Baptista foi o melhor técnico.

Abaixo, os grupos do Nordestão:

Grupo A
Vitória-BA
América-RN
Confiança-SE
Serrano-BA

Grupo B
Sport
Sampaio Corrêa
Coruripe-AL
Socorrense-SE

Grupo C
Náutico
Salgueiro
Moto Club-MA
Piauí

Grupo D
Ceará
Fortaleza
Botafogo-PB
River-PI

Grupo E
Bahia
CRB-AL
Campinense-PB
Globo-RN

Brasil busca vaga contra Camarões em seu 100º jogo de Copa do Mundo

A seleção brasileira só depende de si mesma para conquistar a vaga nas oitavas de final da Copa do Mundo de 2014. Uma vitória sobre Camarões basta para garantir a classificação, que pode acontecer até mesmo em caso de derrota.

A partida marcará a 100ª da história do Brasil em Copas do Mundo. E terá um adversário já conhecido, pelo qual a seleção passou na campanha de 20 anos atrás, quando conquistou o tetracampeonato nos Estados Unidos. Mas é também o time que eliminou a equipe canarinho das Olimpádas de Sidney, em 2000. No mais, o retrospecto brasileiro é positivo, com quatro vitórias em cinco partidas.

O Brasil também tem boa memória contra seleções africanas em Mundiais. Foram seis jogos, todos terminados com triunfos canarinhos. E só a Costa do Marfim marcou, em 2010. Todos os outros duelos terminaram sem as redes brasileiras balançarem.

Apenas uma vez o Brasil não marcou três gols. Foi contra a Argélia, em 1986. Em 2010, 3 x 2 na Costa do Marfim. Os outros quatro confrontos foram todos 3 x 0: contra o Zaire, em 1974, Camarões, em 1994, Marrocos, em 1998, e Gana, nas oitavas de final de 2006.

Veja as prováveis escalações de Camarões x Brasil:

Camarões: Itandje; Assou-Ekotto, Chedjou, Nkoulou e Bedimo; Mbia, Song, Makoun e Moukandjo; Aboubaker e Choupo-Moting. Técnico: Volker Finke

Brasil: Júlio César, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz, Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho, Oscar; Hulk, Neymar e Fred. Técnico: Luiz Felipe Scolari

Fonte: PLACAR

Camarões e Croácia fazem duelo inédito para depender só de si por vaga

O empate entre Brasil e México deixou os líderes do Grupo A da Copa do Mundo de 2014 em posição razoavelmente confortável na chave. Mas Camarões e Croácia se enfrentam nesta quarta-feira, às 19 horas, na Arena da Amazônia, e o vencedor dependerá apenas de si mesmo para buscar a classificação nas oitavas de final na partida final desta primeira fase.

A equipe que vencer o duelo inédito em Manaus ficará com 3 pontos, um a menos que Brasi e México. Na terceira rodada, Camarões encaram o Brasil, em Brasília, enquanto o México duela com a Croácia no Recife. As duas partida serão na próxima segunda-feira, às 17 horas (de Brasília)

A Croácia leva vantagem pelo fato de ter mais sorte em Copas do Mundo. Em três participações, já ficou com um terceiro lugar, em 1998, e soma 6 vitórias, 5 empates e apenas 3 derrotas. No entanto, os croatas não conseguem superar a fase de grupos há dois Mundiais.

Já Camarões, que surgiu como grande promessa do continente africano ao chegar às quartas de final em 1990, nunca mais repetiu a bela campanha da Copa na Itália. Os camaroneses somam apenas 4 vitórias e têm 10 derrotas em Mundiais, além de terem empatado 7 vezes. Para piorar, é improvável que a principal estrela dos Leões Indomáveis, Samuel Eto’o, jogue a partida por conta de uma lesão no joelho.

Veja as possíveis escalações das equipes:

CAMARÕES: Itandje; Bedimo, Nkoulou, Chedjou e Assou-Ekotto; Mbia, Song e Makoun; Moukandjo, Aboubakar (Eto’o) e Choupo-Moting.Técnico: Volker Finke

CROÁCIA: Pletikosa; Srna, Corluka, Lovren, Vrsaljko (Pranjic); Olic, Rakitic, Modric (Kovacic), Brozovic, Perisic; Mandzukic. Técnico: Niko Kovac

Fonte: PLACAR

Brasil justifica o seu estigma e não sai do 0 a 0 com o México

Helder Júnior, enviado especial Fortaleza (CE)

Os mexicanos sabiam por experiências anteriores que “sí, se puede”, conforme eles gritaram durante todo o jogo desta terça-feira, no Castelão. Acostumado a encontrar dificuldades contra o México, o Brasil aumentou o seu estigma com um empate por 0 a 0 na segunda rodada do grupo A da Copa do Mundo. O resultado manteve as duas seleções igualadas na liderança, com 4 pontos cada.

