Salgueiro 1×1 Santa Cruz

Santa Cruz joga mal, mas arranca empate diante do Salgueiro

Autor: Marcelo Cavalcante

Para a disputa do terceiro lugar, no estádio Cornélio de Barros, em Salgueiro, o time precisava mostrar que não se abateu com a derrota para o Sport que eliminou o time à final do Estadual. No entanto, a equipe coral mostrou um futebol pouco inspirado e poderia sair de campo derrotado. Mas o empate em 1×1 ficou de bom tamanho. Afinal, o Salgueiro criou mais chances e poderia ter saído de campo com a vitória. Os gols da partida foram marcados por Kanu, para o Salgueiro, e Betinho, para o Tricolor.

Com o resultado, os dois times vão lutar para vencer o próximo confronto para conseguir a terceira colocação do Pernambucano Coca-Cola sem precisar das cobranças de pênaltis. AS penalidades só vão acontecer em caso de um novo empate. O novo confronto está marcado para a terça-feira, no Arruda. E para esse duelo, o técnico Vica espera contar com o meia Carlos Alberto, que ficou de fora nesta noite.

O jogo

Mostrando um futebol sem alma e criatividade, o Santa Cruz foi surpreendido pela velocidade do Salgueiro no primeiro tempo de  partida no estádio Cornélio de Barros, no sertão pernambucano.   E logo aos seis minutos, a defesa coral viu Sidny fazer uma  boa jogada pela direita e cruzar para Kanu chutar e acertar a  trave. No rebote, o próprio Kanu mandou para as redes.  O pouco tempo que o Salgueiro precisou para abrir o placar  revelou o quanto a equipe coral estava desatenta no jogo. A  equipe não conseguiu trocar passes no meio de campo, facilitando a vida do Carcará, que buscou o campo ofensivo sem  receio.

Explorando os avanços de Sidny, o Salgueiro teve mais volume de jogo e conseguiu entrar na área tricolor. Kanu perdeu mais uma chance de ampliar o placar, o mesmo acontecendo com Anderson Paraíba. O Santa Cruz só teve uma chance, quando Pingo recebeu de Gamalho e chutou para fora.

No segundo tempo, o Salgueiro voltou melhor e buscou o ataque. Mas, ao contrário do que aconteceu na primeira etapa, faltou objetividade ao time sertanejo. O Salgueiro continuou aproveitando bem os avanços de Sidny pela direita, mas não conseguia mostrar qualidade nas finalizações.

O Santa Cruz melhorou um pouco no posicionamento defensivo, apesar de deixar brechas nas laterais, especialmente pela esquerda, onde Zeca teve dificuldades para segurar o ímpeto de Sidny. Na frente, a equipe continuou sem inspiração, criando muito pouco.

Mesmo assim, o Santa Cruz aproveitou uma falha defensiva do Salgueiro. Aos 27 minutos, a bola é cruzada na área, o zagueiro Ranieri e o goleiro Luciano trombam e a bola sobra para Betinho, que não tem dificuldades para mandar para o gol. Empate garantido, o Tricolor teve mais tranquilidade para jogar. A partir daquele momento, o Salgueiro foi para cima, chegou a criar algumas situaçãoes ofensivas, mas não conseguiu o gol de desempate.

Santa Cruz arranca empate contra o Salgueiro no Sertão

Por: Aurino Rosendo – CoralNet
 O Santa Cruz não consegue se acertar no Campeonato Pernambucano. Neste domingo (23), contra o Salgueiro/PE, fora de casa, pela quarta rodada do hexagonal, a equipe tricolor empatou por 1×1, gols de Aylton Alemão, para o Salgueiro, e Nininho, pelo Santa Cruz. Modificado para esta partida, o time não encontrou a criatividade necessária para se sobressair ao adversário, foi muito pressionado no primeiro tempo, sofrendo o revés e arrancando empate na etapa final.

Com a der, os tricolores caíram na tabela de classificação. Fazendo apenas quatro pontos em quatro rodadas, o Santa Cruz saiu da segunda posição

O TIME – Escalando o time no esquema tático 4-5-1, o técnico Vica teve alguns problemas para essa partida, como os desfalques dos meias Raul e Renatinho e do atacante Caça-Rato, e montou a equipe com: Tiago Cardoso, Oziel (Nininho), Éverton Sena, Renan Fonseca e Panda; Sandro Manoel, Memo (Jefferson Maranhão), Luciano Sorriso e Carlos Alberto; Cassiano (Pingo) e Léo Gamalho.

