Náutico Lider

Náutico vence o Sport na Ilha e fica em primeiro na primeira fase do Pernambucano

Autor: Thiago Wagner

O Sport foi melhor no primeiro tempo com maior volume de jogo e mais chances. No entanto, pecou na finalização. Esse desperdício custou caro para os rubro-negros no clássico contra o Náutico, na tarde deste domingo, na Ilha do Retiro, pelo Pernambucano. O Timbu equilibrou as ações na segunda etapa e conseguiu a vitória por 1×0 depois de aproveitar uma das poucas chances que teve durante o jogo – Marcos Vinícius marcou aos 28 minutos do segundo tempo. Mérito para a equipe de Lisca, que soube segurar o poder ofensivo dos leoninos para sair com a liderança do Estadual da casa do adversário. Com a vitória, o Alvirrubro vai para 20 pontos e enfrenta o Salgueiro nas semifinais da competição. A primeira partida será no Cornélio de Barros, em Salgueiro, enquanto a volta é na Arena Pernambuco. Ao Sport restou a segunda colocação e o clássico contra o Santa Cruz na segunda fase – primeiro jogo no Arruda e segundo na Ilha.

Ambos os times vieram com novidades para o gramado. Pelo lado do Sport, Eduardo Baptista apostou em Renan Oliveira no lugar de Aílton. O jogador, porém, não atuou como meia. O comandante rubro-negro deslocou Felipe Azevedo para a função de Aílton e deixou Renan como um dos três atacantes. Já no Náutico, Lisca sacou Marcos Vinícius e colocou Roberson na função de meia vindo de trás. No final de tudo, as alterações acabaram não  sendo decisivas no confronto. Tanto Renan como Roberson tiveram atuações apagadas. Felipe também não teve grande destaque apesar da disposição para criar jogadas ofensivas.

Na primeira etapa o Sport foi melhor com maior volume de jogo e mais chances. Para isso foi predonderante a movimentação de dois atletas: Ewerton Páscoa e Rodrigo Mancha. A dupla não se limitou a marcar e partiu para cima do adversário como elemento surpresa em muitos momentos. Não foi raro ver Mancha ou Páscoa na área adversária para finalizar. Ewerton foi quem teve a melhor chance do primeiro tempo. Ele ficou com o gol aberto após rebote de Alessandro, mas mandou por cima da meta. Na segunda etapa, porém, os dois caíram de rendimento junto com todo o time rubro-negro.

Um pouco abaixo da dupla de volantes, o atacante Bruninho e o lateral-direito Patric também mereceram destaque pela velocidade na direita. Dos pés deles saíram muitas jogadas de cruzamento. Quando a bola levantada não vinha, aparecia o passe para o meio, quase sempre para um dos volantes ou Neto Baiano, que estava em dia de brigador mais uma vez. Apesar disso, a bola não entrou. Erros de passes e de finalização foram cruciais para isso.

No Náutico, nada mais do que a marcação ao adversário no próprio campo. Poucas foram as vezes que a equipe de Lisca foi para cima dos donos da casa. Faltou velocidade e movimentação para os alvirrubros saírem da marcação rubro-negra. No entanto, o Timbu foi competente na sua proposta de jogo. Marcou bem, contou com uma tarde boa do seu goleiro e foi eficiente no ataque em uma das poucas oportunidades que teve. Aos 28 minutos, após cobrança de falta de Zé Mário, Marcos Vinícius tocou de cabeça para o fundo das redes. Magrão ainda tentou a defesa, mas não conseguiu evitar que suas redes fossem balançadas. Festa alvirrubra nas arquibancadas.

FICHA DA PARTIDA – SPORT 0X1 NÁUTICO

Sport: Magrão; Patric, Ferron, Durval e Renê (Danilo); Mancha, Páscoa e Felipe Azevedo; Renan Oliveira (Aílton), Bruninho (Sandrinho) e Neto Baiano. Técnico: Eduardo Baptista.

Náutico: Alessandro; Jackson, William Alves, Flávio e Raí; Elicarlos (Yuri), Dê, Zé Mário, Roberson e Marinho (Paulo Júnior); Marcelinho (Marcos Vinícius). Técnico: Lisca.

Pernambucano. Local: Ilha do Retiro, Recife (PE). Árbitro: Emerson Sobral. Assistentes: Clóvis Amaral e Charles Rosa. Gols: Marcos Vinícius (N) aos 28 minutos do segundo tempo. Amarelos: Renê (S), Yuri (N), Neto Baiano (S), Marcos Vinícius (N) e Aílton (S), Público: 14.846. Renda: R$ 220.545.