Vindo de uma vitória por 3 a 1 sobre a Croácia, o Brasil encontrou dificuldades para se posicionar com o meio-campista Ramires na vaga do atacante Hulk, com um incômodo na coxa esquerda, e levou alguns sustos do time que havia feito 1 a 0 sobre Camarões na estreia. No final, já com Bernard, Jô e Willian, tentou de todas as formas chegar ao gol. E não conseguiu.

Ainda invicto, mas sem 100% de aproveitamento, o Brasil jogará pela classificação às oitavas de final contra Camarões às 17 horas (de Brasília) de segunda-feira, no Mané Garrincha, enquanto Croácia e México irão se enfrentar na Arena Pernambuco. Camaroneses e croatas completarão a segunda rodada na noite desta quarta-feira, na Arena Amazônia.

O jogo – Luiz Felipe Scolari teve novamente o ambiente que queria para uma partida da SeleçãoBrasileira em Copa do Mundo. O já tradicional Hino Nacional cantado à capela se repetiu no Castelão, levando as lágrimas até alguns voluntários da Fifa. A ideia para o jogo contra o México, no entanto, era não repetir também o nervosismo dos primeiros minutos da vitória sobre a Croácia.

Não foi possível eliminar qualquer sinal de ansiedade. A Seleção deu a saída antes mesmo da autorização do árbitro Cuneyt Cakir. Errou alguns passes no princípio do jogo e não se mostrou ambientada à entrada do meio-campista Ramires no lugar do atacante Hulk, contundido. Era tudo o que o México queria para sedimentar a sua fortaleza no Ceará.

Sob os gritos de “sí, se puede” de seus torcedores, em grande número nas arquibancadas, os mexicanos justificaram o discurso do técnico Miguel Herrera e foram ao ataque. Não fizeram o goleiro Júlio César trabalhar com intensidade em suas investidas iniciais, porém aquilo era o suficiente para incomodar Felipão, irrequieto na área técnica.

Aos poucos, o Brasil ganhou terreno. O primeiro susto que deu nos mexicanos ocorreu aos 10 minutos, em um cruzamento da esquerda de Oscar. Fred arrematou firme, acertando o lado externo da rede – e ludibriando aqueles que gritaram “gol” e talvez o próprio assistente, que ameaçou correr para o centro do campo. Depois, ele ergueu a bandeirinha. Era a primeira faz muitas vezes em que o centroavante brasileiro ficava impedido.

Fred não era o único que se mostrava deslocado. Daniel Alves irritou os mexicanos com algumas jogadas mais ríspidas, enquanto Ramires não sabia se atacava ou defendia. Neymar tentou resolver o problema sozinho, com algumas arrancadas que levantaram o público presente, mas não conseguia transpor a bem armada defesa adversária.

Como o Brasil não se impôs, o México retornou ao campo ofensivo. Peralta, o carrasco brasileiro nas últimas Olimpíadas, quase fez fila dentro da área de Júlio César. Mais tarde, Herrera testou o goleiro com uma finalização forte, de longe. A Seleção só foi responder aos 25 minutos, quando Neymar apareceu bem pela esquerda e permaneceu na área. No cruzamento de Daniel Alves, a sua cabeçada parou na grande defesa de Ochoa.

Para conter qualquer esboço de animação do Brasil, o México mostrou a Daniel Alves que também sabia jogar duro – postura que impacientou o habitualmente sereno coordenador técnico Carlos Alberto Parreira, pois o árbitro apitava poucas faltas. Só Ramires foi punido com um cartão amarelo no primeiro tempo de partida.

Faltou emoção nos minutos que antecederam o intervalo. Pelo menos, dentro de campo. Nas arquibancadas, os mexicanos aproveitaram os momentos de desânimo da torcida brasileira para chamar Júlio César de “p…” a cada reposição de bola. Fizeram tanto sucesso que acabaram copiados pelo público adversário, já entediado de cantar que é “brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”.

Felipão tentou contentar os brasileiros com a “alegria nas pernas” de Bernard, como gosta de dizer, no lugar de Ramires no segundo tempo. Parecia que daria certo. Logo em sua primeira participação, o jogador arrancou em velocidade pela direita e fez um bom cruzamento para Neymar, interceptado pela zaga. O que se seguiu, contudo, foi uma série de finalizações mexicanas. Com direito a gritos de “olé’ para a troca de passes visitante.

