NÁUTICO 1X0 SAMPAIO CORRÊA

Na base da vontade, Náutico vence Sampaio Corrêa por 1×0

Autor: Thiago Wagner

A Arena Pernambuco sofreu um choque de realidade na noite desta terça-feira. Não que o torcedor esperasse que Náutico e Sampaio Corrêa fizessem uma partida digna dos jogos da Copa do Mundo que o estádio de São Lourenço da Mata recebeu, mas as duas equipes deixaram bem a desejar no gramado. O futebol foi pobre dentro de campo e um empate sem gols ficou perto de ocorrer se não fosse o gol de Tadeu aos 30 minutos do primeiro tempo. Foi uma vitória mais na base da vontade do que da técnica, o que não deixa de ter a mesma importância para o Timbu na luta pelo acesso da Série B do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o Náutico chega aos 15 pontos e vai para a nona posição de maneira provisória (ainda espera o complemento da rodada). No próximo sábado, o Timbu encara o Boa Esporte, novamente na Arena Pernambuco e vai tentar buscar a segunda vitória seguida. O Sampaio encara o Bragantino, fora de casa.

O JOGO – Nem parecia que Náutico e Sampaio Corrêa tinham ficado cerca de 40 dias treinando durante a intertemporada provocada pela Copa do Mundo. Não faltou físico para as duas equipes, é verdade, mas o nível técnico da partida esteve longe de ser o ideal. Os 90 minutos podem ser resumidos como fruto de muita correria e pouca inspiração técnica. Por isso, as poucas chances claras de gol para ambos os lados.

Armado com três volantes e dois jogadores abertos pelos lados do campo, o Timbu ficou sem jogadas pelo meio. Tentou basicamente lances pelas laterais, com cruzamentos para o atacante Tadeu. Isso facilitou a vida da zaga da Bolívia, que teve que se preocupar pouco com as investidas pelo centro do gramado.

A falha de criação do Náutico foi reflexo não só da estratégia do time, mas também da postura dos jogadores, que apostaram muito na ligação direta, sem que a bola passasse pelo meio de campo. Depois do gol de Tadeu, aos 30 minutos do primeiro tempo, os chutões para o ataque aumentaram. Isso tornou o confronto ainda mais pobre. O técnico Sidney Morais até poderia mudar a atuação da equipe, mas optou por alterações conservadores que trouxeram pouca criatividade para a equipe como um todo.

Se o ataque alvirrubro não estava em grande dia, o mesmo não se pode falar da defesa, bem postada dentro de campo nos principais ataque do Sampaio. Destaque para William Alves, que ganhou praticamente todas as bolas, sejam elas por cima ou por baixo. Com a zaga do Timbu bem postada, ficou difícil para os maranhenses levarem algum tipo de perigo. Além disso, a Bolívia pecou nas finalizações quando teve oportunidades. O goleiro Alessandro foi forçado a aparecer no jogo poucas vezes, mais em chutes de fora de área. O Náutico acabou construíndo a vitória com transpiração e uma boa defesa. O ataque, porém, precisa melhorar para o futuro, sem tantas ligações diretas.

FICHA DA PARTIDA – NÁUTICO 1X0 SAMPAIO CORRÊA

Náutico: Alessandro; Rafael Cruz, Flávio, William Alves e Roberto (Raí); Elicarlos, Gilmak e Paulinho (Gustavo Henrique); Leleu (Neílson), Vinícius e Tadeu. Técnico: Sidney Morais.

Sampaio Corrêa: Luiz Muller; Tote (Hiltinho), Paulo Sérgio, Edimar e Willian Simões; Jonas, Márcio Diogo, Uilliam (Edgar) e Eloir; William Paulista e Pimentinha (Valdir). Técnico: Flávio Araújo.

Série B (11ª rodada). Local: Arena Pernambuco (PE). Árbitro: Arilson Bispo da Anunciacao (BA). Assistentes: Adson Marcio Lopes Leal (BA) e Marcos Welb Rocha de Amorim (BA). Gol: Tadeu (N) aos 30 minutos do primeiro tempo. Amarelos: William Simões (SC), Paulinho (N) e Jonas (SC), Público: 6.464 Renda: R$ 155.485.