Porto 1×0 Santa Cruz

Tricolor Faz Partida Abaixo do Esperado e Perde para o Porto Por 1×0

Publicado: quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014, às 00:08
Por: Aurino Rosendo

O Santa Cruz tropeçou na segunda rodada do hexagonal do Campeonato Pernambucano. Na noite desta quarta-feira (12), em Caruaru, a equipe tricolor enfrentou o Porto/PE e perdeu por 1×0, gol de Kiros. Em um jogo que começou morno, os Tricolores bem que tentaram esquentar as coisas, mas tomaram uma ducha de água quando estavam no melhor momento da partida e não conseguiram reverter o placar.

Com o resultado adverso, a equipe tricolor manteve os três pontos ganhos e tem a mesma pontuação de Salgueiro, Sport Recife e Porto.

O TIME: Desfalcado do atacante Léo Gamalho e poupando o lateral direito Oziel e o volante Luciano Sorriso, o técnico Vica promoveu três modificações no time e a escalação foi a seguinte: Tiago Cardoso, Nininho, Éverton Sena, Renan Fonseca e Tiago Costa; Sandro Manoel, Memo e Raul; Renatinho, Caça-Rato e Cassiano.

O JOGO: Em Caruaru pela quarta vez em 2014, o Santa Cruz começou o jogo tendo vários motivos para se sentir em casa. Pelo fato dos atletas corais estarem adaptados ao Lacerdão, que foi a casa do Mais Querido durante a primeira fase do Nordestão, era esperado que os Tricolores envolvessem o Gavião logo nos primeiros movimentos da partida. No entanto, o Porto tratou de mostrar porque ficou na terceira colocação da primeira fase do estadual e não deu brecha para a Cobra Coral.

Com as equipes se respeitando, o jogo foi muito equilibrado nos primeiros 10 minutos. Os times optaram por se resguardar e não produziram grandes oportunidades. Em um ritmo lento, a postura do Santa Cruz poderia muito bem ter como justificativa o desgaste físico. Fazendo dois jogos por semana desde o início do ano, a equipe tricolor tem o cansaço como um severo adversário.

Na base da cadência, o Santa tentou ir ao ataque de forma eficaz e conter o ímpeto do Porto, que jogava em casa e queria mostrar serviço. A estratégia cautelosa do Tricolor não gerou grandes chances de gols, mas se mostrou eficaz no campo defensivo, pois o time de Caruaru também não teve grandes oportunidades.

Sem muita empolgação, o primeiro tempo foi se passando. Com poucas jogadas vistosas e nenhuma chance clara de gol, e com eficiência no setor de marcação de ambas as equipes, faltava o algo a mais. Porém, o fator de desequilíbrio para tornar os primeiros 45 minutos de partida atrativos não apareceu. O primeiro tempo chegou ao fim de forma apática. Restava esperar por uma melhora significativa no segundo tempo.

SEGUNDO TEMPO – A partida necessitava de intensidade e ninguém sabia se as esquipes proporcionariam isso. Vestindo outro uniforme para os 45 minutos finais, o Santa Cruz deu um sinal de que a coisas poderiam mudar. Mas era preciso mais do que trocar a cor da camisa para ser mais incisivo e buscar a vitória.

Dispondo de mais qualidade técnica que o Porto, o Santa Cruz se viu obrigado a produzir mais no campo de ataque. Com o cérebro do meio de campo coral, Raul, se mostrando interessado no jogo, a equipe tricolor produziu algumas chances de abrir o placar. A primeira delas foi aos 8 minutos, quando Raul fez boa jogada dentro da área do Porto e chutou na rede pelo lado de fora. Pouco depois, aos 10 minutos, Nininho cruzou pelo lado direito e Raul cabeceou para fora.

A ligeira melhora dos tricolores dava a impressão de que o jogo ficaria mais movimentado. E ficou. Adiantando a marcação, a equipe coral procurou pressionar o Porto em sua intermediária e trabalhou a bola de maneira mais inteligente. Os jogadores do Santa Cruz procuraram se movimentar mais e deixaram a partida bem mais interessante.

Com o Porto encurralado, o Santa tem uma nova oportunidade de abrir o placar aos 20 minutos. Após cruzamento rasteiro na área, do lado esquerdo, Caça chutou e a bola bateu nos defensores do Porto, sobrando para  Nininho, que também finalizou, obrigando o goleiro a espalmar e fazer a bola cair no pé de Raul, que chutou por cima do gol.

O Santa Cruz estava bem mais próximo de abrir o placar do que o Porto. O volume de jogo dos visitante era bem superior ao dos donos da casa. Entretanto, o fato de estar mais disposto a abrir o placar fez a equipe tricolor se expor e oferecer espaço ao adversário. De olho nas brechas, a equipe de Caruaru acabou impondo um duro golpe a quem mais demonstrou vontade de vencer.

De forma despretensiosa, os jogadores do Porto conseguiram um contra-ataque e foram até o setor defensivo coral, onde conseguiram um escanteio. Da jogada de bola parada, aos 26 minutos, o gigante Kiros conseguiu se sobressair aos marcadores e abriu o placar. Um pecado para o Santa Cruz, bem no momento que o time estava tomando gosto pela partida.

O gol sofrido desconcertou a equipe tricolor. Em desvantagem no placar, era preciso fazer muito mais para evitar a derrota. E também era preciso calma. Mas o Santa Cruz não se reencontrou no jogo. Vai ver o cansaço não deu a tranquilidade necessária para que o time reagisse.

Não deu para o Santa Cruz. Depois de um primeiro tempo abaixo do esperado, a Cobra Coral até tentou reagir na segunda etapa, mas acabou sendo surpreendida. Sem muita volúpia, fica a preocupação com o desgaste físico dos atletas. O elenco Tricolor precisa combater o cansaço e manter o fôlego.

Agora o Pernambucano dá uma pausa e o Santa volta às atenções para a Copa do Nordeste. Neste sábado (15), o Tricolor, no Arruda, disputa a primeira partida das quartas de final contra o Guarany/CE. A expectativa é de que o time se reabilite o quanto antes e se mantenha com chance de título nas duas competições.