Jules Bianchi

Em um GP comovente, Hamilton é o primeiro a vencer em Sochi

Hamilton vence pela nona vez na temporada – Por F1Team

A 16ª etapa da temporada abriu com a estreia da Rússia no circo da Fórmula 1. E como algo novo, Sochi poderia ter sido cercada somente por momentos alegres. No entanto, o clima de pesar, de comoção, tomou conta do início da corrida.  As homenagens a Jules Bianchi vieram de todas as partes. Das equipes, dos pilotos que formaram um circulo de oração antes da volta de apresentação e da sua equipe – Marussia –  que levou todos os seus funcionários para a linha de largada e exibiram a placa “Racing for Jules” (“correndo por Jules” – em livre tradução).

Com todas as homenagens devidamente prestadas, Hamilton cravou seu nome no GP russo. O inglês se tornou o primeiro piloto a vencer no traçado de Sochi. Largando na ponta, Lewis conseguiu sustentar a pole apenas por alguns segundos, até ser ultrapassado por seu companheiro de equipe que, antes, travou seus compostos.

Como Nico teria passado reto, o time da Mercedes obrigou o piloto a devolver a posição ao líder do campeonato. Na sequência, Rosberg foi obrigado a entrar nos boxes e efetuar sua primeira troca de pneus.

Depois desse susto, nada conseguiu frear a soberania de Hamilton, que correu com folga até receber a quadriculada em primeiro lugar. Rosberg, que tinha voltado nas últimas posições, fez uma corrida excepcional. Escalou quase todo o grid e terminou a corrida no segundo posto. Com mais essa dobradinha, a esquadra da Mercedes conquistou o Mundial de Construtores com quatro provas de antecedência.

Em terceiro lugar apareceu Valtteri Bottas. O outro piloto da Williams – Felipe Massa – concluiu a etapa russa em 11º.

A corrida:

Chegamos ao GP da Rússia com uma bela homenagem dos pilotos ao jovem Jules Bianchi. O francês sofreu um grave acidente na etapa anterior, no Japão, e ainda está em coma em estado crítico. Antes de tudo começar, os pilotos formaram um grande círculo de oração no grid, passando, assim, força para o francês e seus familiares. A Marussia reuniu seus funcionários na linha de largada e exibiu a placa “Racing for Jules” (que significa “correndo por Jules” – em livre tradução).

Pilotos fazem roda de oração por Bianchi antes da largada

Pilotos fazem roda de oração por Bianchi antes da largada

Com as homenagens feitas, os carros seguiram para a volta de apresentação. A expectativa girava em torno da disputa particular entre os dois carros da primeira fila. Com o favoritismo da pole confirmada, Lewis Hamilton, líder do campeonato, teria que segurar o ímpeto do seu companheiro de equipe – Nico Rosberg – que estava logo atrás.

E a largada foi impressionante! Com a luz verde acionada, Hamilton até que permaneceu na frente por alguns segundos. Na sequência, Nico Rosberg conseguiu ultrapassar seu companheiro de equipe antes de completar a segunda curva, mas passou reto e foi informado pela equipe que teria que devolver a posição para o Inglês. Além disso, Nico teve os pneus comprometidos durante a largada e foi obrigado a entrar nos boxes.

Massa também entrou cedo para trocar seus compostos. A estratégia da Williams era que o piloto brasileiro permanecesse na pista até o final da prova.

Com cinco voltas completadas, os dez primeiros eram: Hamilton, Bottas, Button, Alonso, Magnussen, Vettel, Ricciardo, Vergne, Raikkonen e Kvyat.

Com a volta mais rápida (1min44s080), Hamilton já seguia abrindo 2s de vantagem para o segundo colocado. Isso na volta de número 7.

A superioridade de Hamilton era clara no traçado russo. O piloto inglês seguia voando baixo em Sochi. A distância entre ele e Valtterri Bottas, segundo colocado, chegou a 3s3.

O primeiro piloto a deixar o GP da Rússia prematuramente foi o da Marussia, Max Chilton. Segundo a equipe, o carro pode ter sofrido com uma falha no freio e na suspensão.

Felipe Massa, que tinha alinhado na 18ª posição, fez uma excelente prova de recuperação. Após voltar em último por ter parado nos boxes, o brasileiro tomou conta da 12ª posição, bem atrás de Nico Rosberg. Isso na volta de número 18.

Na volta 20, o top-10 formava com: Hamilton, Bottas, Button, Alonso, Magnussen, Vettel, Vergne, Raikkonen, Kvyat e Nico Rosberg.

Rosberg, no giro 21, já entrava na zona de pontuação. Com a ultrapassagem em cima de Sergio Pérez, o piloto alemão assumiu a décima colocação. Massa seguiu colado no mexicano.

