Salgueiro 2×0 Náutico

Com times pouco inspirados, Salgueiro volta a ser letal nas finalizações e vence Náutico

FICHA DO JOGO
Salgueiro 2
Mondragon; Marcos Tamandaré; Luiz Eduardo (Victor Caicó, aos 39’ do 2ºT), Ranieri e Daniel; Rodolfo Potiguar; Moreilândia; Toty e Valdeir; Jean (Levi, aos 17’ do 2ºT) e Wilian Lira. Técnico: Evandro Guimarães

Náutico 0
Tiago Cardoso; David, Nirley, Ewerton Páscoa e Manoel (Cal Rodrigues, aos 38’ do 2ºT). Darlan (Giva, aos 22’do 2ºT), Giovanni, João Ananias e Dudu; Erick (Jefferson Renan, aos 28’ do 2ºT) e Alison. Técnico: Milton Cruz.

Estádio: Cornélio de Barros (Salgueiro).
Árbitro: Gilberto Castro Junior
Assistentes: Ailton José dos Santos Junior e Cleberson Nascimento Leite.
Gols: William Lira e Levi (S)
Cartões amarelos: Darlan (N); Daniel (S)
Público: 2.242
Renda: R$7.840,00

Salgueiro bate o Náutico por 2 a 0 e abre boa vantagem na semifinal

No encontro do time com a melhor campanha com o da pior campanha entre os semifinalistas do Pernambucano, o Salgueiro conseguiu reverter a vantagem do Náutico. Com a diferença técnica entre as equipes nivelada pela péssima condição do gramado do Cornélio de Barros, o Carcará voltou a mostrar sua força em casa e bateu os alvirrubros por 2 a 0. Com o resultado, os sertanejos podem perder o jogo da volta por qualquer placar e ainda assim disputar a inédita vaga na final nos pênaltis.

Com o gramado do Cornélio de Barros duramente prejudicado pela chuva que caiu em Salgueiro durante quase toda a noite anterior, a qualidade técnica do confronto caiu vertiginosamente. O cenário levava os adversários a optarem por lançamentos de média distância e cruzamentos em jogadas de linha de fundo. E foi justamente em um lance assim que o Carcará abriu o placar.

Ainda que não contasse com Fabrício Ceará, lesionado, o Salgueiro tinha um substituto à altura. Depois de boa arrancada pela direita, Marcos Tamandaré cruzou no segundo pau, na cabeça de Everton. Apesar da boa defesa de Alessandro, o rebote parou nos pés do próprio Everton, que emendou de direita para deixar os sertanejos em vantagem. O confronto seguiu equilibrado durante o restante do primeiro tempo, com o Náutico explorando bastante as laterais do campo. Em contrapartida, a postura cedia espaço para que o Carcará assustasse o Timbu em contra ataques.

Com cinco desfalques importantes, o técnico Lisca enfrentava dificuldades para mudar o cenário do confronto. Porém, diante das particularidades do regulamento do Estadual, o comandante alvirrubro decidiu tornar sua equipe mais ofensiva, promovendo as entradas dos recém-contratados Careca, Vinícius e Geovane. Com as mudanças, o Náutico até cresceu na partida e esteve bem perto de empatar numa cabeçada de Vinícius. Mas foram os sertanejos quem aproveitaram o novo cenário. Aproveitando a desatenção da zaga do Timbu num contra ataque, Kanu aproveitou cruzamento para acertar um belo chute rasteiro e decretar a vitória do Carcará.

Salgueiro
Luciano; Marcos Tamandaré, Aylton Alemão, Ricardo Braz e Pery; Pio, Moreilândia, Valdeir e Anderson Paraíba (Rodolfo Potiguar, aos 45′ do 2º T); Everton (Vitor Caicó, aos 31’ do 2º T) e Kanu.
Técnico: Cícero Monteiro.

Náutico
Alessandro; Jackson, William Alves, Flávio e Gerley (Careca, aos 25’ do 2º T); Elicarlos, Dê, Roberson (Vinícius, aos 29 do 2º T) e Zé Mário; Paulo Júnior (Geovane, no intervalo) e Marcelinho.
Técnico: Lisca.

Local: Estádio Cornélio de Barros, em Salgueiro.
Árbitro: Sebastião Rufino Filho (PE).
Assistentes: Clóvis Amaral (PE) e Bruno César Vieira (PE).
Gols: Everton (aos 24’ do 1º T) e Kanu (aos 37’ do 2º T)
Cartões amarelos: Ricardo Braz (Salgueiro), William Alves e Zé Mário (Náutico)
Público: 8.902.

 

Fonte: Super Esportes