Rivaldo

Náutico dá vexame e perde de virada para o lanterna Mogi Mirim, saindo do G4

 por: Cassio Zirpoli

A campanha do Mogi Mirim era vexatória (ainda é), com três empates e sete derrotas em dez rodadas. Nenhuma vitória. A fragilidade em campo e a falta de apoio fora dele, sempre às moscas, eram indicações claras para o Náutico buscar mais um resultado positivo fora de casa, consolidando sua campanha. Neste contexto, diante do lanterna da Série B, nem o empate. Pois o Timbu chegou a ficar à frente, num gol de de Douglas aos 30 minutos, em sua primeira investida, mas o saldo final foi decepcionante, custando até o lugar no G4.

No apito final, a comemoração pernambucana foi apenas de Rivaldo, de 43 anos. Presidente do Sapão, o melhor do mundo em 1999 se escalou numa tentativa de motivar seus atletas. Fisicamente, estava muito além da demanda exigida na Segundona. No segundo tempo, cansou como se esperava, sendo substituído por Gustavo, seu genro (!). Com onze jogadores “efetivos” em campo, o Mogi melhorou e incomodou a meta de Júlio César, ganhando as disputas no meio (63% de posse, segundo o Footstats) e finalizando bastante (21 x 5, no geral). Coube a Serginho, aos 25 e 42 minutos, virar a partida, 2 x 1.

O grupo timbu acusou o golpe, saindo cabisbaixo, com o discurso natural (e correto) de que “ganham todos, perdem todos”. Ao mesmo plantel, vale retomar a pegada já no sábado, no Clássico das Emoções, com mais pressão em campo e fora. Um jogo no qual Lisca terá o desfalque do lateral-esquerdo Gastón, expulso em Mogi. Outro ponto negativo numa noite para esquecer.

Série B 2015, 11ª rodada: Mogi Mirim 2x1 Náutico. Foto: Denny Cesare/Código19/Agência O Globo

Palmeiras faz 100 anos e novo estádio exibe homenagem

Fonte: Veja

Campeão do Século 20. Clube com maior número de títulos nacionais. Dono da quarta maior torcida do Brasil. Segundo maior campeão paulista. Centenário. O Palmeiras completou 100 anos de gloriosa história neste 26 de agosto de 2014.

Homenagem ao centenário do Palmeiras no novo estádio do clube

Para os torcedores do Palmeiras, esta terça-feira será marcada por muita festa pelos 100 anos de fundação do clube. A WTorre, construtora responsável pela obra do novo estádio palmeirense, prestou uma homenagem à agremiação no gramado da arena. Um número 100 estilizado e a inscrição “Cent’Anni Palmeiras” foram colocados no centro do campo, acompanhados de um símbolo do Palmeiras. É possível ver nas imagens divulgadas pela construtora que o gramado do Allianz Parque já foi pintado com as marcações oficiais de um campo de futebol e que as traves e redes também foram colocadas. Ainda não há data oficial para o estádio ser entregue.

Palmeiras 100 anos

A construtora calcula que 95% das obras já estão concluídas e que em outubro conseguirá entregar a obra, que substitui o antigo Palestra Itália, fechado no segundo semestre de 2010. O Palestra Itália foi inaugurado no dia 21 de abril de 1917, sendo comprado pelo Palmeiras em 1920. Em 1999, o estádio foi palco da conquista do título mais importante da história do clube, o da Copa Libertadores, garantido com a vitória nos pênaltis sobre Deportivo Cali, da Colômbia. A última partida do estádio foi em 9 de julho de 2010, quando o Palmeiras perdeu um amistoso para o Boca Juniors por 2 a 0. Em seguida, foi iniciada a obra da nova arena, exatamente no mesmo local do antigo campo, mas com uma configuração completamente diferente.

Festa – A diretoria e os sócios do Palmeiras vão comemorar o centenário de fundação com uma grande festa no Citibank Hall, na Zona Oeste de São Paulo, a partir das 19 horas. A torcida, porém, não esperou: na noite de segunda, mais de mil torcedores se reuniram perto de uma das entradas da sede da agremiação para festejar. Quando o relógio marcou meia-noite, os torcedores palmeirenses soltaram fogos de artifício por cerca de 25 minutos. A Rua Turiassu teve de ser fechada pela Polícia Militar e a região foi tomada por faixas e bandeiras do clube. Muitas avenidas na região tiveram trânsito intenso e os bares ficaram lotados para a festa. Nas redes sociais, os palmeirenses também declararam seu amor pelo clube.

