Guerreiro

Náutico perde por 2×0 para o Flamengo e está fora da Copa do Brasil

Autor: Wladmir Paulino

Foto: André Nery/JC Imagem.

Um tanto de erros de finalização, um quanto de boa atuação do goleiro César e outra dose de qualidade do ataque do Flamengo fizeram com que o Náutico desse adeus à Copa do Brasil com a derrota por 2×0 na noite desta quarta-feira (15), na Arena Pernambuco. O time pernambucano não se furtou de jogar, mas esbarrou em alguns de seus defeitos. Para se ter uma ideia, foram 16 finalizações dos alvirrubros, mas só três delas em direção ao gol. O Flamengo mandou oito bolas para Júlio César. Cinco delas tiveram o endereço certo.

O Náutico oscilou entre a pressão alta e média – perto da área do Flamengo e no meio de campo – com isso manteve o Flamengo longe de seu gol e forçou muito os erros do adversário. Tanto que Guerrero, o jogador mais adiantado do time visitante, tocou pouquíssimo na bola na primeira metade da etapa inicial. O Náutico, que conseguia roubar a bola em momentos ótimos para engregar o contra-ataque, falhou muito no passe final, ora por pressa, ora por precipitação.

De tão amarrado, o jogo só conseguiu ter algo mais digno de registro nos dez minutos finais. Pelo Náutico, Douglas arrancou pelo meio mas chutou para fora. Pelo Flamengo, Sheik tentou duas vezes seguidas. Na primeira deu Júlio César. Na segunda, Flávio fez o bloqueio na hora certa. O Náutico optou por só sair na boa mas não perdeu o controle da partida em nenhum momento, tanto que nem precisou fazer muitas faltas para impedir que o adversário levasse mais perigo.

O Flamengo voltou para o segundo tempo e com a primeira tentativa de acelerar o jogo abriu o placar, aos cinco minutos. Numa boa triangulação, Éverton foi à linha de fundo e serviu Jorge. Livre, ele chutou forte para abrir o placar. Aí foi o Flamengo que adotou a tática da espera. Sheik recuou para compor o meio deixando Guerrero isolado entre os zagueiros alvirrubros. O Náutico preferiu ir na bola longa e assustou aos 14, quando Douglas ajeitou para Rogerinho chutar e César defender.

Após os 20 minutos, o timbu adiantou sua linha de meio de campo e passou a pressionar com organização. E perder gols aos borbotões. No mesmo minuto 28, Bergson e Douglas perderam cara a cara com César. Aos 31, a bola pererecou na frente da barra alvirrubra até Pará decidir afastar de cabeça. O time carioca encaixou o contra-ataque e Marcelo Cirino cruzou rasteiro. Quem vinha de frente era Guerrero, sem pressão. Chutou rasteiro, por baixo de Júlio César.

Não vamos colocar aquele velho chavão do ‘Quem não faz, leva’. O que impediu os alvirrubros de avançar na Copa do Brasil foi a diferença brutal de qualidade no setor ofensivo. Sheik, além de incomodar a defesa timbu, ajudou na marcação. E Guerrero, na única oportunidade frente a frente com o goleiro, não desperdiçou.

Ficha do jogo:

Náutico: Júlio César; Guilherme (Josimar), Diego, Fabiano Eller e Fillipe Soutto; João Ananias, William Magrao, Marino e Rogerinho (Renato); Stéfano Yuri (Bergson) e Douglas. Técnico: Lisca.

Flamengo: César; Pará, Marcelo, Wallace e Jorge; Jonas (Marcelo Cirino), Cáceres (Márcio Araújo), Canteros e Éverton (Arthur Maia); Emerson Sheik e Paolo Guerrero. Técnico: Cristóvão Borges.

Local: Arena Pernambuco. Horário: 22h. Árbitro: Cláudio Francisco Lima e Silva (SE). Assistentes: Luís Carlos Bezerra e Lorival Flores (ambos do RN). Gols: Jorge, aos cinco do segundo. Cartões amarelos: Fillipe Soutto, Emerson Sheik, Éverton, Jorge, Pará, Marcelo Cirino e Cáceres.