O técnico do Brasil, então, precisou agir novamente. Sacou Fred para a entrada do aplaudido Jô pouco após Neymar cobrar uma falta com perigo, para fora. O camisa 10 melhorou com a mudança de companheiro de ataque. Aos 23 minutos, estufou o peito para dominar a bola dentro da área e bateu forte, mas em cima de Ochoa. Houve quem berrasse “gol” antes da hora.

Tão desesperado quanto a torcida nos minutos finais, a Seleção Brasileira passou a abusar dos lançamentos longos e das jogadas aéreas. A última grande oportunidade de gol foi justamente pelo alto. Aos 40 minutos, Neymar levantou a bola na área em cobrança de falta da esquerda, e Thiago Silva não marcou o gol de cabeça porque Ochoa defendeu bem para provar outra vez que “sí, se puede”.

Brasil faz segundo jogo na Copa e reencontra rival e estádio da 1º edição do hino à capela

Luiz Martini /Superesportes


Uma cena de patriotismo e amor pelo futebol. No dia 19 de junho de 2013, a torcida presente no Estádio Castelão, em Fortaleza, ignorou o padrão Fifa de cortar parte do hino das seleções e continuou a cantar o ode nacional à capela. O acontecimento marcou as pazes da Seleção Brasileira com o povo e a formação de um time campeão da Copa das Confederações sob o comando de Luiz Felipe Scolari.

Nesta terça-feira, quase um ano depois, o Brasil volta ao Castelão para uma partida de Copa do Mundo. Além da marca registrada do hino à capela – desde então repetida nos quatro cantos do país-, até o adversário é o mesmo de 2013: a Seleção Mexicana.

Depois de vencer a Croácia por 2 a 1 na estreia, no Itaquerão e se garantir na liderança do Grupo A, os jogadores da Seleção já celebram o fato de retornar a Fortaleza. O goleiro Julio Cesar expressou o sentimento dos atletas e relembrou a ocasião marcante.

“A gente não esquece aquele momento do ano passado. Ganhamos força e o hino à capela virou ingrediente de todos os nossos jogos. Deu muita confiança, e e na Copa do Mundo também começou assim. Tenho certeza que em Fortaleza vai ser do mesmo jeito e isso nos motiva muito”, disse.

Do time que venceu os europeus, apenas o atacante Hulk é dúvida. Ele sofre com um incômodo na coxa, mas o resultado do exame de imagem não apontou lesão. O técnico Luiz Felipe Scolari minimizou a possível ausência do jogador. Caso o atleta não atue, Ramires deve ser titular. A Seleção deve ir a campo com Julio Cesar; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho, Ramires (Hulk) e Oscar; Neymar e Fred.

“Se houver uma dificuldade com o Hulk, perderei o sistema com o qual estamos jogando há algum tempo. Os jogadores têm outras características. Mas eles também poderão acrescentar coisas à equipe, como velocidade, outro tipo de marcação, de posicionamento” , comentou Felipão.

México

O México também soma três pontos, mas fica atrás do Brasil no saldo de gols. O time de Miguel Herrera superou Camarões por 1 a 0 na Arena das Dunas, com direito a três gols marcados para valer um. O tento de Peralta foi decisivo para o triunfo. Assim como aconteceu em Natal, a expectativa é que milhares de mexicanos marquem presença no Castelão.

Com o intuito de fazer mistério na escalação, o treinador mexicano não quis dar brechas sobre a manutenção do time que venceu os africanos. Mas a tendência é que o México jogue com Ochoa; Rodríguez, Héctor Moreno e Rafa Márquez; Aguilar, Herrera, Vázquez, Guardado e Miguel Layún; Giovani dos Santos e Peralta.

Brasil x México

Brasil
Julio Cesar; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho, Ramires (Hulk) e Oscar; Neymar e Fred.
Técnico: Luiz Felipe Scolari

México
Ochoa; Rodríguez, Héctor Moreno e Rafa Márquez; Aguilar, Herrera, Vázquez, Guardado e Miguel Layún; Giovani dos Santos e Peralta.
Técnico: Miguel Herrera

Estádio: Castelão, em Fortaleza.
Data: 17 de junho de 2014
Horário: 16h
Árbitro: Cuneyt Cakir (Turquia)
Assistentes: Bahattin Duran e Tarik Ongun (ambos da Turquia

México 1 x 0 Camarões – Juizão tenta roubar a cena, mas Peralta salva mexicanos na estreia

Por Agência Futebol Interior
Natal, RN, 13 (AFI) – Apesar da Copa do Mundo ser no Brasil, o México parecia estar em casa. A Arena das Dunas, em Natal, contava com mais de 15 mil mexicanos que gritavam o tempo todo e ajudaram a equipe a vencer por 1 a 0.