Apesar do clima alegre da festa de rua iniciada na segunda, há apreensão em relação à segurança do local onde ocorrerá a festa oficial. Os dirigentes palmeirenses têm recebido informações de que membros de torcidas organizadas farão um grande protesto na frente da casa de shows onde a comemoração oficial será realizada. Na mesma hora, a Mancha Alviverde também fará uma festa para celebrar a data. A segurança será reforçada para evitar que os cerca de 2.000 convidados, em especial os integrantes da diretoria, sejam xingados. Nos bastidores do clube comenta-se ainda que haverá manifestação hostil contra o presidente Paulo Nobre dentro do próprio Citibank Hall – conselheiros de oposição estariam dispostos a protestar contra a atual diretoria durante a festa.

(Com Estadão Conteúdo)

Aos 41 anos, Rivaldo dá adeus ao futebol

Da Agência Estado

Por meio de uma nota divulgada nas redes sociais, Rivaldo anunciou sua aposentadoria do futebol profissional neste sábado (15). Aos 41 anos, o agora ex-jogador, com passagens por Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Barcelona e campeão mundial com a seleção brasileira em 2002, vai seguir apenas como presidente do Mogi Mirim, cargo que ocupa desde outubro de 2008.

“Com lágrimas nos olhos hoje gostaria de primeiramente agradecer a Deus, minha família e a todos pelo apoio, pelo carinho que recebi durante esses 24 anos como jogador. Hoje venho comunicar a todos os torcedores do mundo que minha história como jogador chegou ao fim. Somente tenho que agradecer pela linda carreira que construí durante esses anos. Foram muitos os obstáculos, os desafios, renúncias, saudades, decepções, porém foram muito maiores as alegrias, as conquistas, crescimentos, mudanças”, disse Rivaldo, em nota.rivaldo_instagram

Ao anunciar o fim de sua carreira nos gramados, o camisa 10 do Brasil em duas Copas citou os obstáculos superados durante os 24 anos de futebol. “Construí minha carreira em cima de um milagre, saindo de Paulista, sem nenhum recurso financeiro, sem empresário, incentivos apenas familiares, desacreditado por médicos e técnicos, vi um sonho distante se tornar realidade”, afirmou.

Revelado pelo Santa Cruz em 1990, Rivaldo Vítor Borba Ferreira, foi aparecer para o futebol atuando pelo Mogi Mirim em 1992, ao lado de Válber e Leto. Depois de brilhar no que ficou conhecido como ‘Carrossel Caipira’, o meia foi emprestado ao Corinthians. Em 1994, foi comprado em definitivo pelo Palmeiras, onde conquistou o Campeonato Brasileiro e durante dois anos e marcou época em um dos ataques mais poderosos do Brasil, que também contava com craques como Evair, Edmundo, Edílson, Djalminha e Luizão.

Depois de sair do Brasil, Rivaldo teve rápida passagem pelo La Coruña antes de chegar ao Barcelona. Foi no time catalão que o brasileiro alcançou o status de craque mundial. Até deixar o Camp Nou em 2002, foram dois títulos do Campeonato Espanhol (1997/1998 e 1998/1999), uma Copa do Rei (1998) e uma Supercopa da Europa (1997), além de ser eleito o Melhor jogador do Mundo pela Fifa em 1999.

Após desavenças com o técnico holandês Louis van Gaal, o recém campeão do mundo foi atuar no Milan (2002 a 2004), mas sem muito destaque. Depois, Rivaldo começou a rodar por diversas equipes: Cruzeiro (2004), Olympiakos (2004 a 2007), AEK Atenas (2007 a 2008), Bunyodkor-UZB (2008 a 2010), São Paulo (2011), Kabuscorp-ANG (2012) e São Caetano (2013). Nesta temporada, Rivaldo atuou pelo Mogi Mirim por duas partidas e teve a oportunidade de dividir o gramado com seu filho, Rivaldo Júnior, durante 30 minutos.

SELEÇÃO – A vitoriosa carreira de Rivaldo pela seleção brasileira começou em dezembro de 1993, contra o México. Neste jogo, a aposta do comandante Carlos Alberto Parreira marcou o primeiro de seus 37 gols com a amarelinha. Com a camisa 10 da seleção brasileira foi decisivo no vice-campeonato mundial, em 1998, e no título de 2002, quando foi vice-artilheiro da Copa da Coreia e do Japão, com cinco gols.

“Entre troféus, medalhas, premiações e títulos em uma terra onde tudo se consome, deixo aqui uma história, talvez um exemplo, mas com certeza um testemunho de que vale a pena crer e lutar”, declarou Rivaldo, ao finalizar a nota em que anunciou sua despedida.