Payssandu

Sport vence mas é eliminado pelo Paysandu na Copa do Brasil

Autor: Matheus Albino

o início a todo vapor do Sport, que abriu o placar com dois minutos de jogo, enganou aqueles que pensavam que o time iria golear e homenagear em grande estilo um de seus torcedores mais ilustres que faleceu nesta quarta-feira, Ariano Suassuna. O Leão até marcou o segundo gol e aumentou as esperanças nas arquibancadas.

Mas o adversário é um velho carrasco do Sport na Copa do Brasil, o Paysandu, que eliminou o Leão em 2012 e repetiu a façanha. Em plena Ilha do Retiro, o Sport venceu o Paysandu por 3×2 mas foi eliminado da Copa do Brasil, em jogo válido pela segunda fase da competição.

O resultado sem dúvidas foi surpreendente, pois não é normal ver um time da Série A perder para um rival da Série C. Mas é bem verdade que o foco dos rubro negros neste momento é a Copa Sulamericana e como o time não poderá disputar as duas de forma simultânea, não deve sentir essa eliminação.

Os pouco mais de mil torcedores que foram ao estádio ressalta essa tese. Os gols do Leão foram marcados por Ananias, duas vezes e Danilo, ambos de cabeça. O Paysandu descontou com Marcos Paraná e Oswaldo (contra). Agora é concentrar-se na Sulamericana, que começa no próximo mês, e no jogo do domingo contra o Atlético Mineiro, na Ilha do Retiro, pela Série A do Brasileirão.

O próximo adversário do Papão na Copa do Brasil será o Coritiba. Pela Série C, o time encara o Treze na Paraíba também no domingo.

Com menos de dois minutos o Sport já abria o placar com Ananias e parecia encaminhar a classificação com tranquilidade. Mais 16 minutos de jogo e o segundo gol saiu com Danilo, ambos de cabeça. Tranquilidade? Goleada? Não. A história começou de um jeito mas terminou bem diferente.

O Paysandu reagiu, diminuiu com Oswaldo (contra), levou o terceiro (gol de Ananias) mas não se abateu e reagiu novamente marcando o segundo gol com Marcos Paraná. O primeiro tempo foi bastante movimentado, aliás, bem melhor que o segundo. A cada gol marcado os times saíam para o ataque deixando o jogo bastante corrido.

Com três atacantes o Sport parecia ser um time bem ofensivo, mas o problema era na armação das jogadas já que não tinha um meia de oficio. Quem fez a função foi Ananias, acostumado a jogar pelas beiradas do campo o baixinho não rendeu na posição porque não está acostumado a fazê-la. Quando foi ao ataque marcou dois gols, de cabeça, é verdade, mas mostrou que como atacante pode render mais.

Já o substituto de Magrão, Saulo, mostrou muita inexperiência em jogos decisivos ao cometer algumas falhas que poderiam mudar a história do jogo. O primeiro gol do Papão mostrou isso. Saulo demorou a cair e aceitou. Em outra ocasião o camisa 40 saiu de forma esquisita no escanteio e quase permitiu mais um gol adversário.

As emoções eram grandes mas o primeiro tempo acabou, e seria melhor que o árbitro Raphael Claus não apitasse o fim, pois o segundo foi duro de assistir.