Com a vitória, o México chegou aos três pontos conquistados e ocupa a segunda posição no Grupo A com a mesma pontuação do Brasil, próximo adversário. Já Camarões é o terceiro colocado com nenhum ponto.

JUIZÃO ROUBA A CENA
Diferentemente da partida entre Brasil e Croácia, México e Camarões fizeram uma partida muito mais aberta e com boas oportunidades de gol. Entretanto, quem roubou a atenção no confronto desta tarde foi a arbitragem comandada por Wilmar Roldan.

Logo aos 11 minutos, Giovani dos Santos abriu o placar, mas o bandeirinha marcou impedimento no lance. Após bola cruzada na área, o meia completou no canto do goleiro, mas o assistente parou o lance incorretamente, já que o jogador estava na mesma linha da defesa.

O gol mal anulado deu uma acalmada no ânimo da equipe, abrindo caminho para a seleção camaronesa atacar. Aos 15, Eto’o bateu no canto do goleiro mexicano, mas a arbitragem também assinalou impedimento do jogador. Dessa vez, o gol foi invalidado corretamente.

Apesar do gol anulado, Camarões melhorou na partida e quase abriu o marcador com o atacante do Chelsea. Eto’o recebeu na entrada da área e, de primeira, finalizou alto, no canto, mas a bola acertou a trave e saiu pela linha de fundo.

Aos 28 minutos, novamente a arbitragem roubou a cena da partida. Após escanteio levantado na área, a zaga de Camarões desviou a bola para trás e Giovani dos Santos apareceu livre para completar para o gol. Porém, o bandeirinha marcou impedimento do jogador, alegando que o desvio no meio da área foi de um atleta mexicano, quando na verdade foi de um jogador de Camarões.

Nos minutos finais, as duas equipes equilibraram as jogadas ofensivas, mas ninguém conseguiu abrir o placar. Camarões criou uma boa chance com Eto’o, principal nome da seleção, enquanto México teve oportunidade com Peralta no último lance.

MÉXICO MARCA E JUIZ… NÃO ANULA!
Na volta do intervalo, Camarões esteve melhor. Aos 12 minutos, Assou-Ekotto cobrou falta da entrada da área com força, mas a bola desviou na barreira e se perdeu pela linha de fundo. Porém, quem marcou primeiro foi o México, e dessa vem sem intervenção da arbitragem.

Aos 15 minutos de jogo, quando Camarões estava melhor na partida, Herrera deixou Giovani dos Santos na cara do gol, mas o goleiro africano fez a defesa. No rebote, Peralta apareceu no meio da área para compeltar para o fundo gol.

Com a vantagem no placar, o México aproveitou a entrada de Javier Hernández para tentar puxar rápidos contra-ataques. Entretanto, a equipe não conseguiu ampliar o palcar, mas também não sofreu com chances criadas pelo adversário.

No último lance da partida quase o empate de Camarões. Assou-Ekotto cruzou na cabeça de Moukandjo, que estava livre de marcação e tocou no canto direito de Ochoa. O arqueiro se esticou todo e fez boa defesa, garantindo a vitória por 1 a 0.

Próximos jogos
Na próxima rodada, o México encara a seleção do Brasil na próxima terça-feira, às 16 horas, no Estádio do Castelão, em Fortaleza. Já Camarões joga contra a Croácia, quarta-feira, às 19 horas, na Arena da Amazônia, em Manaus.

FICHA TÉCNICA

MÉXICO – Ochoa; Aguilar, Maza Rodríguez, Rafa Márquez, Héctor Moreno e Layún; José Vázquez, Herrera (Salcido) e Guardado (Marco Fabían); Giovani dos Santos e Oríbe Peralta (Javier Hernández). Técnico: Miguel Herrera

CAMARÕES: Itandje; Djeugoue (Nounkeu), Chedjou, N’Koulou e Assou-Ekotto; Song (Webo), Mbia e Enoh; Moukandjo, Choupo-Moting e Eto’o. Técnico: Volker Finke

GOL: Peralta, aos 15 do segundo tempo;
CARTÃO AMARELO: Héctor Moreno (México); Nonkeu (Camarões)
ÁRBITRO: Wilmar Roldan, da Colômbia
PÚBLICO: Não divulgado
RENDA: Não divulgado
LOCAL: Arena das Dunas, em Natal (RN)

