Lisca

Náutico dá vexame e perde de virada para o lanterna Mogi Mirim, saindo do G4

 por: Cassio Zirpoli

A campanha do Mogi Mirim era vexatória (ainda é), com três empates e sete derrotas em dez rodadas. Nenhuma vitória. A fragilidade em campo e a falta de apoio fora dele, sempre às moscas, eram indicações claras para o Náutico buscar mais um resultado positivo fora de casa, consolidando sua campanha. Neste contexto, diante do lanterna da Série B, nem o empate. Pois o Timbu chegou a ficar à frente, num gol de de Douglas aos 30 minutos, em sua primeira investida, mas o saldo final foi decepcionante, custando até o lugar no G4.

No apito final, a comemoração pernambucana foi apenas de Rivaldo, de 43 anos. Presidente do Sapão, o melhor do mundo em 1999 se escalou numa tentativa de motivar seus atletas. Fisicamente, estava muito além da demanda exigida na Segundona. No segundo tempo, cansou como se esperava, sendo substituído por Gustavo, seu genro (!). Com onze jogadores “efetivos” em campo, o Mogi melhorou e incomodou a meta de Júlio César, ganhando as disputas no meio (63% de posse, segundo o Footstats) e finalizando bastante (21 x 5, no geral). Coube a Serginho, aos 25 e 42 minutos, virar a partida, 2 x 1.

O grupo timbu acusou o golpe, saindo cabisbaixo, com o discurso natural (e correto) de que “ganham todos, perdem todos”. Ao mesmo plantel, vale retomar a pegada já no sábado, no Clássico das Emoções, com mais pressão em campo e fora. Um jogo no qual Lisca terá o desfalque do lateral-esquerdo Gastón, expulso em Mogi. Outro ponto negativo numa noite para esquecer.

Série B 2015, 11ª rodada: Mogi Mirim 2x1 Náutico. Foto: Denny Cesare/Código19/Agência O Globo

Náutico tenta novo começo diante do Central

Autor: Wladmir Paulino

Sob nova direção o Náutico tenta começar uma nova história no Campeonato Pernambucano a partir do jogo contra o Central, neste domingo (8), às 18h30, na Arena Pernambuco, pela sétima rodada do hexagonal do título. Atualmente o timbu é o vice-lanterna da competição com seis pontos e apenas uma vitória. Já o Central é o vice-líder com dez pontos e vem de um triunfo importante: venceu o até então cem por cento Sport, há uma semana, no Luiz Lacerda.

A única novidade no time alvirrubro estará no banco de reservas, mas a torcida espera que ela se reflita dentro das quatro linhas. Dez meses depois de sair, o técnico Lisca está de volta. Ele já adiantou que o time será o mesmo que empatou com o Piauí na quinta-feira (5), pela Copa do Nordeste, mas com um posicionamento diferente que ele pretende dar em alguns setores.

Palavra do professor

Foto: Guga Matos/JC Imagem

Foto: Guga Matos/JC Imagem

“Estou muito feliz em retornar. Se estou voltando é porque alguma coisa boa fiz no passado. Já temos algumas informações sobre o Central e nesse jogo vou pensar muito com a cabeça do Levi e do Kuki, tentando acrescentar algumas coisas”.

O cara – Patrick Vieira

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

O meia foi um dos poucos que escapou de críticas no empate com o Piauí. Autor de dois gols deve virar a referência da equipe. Embora não tenha treinado no sábado (7) por conta do CK alto não vai ficar de fora de um jogo tão importante.

Fique de olho – Guilherme
Aos 20 anos, o lateral alvirrubro chegou de Carpina para o Náutico achando que atuaria na meia, sua posição de origem. Isso só veio acontecer este ano, quando ganhou oportunidade no profissional. Mas quis o destino que no primeiro jogo como titular, voltaria para o lado direito, posição que o Náutico vem encontrando dificuldade de ter um ‘dono’ há algum tempo. “Estou me readaptando na lateral. Acho que fui bem contra o Piauí. No segundo tempo participei dos nossos dois primeiros gols.”

O adversário – Com o status da vice-liderança, o Central vem a São Lourenço da Mata para consolidar sua posição no G4 e abrir distância da concorrência. O técnico Laelson Lima tem o desfalque do volante Fernando Pires, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. O meia Luiz Fernando é dúvida, pois sentiu uma fisgada na coxa contra o Sport e está em recuperação. Em compensação o volante Jucemar está liberado, recuperado de contusão.