Hamilton continuou liderando com facilidade. Na volta 27, ele já colocava um pouco mais de 12s em cima do segundo colocado, Valtteri Bottas. Nico escalava o pelotão da frente, e já era o sétimo colocado. Massa não conseguia deixar Sergio Pérez para trás e continuava na 11º posição.

Contrariando a ideia de uma parada só, Massa voltou para os boxes na 28ª volta e retornou para a pista na frente do mexicano Sergio Pérez.

Com 30 voltas completadas, a corrida em Sochi se resumia mesmo entre os carros da Mercedes. Com Hamilton na ponta, era a vez de Nico pisar fundo. O alemão já estava na quarta posição.

Nesse ponto, os dez primeiros eram: Hamilton, Vettel, Magnussen, Rosberg, Button, Magnussen, Alonso, Ricciardo, Gutiérrez e Kimi Raikkonen.

Incrível a corrida feita por Nico Rosberg. Largando em segundo, obrigado a entrar nos boxes logo nas voltas inicias para efetuar uma troca de pneus, voltou para a pista nas últimas posições, pisou fundo, escalou todo o pelotão da frente e assumiu a segunda posição na volta de número 31.

Restando 20 voltas para o final, a distância entre os dois pilotos da Mercedes era de 19s7.

Mesmo com Nico Rosberg fazendo a melhor volta da prova (1min42s770), e andando em um ritmo melhor que seu companheiro de equipe, o alemão só encostaria em Hamilton se o carro de segurança entrasse na pista.

Após 45 giros no traçado de Sochi, os dez primeiros eram: Hamilton, Rosberg, Bottas, Button, Magnussen, Alonso, Ricciardo, Vettel, Raikkonen e Sergio Pérez.

Com sete voltas para o fim do GP, Hamilton seguia sobrando na pista. A distância entre o inglês e o segundo colocado era de 19s. Além de ter aumentado seu ritmo, Lewis também cravou a melhor volta da prova (1min41s853).

Com duas voltas para o fim, Hamilton seguiu pisando fundo no acelerador. O inglês não estava acomodado e cravou, novamente, a melhor volta da corrida (1min41s606). Mas não demorou muito e, em seguida, Bottas desbancou o tempo de Lewis (1min41s544). Na reta final, Rosberg tirou o melhor tempo que era da Williams. Mas, no último giro, o finlandês cravou 1:40.896 e ficou com a volta mais rápida.

Sem dar chances para os adversários, Hamilton confirmou todo favoritismo em Sochi e cravou sua nona vitória na temporada. O primeiro GP da Rússia tem o nome do inglês no ponto mais alto do pódio. Na segundo posição, e fazendo uma prova de recuperação espetacular, cruzou Nico Rosberg. O terceiro lugar no pódio foi ocupado por Valtteri Bottas. O brasileiro Felipe Massa, após largar na 18º posição, terminou a etapa russa em 11º.

GP Rússia

Jules Bianchi é levado inconsciente a hospital após gravíssimo acidente

Por Suzuka, Japão

O francês Jules Bianchi, da Marussia, sofreu um grave acidente a dez voltas do fim do GP do Japão de Fórmula 1, disputado sob uma forte chuva. O piloto de 25 anos atingiu um guindaste que removia a Sauber de Adrian Sutil na saída da curva 130R do circuito de Suzuka. Inconsciente, Bianchi foi levado ao centro médico do circuito e logo transferido para o Hospital Universitário de Mie, localizado a 17km do circuito. Por causa das condições climáticas, a equipe médica da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) preferiu fazer o transporte de ambulância, e não de helicóptero. Em razão da gravidade do acidente, a transmissão oficial da F-1 evitou exibir imagens do acidente e do resgate.

– O piloto não está consciente e foi levado para o hospital de ambulância porque o helicóptero não pôde decolar nessas condições. Mais atualizações em breve. No momento não podemos dizer nada. Manteremos vocês atualizados o mais rápido que pudermos – informou Matteo Bonciani, porta-voz da Federação Internacional de Automobilismo.

Acidente de Jules Bianchi no GP do Japão (Foto: Getty Images)
Acidente de Jules Bianchi no GP do Japão (Foto: Getty Images)

Sutil, que foi testemunha do acidente de Bianchi, confirmou a gravidade da situação, mas preferiu não se alongar:

– A situação de Bianchi é crítica. Espero que ele esteja em boas mãos. Eu estava em pé ali perto. Não quero dar detalhes – disse o piloto da Sauber.