O JOGO – Precisando voltar a vencer no Pernambucano, a equipe tricolor entrou em campo disposta a pôr fim ao jejum. A tarefa não era das mais fáceis, já que o Santa Cruz tinha pela frente o Salgueiro, que terminou a primeira fase do estadual na liderança, sob o calor escaldante do Sertão.

Com a bola rolando, o novo esquema tático coral procurava dar uma maior mobilidade e poder de marcação. Nos primeiros movimentos da partida, o Santa Cruz tentava obter a posse da bola e conter as investidas do time da casa.

Por jogar em seus domínios, o Salgueiro tratou de tornar as coisas difíceis para os tricolores. Frequentemente na intermediária coral, o carcará sertanejo foi bastante agudo e buscou pressionar a cobra coral.

O grande lance de perigo aconteceu aos 24 minutos, quando o atacante Kanu tocou de cabeça e, na tentativa de cortar, Renan Fonseca acabou cabeceando contra o próprio gol e Tiago Cardoso, no reflexo, pulou para salvar o Santa.

Passando sufoco,o  Tricolor apostou nos contra-ataques. Em uma jogada rápida, aos 28 minutos, Sorriso deu passe pra Calos Alberto, que, do bico direito da grande área, encheu  pé e a bola passou perto do gol. Foi a chance de gol mais perigosa do Santa Cruz na partida até então.

Com o transcorrer do primeiro tempo, o jogo não mudou de figura. O Salgueiro apertava e o Santa se segurava e explorava os contra-ataques. Nesse cenário, o time da casa seguiu imprimindo o seu ritmo e acabou tendo êxito.

Melhor na partida, o carcará abriu o placar aos 41 minutos, quando Anderson Paraíba cobrou escanteio e Aylton Alemão, de cabeça, colocou a bola no fundo do gol. Na jogada, o sistema defensivo do Santa se atrapalhou todo e deixou o Camisa 4 em condições de marcar.

O gol evidenciou o amplo domínio dos donos da casa sobre os visitantes. O primeiro tempo chegou ao final com o Santa Cruz acuado e sem produzir muita coisa.

SEGUNDO TEMPO – Reagir era preciso para o Santa Cruz, então o técnico Vica mexeu no time para a segunda etapa. Ele tirou o volante Memo e colocou o meia Jefferson Maranhão. Com mais criatividade no meio, a expectativa era que o Santa Cruz esboça-se uma reação.

Tentando reverter a desvantagem no placar, os tricolores adiantaram a marcação e procuraram ter um maior volume de jogo. Enquanto isso o Salgueiro deixava claro que o resultado estava de excelente tamanho e se dedicava à marcação.

Apresentando uma melhora nos 15 primeiros minutos da etapa final, o Santa Cruz tinha boa desenvoltura no meio de campo, mas não conseguia converter o volume de jogo em chances claras de gol.

A grande chance de empate do Santa Cruz veio aos 18 minutos. Após cobrança de falta, cobrada por Sorriso do lado esquerdo de ataque, Éverton sena, na entrada da pequena área, com o gol aberto, mandou a bola para fora do estádio.

Depois do gol incrivelmente perdido, a equipe se sentiu próxima do gol de empate e continuou agredindo o adversário. A pressão se intensificou e os tricolores praticamente não saíram do campo de jogo do Salgueiro.

Outra boa chance de gol, aos 27  minutos, surgiu quando Éverton Sena cruzou rasteiro pelo flanco esquerdo e Renan Fonseca finalizou por cima da barra. O gol do Santa Cruz estava maduro neste momento

O Santa até chegou marcou o gol, aos 30 minutos, quando Maranhão cruzou do lado esquerdo da grande área e o goleiro Luciano soltou a bola, com Léo Gamalho se enroscando a ele e a branquinha sobrando para Carlos Albeto, que conferiu. No entanto, a arbitragem assinalou uma falta de ataque e a jogada foi invalidada.

Totalmente diferente do apresentou no primeiro tempo, a equipe tricolor demonstrou força ofensiva e conquistou o gol de empate. Aos 38 minutos, o lateral direito Nininho, lateral fez boa jogada pelo lado direito da grande área e encheu o pé para a bola, que ainda desviou em Aylton Alemão, parar no fundo das redes.

Com o empate, os tricolores foram em busca do gol da vitória. Mas a virada não veio. O Salgueiro se fechou no campo defensivo e conseguiu conter o ímpeto do Santa Cruz. Não foi dessa vez que o Santa Cruz voltou a vencer no Campeonato Pernambucano.

Agora, o Mais Querido foca nas quartas de final da Copa do Nordeste. Na próxima quarta-feira (26), em Sobral/CE, o tricolor encara o Guarany e defende uma boa vantagem para se avançar à semifinal da competição.