Ficha do jogo:

Náutico: Júlio César; Guilherme, Diego, Elivélton e Gastón Filgueira; João Ananias, Fillipe Soutto, Helder Ribeiro e Bruno Alves; Patrick Vieira e Renato. Técnico: Lisca.

Central: Beto; André, Sinval e Everton; Fabinho, Natan, Jucemar, Madona e Thiago Laranjeira; Candinho e Fabiano. Técnico: Laelson Lima.

Local: Arena PE. Horário: 18h30. Árbitro: Ana Karina Marques. Assistentes: Fernanda Colombo e Karla Renata Cavalcanti. Ingressos: sócio R$ 20, R$ 50 (inteira), meia-entrada R$ 25, assentos premium R$ 120.

Náutico faz mistério para jogo contra o Sampaio Corrêa

Autor: Marina Padilha

Para não dar pistas ao adversário, o técnico do Náutico preferiu manter segredo sobre a escalação do time que entra em campo neste sábado, às 16h10, contra o Sampaio Corrêa. A partida é válida pela 30ª rodada da Série B e acontece no estádio Castelão, em São Luís (MA). De acordo com Dado Cavalcanti, o Tricolor de Aço costuma se organizar de acordo com a formação do adversário. Isso somado ao fato de que o atual treinador da equipe maranhense é Lisca, que comandou os alvirrubros no primeiro semestre levou os alvirrubros a optar por um treino secreto na última quinta, no CT Wilson Campos.

Na tabela da Segundona, o Náutico ocupa a sétima colocação, com 44 pontos somados até agora. Já o Sampaio está na nona posição, com um ponto a menos.

O objetivo de todo esse mistério e dar o mínimo de informações sobre o time titular ao técnico adversário. A única garantia é o retorno de Vinicius ao meio-campo. Na última rodada, o jogador estava suspenso porque levou o terceiro cartão amarelo na competição.

Na lateral-direita, Neilson foi escalado no coletivo da última quarta e dado como certo entre os titulares, substituindo Rafael Cruz, agora suspenso por ter levado o terceiro amarelo. Mas quem também pode pintar na vaga é Deivid, jovem da base que ainda não estreou entre os profissionais.

Mas é no ataque a maior dúvida de Dado Cavalcanti. Contando com o retorno de Marinho, que passou um mês se recuperando de uma lesão na coxa direita, o treinador tem à sua disposição outros quatro jogadores: Sassá, Bruno Furlan, Tadeu e Crislan, todos disputando três vagas no ataque alvirrubro.

Quem pode decidir?

Foto: Edmar Melo/Acervo JC Imagem

Foto: Edmar Melo/Acervo JC Imagem

Sassá. São sete gols marcados pelo Timbu na Série B. Assim, o atacante é o artilheiro do time na competição. Para o jogador, a confiança do técnico Dado Cavalcanti o proporcionou uma sequência de jogos e, consequentemente, bom desempenho em campo.

Fiquei de olho

Foto: Alexandre Gondim/Acervo JC Imagem

Foto: Alexandre Gondim/Acervo JC Imagem

Tadeu. Contestado pela torcida desde que chegou ao clube, o jogador é o vice-artilheiro do time na competição, com 4 gols marcados até agora. Em paz com a torcida, o atacante se firmou entre os titulares do treinador alvirrubro.

Palavra do técnico

Foto: Alexandre Gondim/Acervo JC Imagem

Foto: Alexandre Gondim/Acervo JC Imagem

“Vamos enfrentar um adversário que se molda muito em relação aos times que enfrenta. Por isso preferi fechar o treino. Estamos colhendo informações do Sampaio Corrêa e vou esperar ele se definir para depois agir. Quanto menos exposição nesse momento na competição, melhor pra gente. Como tenho esse direito, prefiro fazer o treino dessa forma”.

Adversário

Lisca, ex-técnico do Náutico, treina o Tricolor de Aço atualmente. Foto: JC Imagem

Lisca, ex-técnico do Náutico, treina o Tricolor de Aço atualmente. Foto: JC Imagem

Suspenso pelo STJD por ter invadido o gramado para reclamar da arbitragem na partida contra o Vasco, pela 25ª rodada da Série B, o técnico Lisca está suspenso da partida contra o Náutico. Outro desfalque importante é o meia Eloir que sofreu uma lesão na coxa esquerda. Valber, seu substituto, sentiu um desconforto muscular e foi poupado do treino pelo departamento médico, por isso ainda não há confirmação se ele vai ser relacionado ou não. Sem os dois jogadores, o meio-campo deve vir formado pelos volantes Marino, Jonas e Uilian.