Jules Bianchi bateu com Marussia em trator durante GP do Japão (Foto: Getty Images)Jules Bianchi bateu com Marussia em trator durante GP do Japão (Foto: Getty Images)

Acidente Bianchi GP Japão Fórmula 1 (Foto: Getty Images)
Adrian Sutil foi testemunha do acidente de Jules Bianchi em Suzuka (Foto: Getty Images)

O acidente ocorreu a nove voltas do fim e a corrida foi paralisada com bandeira vermelha. Um carro médico entrou rapidamente no circuito para efetuar os primeiros atendimentos ao piloto. Detectada a gravidade, uma ambulância foi acionada. Jules não respondia às mensagens do rádio, o que logo gerou apreensão na equipe Marussia. O temor tomou conta do paddock. Os semblantes de pilotos, mecânicos e dirigentes denunciavam o clima de tensão.

Acidente de Jules Bianchi no GP do Japão (Foto: Getty Images)
Acidente de Jules Bianchi no GP do Japão (Foto: Getty Images)

A cerimônia do pódio foi realizada por protocolo, mas não contou com o tradicional champanhe. A vitória ficou com Lewis Hamilton (Mercedes). Nico Rosberg (Mercedes) e Sebastian Vettel (RBR) completaram o pódio. Felipe Massa terminou em 7º.

Classificação Mundial de Pilotos F1 2014

Mudanças no regulamento

Temporada de Fórmula 1 de 2014 será a 65ª temporada Fórmula 1 FIA. A temporada terá 19 etapas.

Uma das mudanças no regulamento é a adoção de novos motores turbocomprimidos V6 de 1600 cilindradas.

Por questão de segurança, a Comissão da Fórmula 1 concordou com uma alteração nos regulamentos desportivos de 2013, permitindo que o fornecedor de pneus realize uma sessão de três dias de testes no Bahrain, entre 17 e 19 de dezembro de 2013. Todas as equipes de categoria foram convidadas a participar do teste e seis aceitaram: RBR, Mercedes, Ferrari, McLaren, Force India e STR.

Cada piloto poderá escolher seu número, que pode variar entre 2 e 99, para servir como sua identificação ao logo de sua carreira no Campeonato. O número 1 será reservado para o campeão mundial em exercício, que poderá usá-lo se assim desejar. Se mais de um piloto escolher o mesmo número, a prioridade será dada ao competidor que tenha alcançado a melhor posição no Mundial do ano anterior.

Foi acordada entre os times uma penalização de cinco segundos para as infrações menores. A forma pela qual estas sanções serão aplicadas ainda está em discussão, para que estas sejam introduzidas junto ao novo regulamento para a temporada 2014.

Com o intuito de manter a disputa pelo título aberta até a última prova, a corrida final da temporada dará o dobro de pontos aos pilotos e construtores.

Mundial De Pilotos

CLASSIFICAÇÃO PONTOS VITÓRIAS PÓDIOS POLES MELHORES VOLTAS
1Lewis Hamilton (ING/Mercedes) 384 11 16 7 7
2Nico Rosberg (ALE/Mercedes) 317 5 15 11 5
3Daniel Ricciardo (AUS/RBR-Renault) 238 3 8 0 1
4Valtteri Bottas (FIN/Williams-Mercedes) 186 0 6 0 1
5Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) 167 0 2 0 0
6Fernando Alonso (ESP/Ferrari) 161 0 4 0 2
7Felipe Massa (BRA/Williams-Mercedes) 134 0 3 1 1
8Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) 126 0 1 0 0
9Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes) 96 0 0 0 0
10Sergio Pérez (MEX/Force India-Mercedes) 59 0 0 0 1
11Kevin Magnussen (DIN/McLaren-Mercedes) 55 0 1 0 0
12Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) 55 0 0 0 1
13Jean-Eric Vergne (FRA/STR-Renault) 22 0 0 0 0
14Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) 8 0 0 0 0
15Daniil Kvyat (RUS/STR-Renault) 8 0 0 0 0
16Pastor Maldonado (VEN/Lotus-Renault) 2 0 0 0 0
17Jules Bianchi (FRA/Marussia-Ferrari) 2 0 0 0 0
18Adrian Sutil (ALE/Sauber-Ferrari) 0 0 0 0 0
19Marcus Ericsson (SUE/Caterham-Renault) 0 0 0 0 0
20Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) 0 0 0 0 0
21Max Chilton (ING/Marussia-Ferrari) 0 0 0 0 0
22Kamui Kobayashi (JAP/Caterham-Renault) 0 0 0 0 0

PONTOS – – VITÓRIAS – – PÓDIOS – – POLES – – MELHORES VOLTAS – –

 

Mundial De Construtores

CLASSIFICAÇÃO PONTOS
1Mercedes 701
2RBR-Renault 405
3Williams-Mercedes 320
4Ferrari 216
5McLaren-Mercedes 181
6Force India-Mercedes 155
7STR-Renault 30
8Lotus-Renault 10
9Marussia-Ferrari 2
10Sauber-Ferrari 0
11Caterham-Renault 0

PONTOS – –