Com Brasil favorito no grupo, México e Camarões fazem duelo direto pela 'segunda vaga'

Seleção comandada por Miguel Herrera acredita até em uma possível classificação como primeiro do grupo – Gazeta Press

A Arena das Dunas, em Natal, no nordeste brasileiro, vai receber um jogo decisivo logo em sua primeira rodada, válido pelo Grupo A. Nesta sexta-feira, México e Camarões duelam à partir das 13 horas em partida que será crucial para o futuro das equipes na Copa do Mundo . Como o Grupo A é o grupo do favorito Brasil, as três seleções que completam este grupo praticamente brigam por uma vaga e, por isso, o resultado desta sexta-feira é tão importante.

Após ser eliminado pela Argentina, por 3 a 1, nas oitavas de final do Mundial de 2010, na África do Sul, os mexicanos chegam empolgados à competição no Brasil. Fazendo sua preparação na cidade Santos, no mítico CT Rei Pelé, a seleção comandada por Miguel Herrera acredita até em uma possível classificação como primeiro do grupo. Na chegada ao palco do hoje, o treinador não escondeu a ansiedade para a estreia.

“Já começo a sentir um pouco de frio na barriga, dá vontade de ir ao campo ver os jogadores lutando. Mas a cada treino fico mais tranquilo, sei que cada um deixará a alma, a pele, a última gota de suor para conseguir o resultado, deixar os torcedores felizes. Eles têm a chance de entrar para a história. Isso me deixa entusiasmado”, disse Herrera. O fato de atuar às 13 horas e no Nordeste, não assusta os mexicanos. Nada parece tirar o foco na partida, nem mesmo o forte calor.

“Não tivemos dias tão quentes assim. Acredito que estamos acostumados, não nos preocupa tanto. Nos preocupa mais o futebol”, avisou o técnico. Após tanto mistério na semana que antecedeu a estreia dos mexicanos, quando até a Polícia Federal foi acionada para identificar espiões de treinos fechados, Herrera definiu o time com Ochoa no gol e Chicharito Hernandez no banco de reservas. O atacante do Manchester United e grande astro da torcida foi preterido em função do esquema 3-5-2, que será adotado pelo México em sua primeira partida.

REUTERS/Jorge Silva
Camarões promete dar trabalho ao mexicanos na Arena das Dunas e apagar a eliminação logo na 1ª fase, em 2010

Enquanto isso, a Seleção de Camarões chega para sua sétima Copa do Mundo como uma incógnita. Os jogadores do time africano que mais vezes participou do Mundial ameaçaram boicotar o torneio por causa da discussão sobre premiação junto à Federação local. Após muita polêmica, os jogadores desembarcaram no Brasil e, como não podia ser diferente, apostam todas as fichas em Samuel Eto’o.

O craque de 33 anos, que atualmente brilha pelo Chelsea, da Inglaterra, tem a responsabilidade de comandar uma equipe jovem e comandada pelo técnico alemão Volker Finke, que não confirmou a equipe que entrará em campo nesta sexta-feira, mas sofre com problemas extra-campo.

Na quarta-feira, a delegação camaronesa inteira, que conta com mais 100 profissionais, ficou retida no aeroporto de Natal porque os documentos dos atletas foram esquecidos no hotel em que a equipe está hospedada, em Vitória, capital do Espírito Santo. Mesmo assim, a seleção promete dar muito trabalho ao mexicanos na Arena das Dunas e apagar a eliminação logo na primeira fase, em 2010, com uma vaga nas oitavas de final em território brasileiro.

MÉXICO X CAMARÕES

MÉXICO
Guilhermo Ochoa; Héctor Moreno, Rafael Márquez e Maza Rodríguez; Miguel Layun, Paul Aguilar, José Juan Vázquez, Andrés Guardado e Héctor Herrera; Giovani dos Santos e Oribe Peralta.
Técnico: Miguel Herrera

CAMARÕES
Itanje; N’Koulou, Matip, Bong e Nyom; Loe, Enoh, Salli e Moukandjo; Eto’o e Aboubakar
Técnico: Volker Finke

Local: 
Arena das Dunas, em Natal (RN)
Data: 13 de junho de 2014, sexta-feira
Horário: 13 horas (Horário de Brasília)
Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia-Fifa)
Assistentes: Humberto Clavijo (Colômbia-Fifa) e Eduardo Diaz (Colômbia-Fifa)