Santa Cruz 0x1 América-RN

Santa Cruz faz Péssima partida, perde para OAmérica/RN na Arena Pe E deixa escapar o G4

Por: Daniel Lima

O Santa Cruz subiu ao gramado da Arena Pernambuco dependendo das próprias forças para ingressar pela primeira vez no G4 do Campeonato Brasileiro da Série B. O público espetacular viu o Mais Querido ser derrotado para o América/RN e quebrar a invencibilidade de oito jogos na competição.

A equipe coral encontrou bastante dificuldade e jogou mal, perdendo dos potiguares pelo placar de 1 x 0. Max anotou o gol do adversário no embate válido pela 33ª rodada da Série B. Além de deixar escapar a “inédita” conquista do grupo dos quatro, o Santa perdeu a hegomonia em São Lourenço da Mata, que era de cinco vitórias e um empate, em seis confrontos.

Na 6ª colocação com 51 pontos, o tricolor do Nordeste perdeu um posição provisoriamente e não conseguiu entrar no G4, que seria a primeira vez. O próximo compromisso do Santa Cruz será o Clássico das Emoções, contra o Náutico, sábado (8), às 16h20, na Arena PE.

O TIME – Sem fazer loucura e adotando a postura de não mexer no que está dando certo, o técnico Oliveira Canindé confirmou os onze titulares dois dias antes do jogo. O lateral direito Tony, que cumpriu suspensão, voltou ao time e foi a única “novidade” da escalação. Para não perder o costume, a equipe foi formada com Tiago Cardoso; Tony, Alemão, Renan Fonseca e Tiago Costa; Sandro Manoel, Bileu, Danilo Pires e Wescley; Keno e Léo Gamalho.

O JOGO – O fato de ter a oportunidade de entrar no G4 influenciou na ansiedade do Santa Cruz nos primeiros movimentos do embate. Até os 5 minutos, nenhuma chance de gol para ambos os lados, porém os nervos estavam à flor da pele. A equipe adversária não adotou uma postura defensiva, mas também não ofereceu perigo à meta de Tiago Cardoso.

O time orientado por Oliveira Canindé encontrou dificuldades, devido à tática do técnico Roberto Fernandes, que adiantou os seus laterais para evitar as subidas com qualidade de Tony e Tiago Costa. O relógio chegou aos 10 minutos e o confronto seguiu truncado com jogadas violentas. Era nítido que a bola parada poderia soar mais alto e aos 13 minutos, Tony cobrou a falta e Danilo Pires, de meia bicicleta, jogou a bola por cima do gol, sem oferecer perigo.

Logo depois, Keno desceu em velocidade e conseguiu fazer uma boa jogada, mas finalizou fraco e facilitou a defesa do goleiro Andrey. O tricolor começou a se soltar e por pouco não abre o placar na Arena PE. Novamente com o lateral direito, que achou Wescley e o meia tocou de primeira para Danilo Pires. Dentro da aréa, o volante chutou para fora e a bola passou muito perto.

O América/RN sentiu o bom momento do mandante da partida e tentou estabilizar o ímpeto coral, já que até os 22 minutos apenas marcou forte e mal conseguiu trocar três passes, abdicando de atacar. O artilheiro do Mais Querido na temporada, Léo Gamalho, teve uma boa oportunidade para tirar o zero do placar. Ele ficou de frente para o arqueiro Andrey e faltou capricho na finalização de perna esquerda.

Tanto os pernambucanos como os potiguares tinham como maior obstáculo acertar os passes, beneficiando o maior número de bolas rifadas e pífias jogadas de ataque. Restavam cinco minutos para o término da primeira etapa, sem os acréscimos, para mudar o panorama do jogo.  Aos 42 minutos, o meia Wescley arriscou de fora da área e Andrey se esticou, mandado para escanteio. A falta de produtividade ofensiva, o excesso de faltas e erros de passes, desenharam o placar de 0 x 0.

SEGUNDO TEMPO – Confiando na capacidade da sua equipe e priorizando o bom entrosamento, Oliveira Canindé voltou do intervalo com os onze titulares que iniciaram o confronto. Os últimos 45 minutos prometiam fortes emoções, o Santa buscando a vitória para entrar no G4 e o América/RN almejando os três pontos para sair da zona de rebaixamento.

A primeira ótima chance da etapa complementar foi do adversário. Aos 4 minutos, Rodrigo Pimpão invadiu a área e chutou bem, mas o goleiro Tiago Cardoso mandou para escanteio. O panorama era idêntico ao do primeiro tempo, permanecendo com raras oportundidade de ataque e várias jogadas mais fortes entre os atletas. O Santa Cruz não conseguia oferecer nenhum perigo. Para tentar abrir o placar, Canindé apostou em Cassiano na vaga de Tony.

Antes da alteração, os alvirrubros chegaram bem lá na frente com Daniel Costa, mas o paredão coral defendeu e salvou o Mais Querido. O cronômetro marcava 20 minutos e os torcedores tricolores ficavam em clima de angústia na Arena Pernambuco. Mais ofensivo com a entrada de Cassiano, o Santa explorou a velocidade para tentar balançar as redes. Após Léo Gamalho tocar para Tiago Costa, o lateral esquerdo cruzou e o goleiro Andrey foi mais rápido, chegando primeiro no lance.

O único objetivo era a vitória e, com isso, o técnico coral acionou o meia Natan no lugar de Keno. Aos 26 minutos, Jean Cléber, do América/RN, arriscou de muito longe e Tiago Cardoso, bem posicionado, praticou a defesa. A partida estava aberta e o confronto válido pela 33ª rodada era bastante corrido. Os 15 minutos finais prometiam ser dramáticos pela pressão dos torcedores, que queriam comemorar a vitória.

Aos 34 minutos veio o castigo coral. Rodrigo Pimpão achou Max, livre dentro da área, o atacante dominou e tocou na saída de Tiago Cardoso. Na base do desespero, o tricolor tentou ao menos empatar o jogo. Vencendo por 1 x 0, o América/RN se segurou e explorou os contra-ataque nos últimos movimentos do embate. O Santa Cruz sentiu o golpe e não produziu mais nada, saindo das quatro linhas com a derrota.