Náutico 1×1 Payssandu

Em jogo equilibrado, Náutico empata com o Paysandu por 1×1

Autor: Wladmir Paulino

Pedro Carmona marcou o gol do Náutico. Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Num jogo equilibrado, principalmente no segundo tempo, o Náutico ficou no empate por 1×1 com o Paysandu na noite desta terça-feira (16), na Arena Pernambuco pela oitava rodada da Série B. O resultado manteve o timbu na segunda posição com 17 pontos, mas abriu a possibilidade de perder o posto, pois o Sampaio Corrêa pode atingir a mesma pontuação nesta rodada e tem um saldo de gols melhor. Com muitos desfalques, o time de Lisca conseguiu manter o seu tradicional padrão de marcação forte apenas nos 45 minutos iniciais. Foram os primeiros pontos perdidos pelo time vermelho e branco dentro de casa.

O Náutico optou por uma variação na marcação entre o bloco médio e baixo – meio de campo e na intermediária. Opção que mostrou-se correta e forçou o Paysandu a jogar na bola longa. Na hora de atacar, Pedro Carmona ganhou liberdade para aparecer em todos os setores. E foi assim que ele começou e terminou a primeira ação ofensiva timbu. Aos quatro minutos, ele estava no lado direito e invertou a jogada para Hiltinho no lado esquerdo da área. Ele tabelou com Yuri e cruzou rasteiro da linha de fundo. Carmona já estava na altura da marca do pênalti para concluir sem chance de defesa.

O gol não mudou – e nem deveria mudar – a postura dos timbus. O time pernambucano colocava Hiltinho e Gil Mineiro, jogadores rápidos, na primeira linha de marcação para acelerar a transição ofensiva. Em alguns momentos a bola foi roubada na altura do círculo central, mas faltou dar continuidade quando ela chegava perto da área paraense. Foram muitos passes errados, o que inibiu um maior volume de finalizações. Foram cinco do Náutico, mesma quantidade do Papão, cuja posse de bola predominou do meio de campo para seu campo defensivo.

O time da casa voltou para o segundo tempo dando um pouco mais de espaço para o Paysandu trabalhar a bola. Tanto que finalizou três vezes nos primeiros 20 minutos. No primeiro tempo inteiro foram cinco. Numa delas, a bola entrou. Aos 15, Pikachu bateu falta no canto médio esquerdo de Júlio César e a bola ainda tocou na trave antes de entrar.

Após o gol, Lisca mudou duplamente. O apagado Stefano Yuri deu lugar a Josimar e Renato assumiu o posto de Hiltinho.E na primeira oportunidade Josimar tirou tinta da trave direita. Ao mesmo tempo em que deu mais qualidade ao setor ofensivo, a mudança também deixou o timbu mais exposto ao contra-ataque dos paraenses, pois Renato não tem a mesma velocidade de Hiltinho para recompor o sistema de marcação. Dado Cavalcanti foi até mais ousado ao tirar um jogador de meio de campo (Jhonnatan) para acionar um atacante (Edinho).

Os alvirrubros até que chegaram mais dentro da área adversária, prova da maior qualidade dos jogadores de ataque. Enquanto o Náutico contra-atacava tocando a bola, o Paysandu o fazia na bola longa. Esse estilo fazia a diferença na hora de concluir as jogadas. Só faltou aos de vermelho e branco conseguir tirar do alcance do goleiro.

PAREDÃO
Pikachu é o homem da bola parada e do desafogo do Paysandu, mas no jogo desta terça-feira quem brilhou foi o zagueiro Gualberto. Várias investidas do Náutico pararam nas intercepções precisas do defensor.

VOLTANDO
Não foi só pelo gol. O meia Pedro Carmona fez sua melhor partida desde que recuperou-se de uma cirurgia no joelho. Enquanto teve fôlego o camisa 10 apareceu pelos dois lados do campo e procurou alimentar os atacantes.

Ficha do jogo:

Náutico: Júlio César; Guilherme, Diego, Fabiano Eller e Gastón Filgueira; João Ananias, Gil Mineiro (Bruno Alves), Fillipe Soutto e Hiltinho (Renato); Pedro Carmona e Stefano Yuri (Josimar). Técnico: Lisca.

Paysandu: Emerson; Pikachu, Thiago Martins, Gualberto e João Lucas; Augusto Recife, Fernando, Jhonnatan (Edinho) e Carlos Alberto (Carlinhos); Aylon e Leandro Cearense (Misael). Técnico: Dado Cavalcanti.

Local: Arena PE. Árbitro: Charles Ferreira (AL). Assistentes: Pedro Araújo e Maxwell Silva (ambos de AL). Gol: Pedro Carmona, aos quatro do primeiro. Pikachu, aos 15 do segundo tempo. Cartões amarelos: Guilherme, Augusto Recife, Jhonnatan e Aylon. Público: 6.390.