Náutico x Mogi Mirim

Náutico recebe o lanterna Mogi na base do ‘eu acredito!’

Foto: Guga Matos/JC Imagem

Por Álvaro Filho

Na base da esperança é a última que morre, o Náutico entra em campo para enfrentar o Mogi Mirim, as estatísticas desfavoráveis e a descrença geral de que o time pode voltar ao G4 e conseguir um lugar ao sol na Série A. A boa notícia é que o palco do jogo desta terça (6), às 20h30, é a Arena Pernambuco, onde o Alvirrubro mantém aproveitamento de 80,95%, o melhor entres os times que disputam as duas principais divisões do Brasileiro.

É nesse fio estatístico e de esperança que o técnico Gilmar Dal Pozzo se segura com todas as forças para manter o elenco motivado, após o revés na última rodada, contra o Oeste, que quebrou com uma atuação melancólica a sequência de duas vitórias consecutivas, contra Paysandu e ABC. O mantra de “todo jogo é uma final” continua a ser entoado nos Aflitos pelo treinador e repetido cegamente pelos comandados.

O Náutico é o oitavo colocado da Série B, com 43 pontos, a cinco do G4, que abre com o América/MG. O Mogi-Mirim é o último colocado, com 22, virtualmente rebaixado.

Foto: Fernando da Hora/JC Imagem

Foto: Fernando da Hora/JC Imagem

O TIME

Sem tempo nem mesmo para treinar, após jogar no último sábado (3), o técnico Gilmar Dal Pozzo deve ser conservador e mexer o mínimo possível no time. Suspenso, Jackson Caucaia cede lugar para William Magrão, que entrou bem no segundo tempo contra o Oeste. A única alteração por ordem tática deve ser a saída de Bruno Alves, peça nula na partida, que pode ceder a vaga para Hiltinho.

Quem reaparece entre os convocados é o zagueiro Fabiano Eller, retornando de contusão. O jogador só tem condições de atuar por cerca de 30 minutos, mas Dal Pozzo espera contar com o apoio moral dele fora de campo. “Eller foi relacionado pela importância dele, pela experiência e a liderança de capitão. Que possa ajudar também fora de campo”, disse o treinador, que pelo menos no discurso, mantém a esperança.

“Acredito na vitória e que a gente vai fazer um grande jogo. E não é por acreditar, mas pela qualidade que esse grupo tem e já mostrou na competição”, afirmou o treinador, que deposita o otimismo em seu DNA estrangeiro. “Eu sou de origem italiana, sou gringo, sou chato, mesmo. Acredito e vou sempre acreditar.”

O ADVERSÁRIO

O Mogi Mirim disputa um outro Brasileiro, não por uma vaga na Série A, mas para escapar da C. Chega à Arena Pernambuco desesperado, com cinco derrotas seguidas nos últimos cinco jogos. A última vitória do Sapão foi em 8 de setembro, 1×0 contra o Boa Esporte. “Mas não vamos esperar um jogo fácil, pois a competição já mostrou que não há facilidades em nenhuma extremidade da tabela”, adverte Gilmar Dal Pozzo.

O que é verdade. Nunca é demais lembrar que nas 10 primeiras rodadas da Série B, o Mogi vinha de 10 jogos sem vencer quando conseguiu a primeira vitória, justamente contra o Náutico.

Foto: André Nery/JC Imagem

Foto: André Nery/JC Imagem

FICHA DO JOGO

NÁUTICO

Júlio César, Rafael Pereira, Ronaldo Alves, Gastón Filgueira; João Ananias, Willian Magrão, Fillipe Soutto, Hiltinho (Bruno Alves); Bergson  e Daniel Morais. Técnico: Gilmar Dal Pozzo.

MOGI MIRIM

Daniel; Dunguinha, Fábio Sanches, Elton e Dieguinho; Franco (Memo), Romarinho, Anderson Rosa e Marlon; Ruster e Serginho.Técnico: Márcio Goiano.

Local: Arena Pernambuco. Horário: 20h30. Árbitro: Pablo dos Santos Alves (PB). Assistentes: Luís Felipe Gonçalves Corrêa e Tomaz Diniz de Araújo (ambos da PB).