Samuel

Com quarteto ofensivo, Sport recebe o Coruripe na Copa do Nordeste 2015

 Daniel Leal /Diario de Pernambuco

No quarto jogo oficial do ano, o técnico Eduardo Baptista promoverá a quarta escalação distinta do time. Sinal escancarado de dúvidas, ajustes em andamento e de que ainda se busca a melhor formação para o Sport. Contra o Coruripe-AL, às 19h de hoje, pela Copa do Nordeste, o treinador terá a chance de unir o útil ao agradável. Encontrando o adversário teoricamente mais frágil do ano até então, o Leão irá a campo com a formação que a torcida mais vinha cobrando e, de quebra, poderá pôr à prova o seu poderio ofensivo com força máxima. E se o rival não é o dos mais fortes, pressão dobrada. Afinal, respeito à parte, se não fizer o dever frente ao modesto Coruripe, em plena Ilha do Retiro, vai fazer contra quem?

Pela primeira vez, Samuel, Diego Souza, Régis e Elber jogarão juntos. Após a derrota na estreia para o Sampaio Corrêa e de ocupar atualmente a lanterna do Grupo B, esse quarteto terá a responsabilidade de carregar o Sport rumo à recuperação imediata no Nordestão. Nunca é demais relembrar que, diferente do ano passado, a atual edição classifica à fase seguinte apenas os primeiros colocados – além dos três melhores segundos de cada grupo. Ou seja, atual campeão, o Leão não teria passado da primeira fase com as regras atuais em 2014.

Para promover essa escalação mais ousada, Eduardo Baptista sacou o criticado Danilo do time para a entrada de Elber. O meia terá dupla função. “De marcação, ele vai ter mais ou menos mesma função que o Danilo. Mas para jogar vai ter uma liberdade a mais e se não conseguir recompor, o Rithely faz a cobertura”, explicou. “Com Elber a gente perde um pouquinho de velocidade e marcação, mas ganhamos um passe um pouco mais qualificado e uma visão de meia. Dentro da Ilha é um risco que vale correr”, acrescentou.

Fragilidade
A pressão para escalar um time mais ofensivo era grande. Eduardo garantiu que as alterações estão sendo realizadas via planejamento, porém admitiu que o adversário foi um fator motivante. “As mudanças acontecem naturalmente. Não posso pensar como torcedor e fazer mudanças radicais, de mudar esquema. As coisas vão mudar gradativamente. A gente pega um adversário não tão tradicional, mas não quer dizer que será fácil. Vamos tentar abrir mais e buscar mais o gol”, explicou Baptista.

Saiba Mais

Lar, doce lar
Um teste rápido para a memória do torcedor do Sport: qual foi a última vez que o time jogou na Ilha do Retiro? Pode-se dizer que já faz bastante tempo. Com gol de Diego Souza, de pênalti, o Leão venceu o Figueirense em 2 de novembro pela Série A e pôs fim a uma sequência de oito jogos sem vencer. Desde então, o clube teve cinco jogos como mandante – todos na Arena Pernambuco. O torcedor que for ao jogo hoje, encontrará um estádio com gramado e arquibancadas reformados.

Desfalcado
Após estrear com empate em casa com o Socorrense-SE (1 a 1), o técnico Jaelson Marcelino irá sofrer com os desfalques para enfrentar o Leão. Serão cinco no total. O meia Aurélio ainda está fora de forma, enquanto Da Silva, Jota, Furlan e Kaká estão entregues ao departamento médico.