Malasia

Em dobradinha da Mercedes, Hamilton vence GP da Malásia

Por F1team

A segunda prova da temporada teve um início bem diferente dos treinos classificatórios. No dia anterior, a chuva marcou presença castigando o traçado de Sepang, o que dificultou consideravelmente a formação do grid. E nesse temporal, quem garantiu a pole position, pela segunda vez em duas corridas, foi o inglês da Mercedes, Lewis Hamilton. Cinco centésimos mais rápido que o segundo colocado.

Hamilton crava a primeira posição na Malásia

Hamilton crava a primeira posição na Malásia

Na segunda posição do grid, apareceu o surpreendente carro guiado por Sebastian Vettel. O bólido, que antes era problemático, apareceu entre as duas Mercedes, dando sinais de que o RB10 não pode ser descartado como um adversário de peso. Mesmo que nesse início de campeonato. No P3 largou Nico Rosberg, que não conseguiu repetir o mesmo desempenho na pista molhada. O brasileiro Felipe Massa alinhou na 13º posição do grid.

Em uma corrida monótona, e sem a temerária chuva, ninguém conseguiu ameaçar o carro da Mercedes guiado por Lewis Hamilton. Que liderou a prova de ponta a ponta. Soberano na pista, o driver inglês somou a sua primeira vitória na temporada, e fez valer a superioridade da equipe Mercedes nesse início de campeonato.

Na segunda posição veio o seu companheiro de equipe – Nico Rosberg – que “sofreu” para garantir o degrau número dois no pódio. Logo atrás dos carros Mercedes, apareceu Sebastian Vettel, que de forma enigmática não sofreu nenhum problema com o RB10. Avisando a todos que os carros austríacos estão vivos na competição.

A mesma sorte não teve Daniel Ricciardo, que observou uma lambança de sua equipe nos boxes. Em um erro dos mecânicos em colocar a roda dianteira esquerda, que ficou solta a poucos metros dos boxes. Como punição por ter sido liberado de forma irregular, o australiano teve que parar por 10s. O brasileiro Felipe Massa mesmo largando na 13º posição, fez uma corrida burocrática e terminou a segunda etapa do calendário na sétima posição.

A corrida:

Com quase todos os carros alinhados no grid – Sergio Pérez largou dos boxes – os pilotos viviam a expectativa da luz verde em Sepang. Com a corrida liberada, e dessa vez com a presença do sol, Lewis Hamilton conseguiu segurar o ímpeto dos rivais mantendo a primeira colocação. O mesmo não fez Vettel, que perdeu o segundo posto para Rosberg, que tentou partir pra cima do companheiro de equipe, em vão. Ricciardo que não tinha nada a ver com isso, aproveitou e também passou pelo germânico.

Antes de completar a primeira volta, já tivemos o primeiro incidente. Pastor Maldonado e Jules Bianchi foram os protagonistas. Quem fez uma bela largada foi Felipe Massa, que conseguiu pular para a nona posição. Na terceira volta, os cinco primeiros eram: Hamilton, Rosberg, Ricciardo, Vettel e Alonso.

Três giros depois, o inglês que seguia na ponta já fazia a primeira volta mais rápida do dia, 1min47s428. Os incidentes envolvendo Maldonado e Bianchi, Raikkonen e Magnussen estavam sobre investigação. O primeiro punido nesta lambança foi Jules, que foi obrigado a passar pelos boxes.

Com dez voltas completadas os dez primeiros eram: Hamilton, Rosberg, Vettel, Ricciardo, Alonso, Hulkenberg, Button, Massa, Bottas e Grosjean.

No 12º giro, a diferença entre o ponteiro e Rosberg já passava dos seis segundos de vantagem. Na volta seguinte, o brasileiro Felipe Massa fez sua primeira parada nos boxes. Ricciardo também entrou pra fazer sua troca de pneus. Na saída dos boxes, o australiano apareceu atrás de Vettel e na frente de Alonso.

Como a corrida andava monótona, na volta 18, de forma bem marota, estilo GP2, Ericsson soltou o carro pra cima de Vergne na tentativa de proteger sua posição. E quem se aproveitou foi o ferrarista Kimi Raikkonen, que ficou no meio dos dois.

