Santa Cruz 2×0 Joinville

Santa Cruz vence o Joinville nos Aflitos

Autor: Matheus Albino

O Santa Cruz enfim encontrou os caminhos da vitória e de um bom futebol nesta Série B. Após quebrar a sequência de sete empates em sete jogos os tricolores venceram na última rodada o Boa Esporte em Varginha, e agora o Joinville por 2×0, nesta sexta-feira, nos Aflitos, pela nona rodada da Série B. Os gols foram marcados por Memo e Betinho.

O setor ofensivo funcionou bem, não sentiu o desentrosamento no quarteto formado por Danilo Pires, Carlos Alberto, Pingo e Betinho, e até poderia ter vencido por mais. No primeiro tempo o Tricolor teve a posse de bola e criou várias oportunidades de gol, merecia ter saído com um placar mais elástico, mas não teve sorte nas finalizações. O Joinville se complicou ainda mais com a expulsão do meia Tartá, após entrada violenta em Everton Sena. Tartá ,inclusive, já havia feito uma falta dura em Memo antes de levar o vermelho.

Com a vitória o Santa Cruz subiu para a oitava posição com 13 pontos. O próximo jogo será na terça-feira contra a Ponte Preta nos Aflitos. Já o Joinville enfrenta o Vila Nova-GO em casa. Para não perder a ponta, os catarinenses dependem do complemento da rodada neste sábado.

O jogo

O Santa começou bem em campo. Como manda o manual do futebol os tricolores fizeram valer o mando de campo e começaram os trabalhos para abrir o placar. O setor de criação esteve numa noite feliz. Danilo Pires, Carlos Alberto, Pingo e Betinho fizeram uma boa partida e mostraram que o desentrosamento já é coisa do passado.

Substituindo o artilheiro Léo Gamalho, Betinho não marcou gols na primeira etapa, perdeu algumas oportunidades mas foi importante na frente se movimentando bastante e ajudando na marcação pressão para roubar a bola da defesa do JEC. Os lances começarama a aparecer logo nos primeiros minutos.

Aos três, Everton Sena mandou um balão para o ataque e encontrou Betinho, ele tentou dominar a bola mas não conseguiu. Quatro minutos depois, Betinho teve outra chance, após o cruzamento de Carlos Alberto o centroavante não alcançou a bola. O JEC também foi ao ataque, Tartá e Schwenck deram trabalho para a defesa coral, que, atenta, não permitiu qualquer tipo de penetração dos atacantes catarinenses. Aos 12, Nininho cobrou o escanteio e Renan Fonseca quase marcou o primeiro pegando um chute firme, Ivan fez a defesa.

Mas não demorou muito para o gol sair. Aos 15 minutos, Carlos Alberto ajeitou para Memo que soltou uma bomba no canto direito de Ivan. Estava ali o sossego da torcida tricolor. O gol, que era para dar uma tranquilizada aos donos da casa, acabou dando sono na equipe. Mais uma vez o Santa caiu no erro que vem cometendo nesta Série B; fazer o gol e recuar, dando campo de jogo ao adversário.

Os catarinenses gostaram da ideia e foram ao ataque. Para a sorte dos corais o Joinville aproveitava apenas os erros de saída de jogo mas não conseguiu criar chances claras de gol. Carlos Alberto, mais uma vez fazendo uma boa partida quase deixou o dele. Aos 30 ele certou um lindo chute de esquerda no travessão.

O que estava ruim ficou ainda pior para o JEC. Tartá entrou na maldade em Memo. O árbitro Marcelo de Lima Henrique o advertiu com amarelo. Dois minutos depois o mesmo Tartá deu uma voadora em Everton Sena, e dessa vez, vermelho para o meia do Joinville.

Segundo tempo

O técnico Hemerson Maria mudou o esquema de jogo por conta da expulsão de Tartá. Mas a troca de Harrison pelo lateral-direito reserva Murilo não foi muito bem pensada, pois o meia era o melhor em campo. Assim Eduardo Ratinho passou para o meio e Murilo fez a lateral-direita. Até que o JEC começou a segunda etapa bem.

Teve várias oportunidades de empatar o jogo mas Tiago Cardoso evitou a igualdade. Como diz o velho ditado do futebol, ‘quem não faz leva’. E foi iso que aconteceu. Renatinho foi na esquerda e cruzou na cabeça de Betinho, que com estilo, colocou a bola no fundo das redes catarinense. Com 2×0 no placar e um a menos o Joinville se entregou no jogo.

Apesar de tentar diminuir a vantagem, era nítida a falta de confiança do time adversário nos Aflitos. O técnico Sérgio Guedes aproveitou para fazer experiências no time. Tirou Nininho e promoveu a estreia de Julinho. E também retirou do gramado de jogo, o meia Carlos Alberto, que saiu de campo visivelmente cansado. Emerson Santos ficou com a vaga.