Ficha Técnica: Sampaio Corrêa x Náutico

Sampaio Corrêa: Rodrigo Ramos; Tote, Mimica, Edimar e Gilton; Jonas, Uillian Corrêa, Marino e Cascata; Pimentinha e Willian Paulista. Técnico: Lisca.

Náutico: Júlio César; Neílson, Renato Chaves, William Alves e Raí; João Ananias, Paulinho e Vinícius; Sassá, Bruno Furlan e Tadeu. Técnico: Dado Cavalcanti.

Campeonato Brasileiro – Série B (30ª rodada). Estádio: c, em São Luís (MA). Sábado (18), às 16h10. Árbitro: Edivaldo Elias da Silva (PR). Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Jander Rodrigues Lopes (AM).

Lisca não é mais o técnico do Náutico

Autor: Thiago Wagner

Em entrevista para a reportagem do Jornal do Commercio, o presidente do Náutico, Glauber Vasconcelos, confirmou que foi o técnico Lisca quem pediu para deixar o clube, nesta quarta-feira. De acordo com o mandatário, o treinador alegou que era o momento certo para deixar o Timbu. Vasconcelos tentou convencê-lo a ficar, mas não teve sucesso.Glauber Vasconcelo - Presidente do náutico

“Quando cheguei para a nossa reunião semanal, Lisca estava lá e pediu pra falar comigo. O recebi com Durval Valença (vice-presidente) e tentamos durante uma hora demovê-lo da ideia de ir embora. Até insisti, perguntei a ele se o problema era com algum jogador ou com um membro da comissão técnica, mas ele preferiu não comentar por respeito. Ele (Lisca) só disse que o momento certo de sua saída era esse e que seria bom para o Náutico e pra ele próprio. Falamos que tínhamos um plano de continuidade de dois anos para ele no clube, e reiteramos o valor que temos por sua pessoa. Mas Lisca já estava decidido, inclusive já tinha falado com a sua família”, afirmou Glauber.

O presidente alvirrubro lamentou a saída de Lisca, mas desejou muita sorte para ele. “Desejamos toda a felicidade para ele, que é um cara honesto e muito trabalhador. Infelizmente, ele pediu pra ir embora. Lisca é um profissional muito sério. As pessoas não foram muito justas nesses quatro meses com ele”.

Glauber ainda falou sobre o próximo técnico do clube. Ele, porém, negou que Vica, ex-Santa Cruz esteja na lista de pretendidos pelo Alvirrubro.

Náutico vai para cima do Botafogo para confirmar boa fase

Lisca tem apenas uma dúvida no ataque do Náutico. Treinador acredita que time está evoluindo a casa jogo/Foto: JC Imagem

Por Marcelo – Blog do Torcedor

Depois do imbróglio judicial e da viagem perdida a Goianinha, no Rio Grande do Norte, o Náutico, enfim, entra em campo na noite desta quinta-feira, para encarar o Botafogo-PB, pela Copa do Nordeste. Ao invés de jogar fora de casa, como estava previsto na tabela, o Timbu encara o time paraibano diante do seu torcedor, na Arena Pernambuco, a partir das 21h30. O técnico Lisca trabalhou bastante para que a frustração da suspensão da partida não tirasse o foco dos jogadores para o duelo. Ele quer a equipe com a mesma pegada apresentada no clássico contra o Sport, quando a equipe venceu na Ilha do Retiro.

Para a partida, o técnico Lisca vai praticamente manter a mesma equipe que venceu o Leão. A única dúvida está no ataque: Marinho ou Marcelinho. O primeiro havia deixado o clássico contundido, mas se recuperou, treinou bem e tem condições de jogo. Marcelinho ainda não fez sua estreia com a camisa alvirrubra e vem agradando ao treinador nos treinos da semana. “O grupo está sendo montado e eu já previa que Hugo e Marcelo iriam fazer um revezamento. Até porque temos uma sequência difícil pela frente e precisamos nos preparar bem para a temporada inteira. Então, essa concorrência é muito boa. Era bom que acontecesse em todas as posições, porque assim, quando a gente mudasse, não haveria queda de rendimento”, declarou o treinador.