Na vigésima volta os dez primeiros eram:  Hamilton, Rosberg, Vettel, Ricciardo, Alonso, Hulkenberg, Button, Massa, Kvyat e Bottas.

Com problemas no fluxograma Ricciardo foi obrigado a ser menos agressivo. E olhe que ainda nem chegamos na metade da prova. Na 23º volta, foi a vez de Vergne abandonar a etapa malaia. Nessa contagem também seguiam: Bianchi, Maldonado e Pérez.

Sem emoção o GP da Malásia viu o jovem Kevin Magnussen cravar a melhor volta da prova. 1m46s110, isso no giro 29. De forma surpreendente, Pastor Maldonado trazia o carro da Caterham na 12º posição. Na volta seguinte, um bom duelo contra o carro da Lotus guiado por Grosjean. O driver venezuelano não facilitou a vida do francês, que penava pra realizar sua ultrapassagem. E na volta 31, de forma inteligente, Grosjean fez sua ultrapassagem na reta dos boxes.

Com previsão de chuva na reta final da prova, as equipes já começavam a se preocupar com o mal tempo em Sepang. Tanto que a Mercedes pediu para o líder da prova, Lewis Hamilton, retardar sua segunda parada. Vettel não fez o mesmo e resolveu parar antes. Na volta, o tedesco apareceu na quarta posição, logo atrás da Mercedes de Rosberg.

Na volta 35 a Sauber de Sutil parou no meio da pista. Não houve a necessidade do carro de segurança. Via rádio, Kimi Raikkonen já avisava que a chuva cai em algumas partes do traçado. Será que a corrida ganhará a emoção que não teve até o momento.

A melhor cena da prova aconteceu com Gutiérrez. Na volta 38, quando teve que abandonar a corrida, o jovem piloto levou sua criança para o boxes e um dos mecânico tentou afastar a fumaça que saia dos freios soprando e abanando com as mãos.

Na volta 40 os dez primeiros eram: Hamilton, Rosberg, Vettel, Ricciardo, Alonso, Hulkenberg, Button, Massa, Bottas e Magnussen.

Que fase negra da Red Bull. No giro 41 a equipe dos energéticos promoveu a maior lambança na parada de Daniel Ricciardo nos boxes. Em uma falha dos mecânicos, a roda dianteira esquerda ficou solta. Antes o piloto brigava pela quarta posição com Fernando Alonso. No retorno, o jovem australiano parou no P14.

Com toda bizarrice da equipe Red Bull, Ricciardo ainda levou uma punição de 10s por ter sido liberado de forma insegura. Obrigando o driver a parar nos boxes. E seguida, Ricciardo abandonou a etapa. Como uma cena rara no GP da Malásia, mais um duelo pra movimentar a tão parada corrida. Sobre o olhar de Monisha, Massa partiu pra cima de Button de olho na sexta posição. Isso na volta 47.

Na reta final, volta 53, a torcida espanhola vibra nas arquibancadas. Em uma batalha incrível entre Alonso e Hulkenberg, o espanhol leva a melhor e fica na quarta posição.

Em uma corrida monótona, e sem a temerária chuva, ninguém conseguiu ameaçar o carro da Mercedes guiado por Lewis Hamilton. Que liderou a prova de ponta a ponta. Soberano na pista, o driver inglês somou a sua primeira vitória na temporada, e fez valer a superioridade da equipe Mercedes nesse início de temporada.

Na segunda posição veio o seu companheiro de equipe – Nico Rosberg – que “sofreu” para garantir o degrau número dois no pódio. Logo atrás dos carros Mercedes, apareceu Sebastian Vettel, que de forma enigmática não passou por nenhum problema com o seu RB10. Avisando a todos que os carros austríacos estão vivos nesse início de competição.

A mesma sorte não teve Daniel Ricciardo, que observou uma lambança de sua equipe nos boxes. Em um erro dos mecânicos em colocar a roda dianteira esquerda, que ficou solta a poucos metros dos boxes. Como punição por ter sido liberado de forma irregular, o australiano teve que parar por 10s. O brasileiro Felipe Massa mesmo largando na 13º posição, fez uma corrida burocrática e terminou a segunda etapa do calendário na sétima posição.

GP da Malásia