A suspensão da partida contra o Botafogo-PB, na Paraíba(a CBF marcou para a próxima terça-feira, num Almeidão de portões fechados), acabou trazendo um benefício para o técnico alvirrubro. Jogadores que estavam praticamente vetados para a partida, ganharam condições e vão para o jogo. Além do atacante Hugo, o lateral-esquerdo Gerley, que estava fora, ganhou condições e será o titular da equipe. No entanto, o zagueiro Romário e o atacante Roberson continuam no departamento médico e seguem fora da equipe. A vitória sobre o Sport, na última rodada, deu mais confiança ao grupo. Os atletas acreditam que podem repetira a dose, vencer o Botafogo e confirmar a boa fase. “Esse grupo de margem de crescimento. Agregramos jogadores que vislumbram coisas melhores e isso é muito importante. A evolução acontece aos poucos, a cada jogo nós ganhamos mais condições de colocar um bom futebol em prática”, declarou Rodrigo Possebom, titular da equipe.

O técnico Lisca pensa da mesma forma que o seu comandado. Mas não quer perder tempo. Por conta da sequência intensa de jogos, o treinador vai aproveitando os dias de treino para comandar atividades para agrupar o elenco. “Nós estamos encarando dificuldades desde que começamos a trabalhar. Cheguei como desconhecido, inexperiente, louco. A diretoria também assumindo o clube, dinheiro curto para montar o elenco. Então, estamos otimizando o tempo e estou gostando porque os jogadores compraram a briga. Todos estão respondendo de forma muito positiva quanto ao foco. E nosso foco é chegar aos dez pontos para conseguir a nossa classificação”, disse o treinador.

Adversário

Para encarar o Náutico na Arena Pernambuco, o técnico Marcelo Vilar fez algumas mudanças no time do Botafogo-PB. Depois de se recuperar de uma pneumonia, o lateral-esquerdo Celico reassume a posição.  Já o volante Pio é desfalque. O jogador vai ter que cumprir suspensão automática por ter sido expulso na partida contra o Guarany de Sobral. Leomir entra na equipe.

Ficha técnica

Náutico: Gideão; João Ananias, William Alves, Flávio e Gerley; Rodrigo Possebon, Elicarlos, Zé Mário, Yuri Naves e Marinho; Marcelinho (Hugo).Técnico: Lisca.

Botafogo-PB: Remerson, Ferreira, Igor, Walter e Celico; Zaquel, Hércules, Leomir e Lenílson; Rafael Aidar e Frontini. Técnico: Marcelo Villar.

Local: Arena Pernambuco.Horário: 21h30. Árbitro: Cláudio Silva (SE). Assistentes: Cleriston Rios e Victor Cruz (ambos de SE). Ingressos: de R$ 20 a R$ 150.

Lisca sabe da pressão que sofrerá no Náutico e encara como desafio

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem –  POR THIAGO WAGNER DA SILVA

Desconhecido de boa parte do torcedor alvirrubro, o novo técnico do Náutico, Lisca, sabe da pressão que é assumir o Timbu neste exato momento, principalmente no que diz respeito aos resultados. No entanto, ele encara a situação com naturalidade, mais como um desafio. “Eu tenho minha carreira construída basicamente no Rio Grande do Sul. Recebo essa proposta do Náutico mais como uma oportunidade de mostrar meu trabalho em outros mercados”, disse ele ao Blog do Torcedor durante a semana.

De fato, Lisca  será cobrado como qualquer outro técnico que tivesse vindo para o Alvirrubro. O que pode pesar contra ele é o ‘nome de pouco impacto’. Em tese, a paciência por uma derrota um clássico ou por um erro cometido será menor do que com um técnico ‘medalhão’, por exemplo.

O trabalho no Juventude, todavia, indica que o novo comandante sabe lidar com pressão – tirou o Juventude da Série D depois de um longo período dos gaúchos na quarta divisão. Claro que no Náutico, o nível de exigência é maior, principalmente após a péssima campanha na Série A, onde o Timbu foi o lanterna.

Montagem do time com peças de trabalhos anteriores e da base

No que diz respeito à montagem da equipe, Lisca pretende indicar alguns nomes que trabalharam com ele no Juventude. O nome do lateral-esquerdo Gerley aparece forte junto com o do volante Rafael Pereira, que esteve no Sport no fim da Série B deste ano. “Devemos contar com alguns jovens atletas que atuaram no futebol gaúcho no últimos tempo”, afirmou. Além disso, a base deverá ser valorizada.