Santa Cruz x Sport

Rivalidade move um Clássico das Multidões que vale pouco para Santa Cruz e Sport

Ficha do jogo
Santa Cruz
Anderson; Cesinha, William, João Victor e Raphael Soares; Eduardo, Lucas Gonçalves e Luiz Felipe; Augusto, Elias e Guilherme Queiroz (Neto Costa). Técnico: Leston Júnior.
Sport
Magrão (Maylson); Norberto, Adryelson, Rafael Thyere e Sander; Ronaldo, Charles, Alisson Farias; Ezequiel, Guilherme e Hernane. Técnico: Milton Cruz.
Local: Estádio do Arruda
Horário: 17h
Árbitro: Luiz Sobral
Assistentes: Francisco Chaves e Bruno Vieira

Santa Cruz e Sport decidem vaga na final na Copa do Nordeste com favoritismo invertido

Ficha do jogo

Santa Cruz
Julio Cesar (Jacsson); Vitor, Anderson Salles, Bruno Silva e Tiago Costa; Elicarlos, David, Pereira, Léo Costa e Thomás; Halef Pitbull. Técnico: Vinícius Eutrópio.

Sport
Magrão, Samuel Xavier, Ronaldo Alves (Henríquez) e Mena; Fabrício, Rithely e Diego Souza; Everton Felipe (Ronaldo), André e Rogerio. Técnico: Ney Franco.

Estádio: Arruda (Recife-PE).

Horário: 21h45.

Árbitro: Péricles Bassols (PE).

Assistentes: Clóvis Amaral (PE) e Marcelino Castro (PE).

Ingressos: R$ 40 (arquibancada inferior), R$ 20 (meia-entrada para arquibancada inferior) e R$ 15 (arquibancada superior).

Clássico com espírito de clássico: Santa Cruz e Sport duelam com rivalidade aflorada

Ficha do jogo

Santa Cruz
Julio Cesar; Vitor, Jaime, Bruno Silva e Roberto; Elicarlos, David, Léo Costa (Thiago Primão, William Barbio ou André Luís) e Thomás; Everton Santos e Halef Pitbull. Técnico: Vinícius Eutrópio.

Sport
Magrão; Samuel Xavier, Ronaldo Alves, Durval e Mansur; Rithely, Ronaldo, Everton Felipe, Diego Souza e Rogério; Leandro Pereira. Técnico: Daniel Paulista.

Estádio: Arruda (Recife-PE). Horário: 16h30.

Árbitro: Sebastião Rufino Filho (PE).

Assistentes: Marlon Rafael Gomes de Oliveira (PE) e Bruno César Chaves Vieira (PE).

Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (arquibancada superior e inferior). Sócios do Santa Cruz em dia não pagam.

Em ano do centenário do clássico, Santa Cruz e Sport fazem primeiro duelo internacional

Ficha do Jogo

Santa Cruz
Tiago Cardoso; Léo Moura, Luan Peres, Danny Morais e Allan Vieira; Uillian Correia, Derley, João Paulo, Pisano e Keno; Grafite. Técnico: Doriva.

Sport
Magrão; Apodi, Matheus Ferraz, Ronaldo Alves (Durval) e Rodney Wallace; Serginho, Rithely, Lenis, Gabriel Xavier e Rogério; Ruiz. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Estádio: Arena de Pernambuco (São Lourenço da Mata-PE). Horário: 21h45. Árbitro: Julio Bascuñan (Fifa-Chile).Assistentes: Marcelo Barraza (Chile) e Christian Schierman (Chile).

Os ingressos para o clássico:

Torcida do Santa Cruz

Cadeira Inferior Nível 1 Leste
Sócio – R$ 25
Sócio Promocional – R$ 20
Sócio Internet – R$ 15

Cadeira Inferior Nível 1 Sul
Inteira – R$ 50
Meia-Entrada/Promocional/Sócio – R$ 25
Sócio Promocional – R$ 20

Cadeira Superior Nível 4 Leste/Sul
Inteira – R$ 30
Meia-Entrada/Promocional/Sócio – R$ 15

Cadeira Superior Nível 4 Oeste

Inteira – R$ 30
Meia-Entrada/Promocional/Sócio – R$ 15

Nível 1 – Assento Premium Mandante Oeste
Inteira – R$ 120
Meia-Entrada – R$ 60
Sócio – R$ 50
Sócio & Proprietário de Camarote/Conselheiro/Sócio & Proprietário de Cadeira – R$ 30

Camarote Nível 2 Oeste
Inteira – R$ 100
Sócio & Proprietário de Camarote – R$ 50

Nível 3 – Premium Deck Oeste Mandante

Inteira – R$ 120
Meia-Entrada – R$ 60
Sócio – R$ 50
Sócio & Proprietário de Camarote/Conselheiro/Sócio & Proprietário de Cadeira – R$ 30

Torcida do Sport (Visitante)

Cadeira Inferior Norte
Inteira – R$ 50
Meia-Entrada/Promocional – R$ 25

Cadeira Superior Norte
Inteira – R$ 30
Meia Entrada/Promocional – R$ 15,00

Com todo o peso sobre suas costas, Santa Cruz recebe o Sport no Arruda para seguir no Estadual

 Redação Superesportes /Diario de Pernambuco

Ricardo Fernandes/DP

Sob o risco de ser eliminado no Estadual e também da Copa do Nordeste de 2017, Santa joga a vida no Clássico

Há um confronto que vale a liderança, envolvendo duas equipes candidatas ao título. Há um time, hoje considerado pequeno, querendo reviver os momentos de glória das décadas de 1920, 1930, 1940. Pelo menos, chegando na semifinal. Responsabilidades que nem de perto são comparadas a do Santa Cruz. Na última rodada do hexagonal do título do PE2016, o peso maior está sobre os ombros tricolores. Contra o Sport, no Arruda, o atual campeão estadual entra em campo precisando do empate para avançar às semifinais. Evitar uma eliminação que acarretará prejuízos ao clube. Dentro e fora do campo.

A relevância maior à situação coral é perceptível na forma como os times encaram os seus compromissos. A possibilidade de conseguir ou não a meta proposta para este domingo. “Ficar de fora dos quatro melhores de Pernambuco seria o fim do mundo para o Santa Cruz”, afirmou o atacante Grafite, ídolo coral, que deve voltar ao time após dois jogos de ausência – por conta de uma lesão na coxa esquerda. Por “fim do mundo”, além da saída precoce do PE2016, entenda-se a ausência na Copa do Nordeste de 2017 – com todos os seus reflexos financeiros – e o aumento da desconfiança do torcedor num ano especial para o clube, marcado pelo retorno à Série A.

Na situação delicada do Santa Cruz, aliás, reside uma das poucas motivações do Sport para a partida. Já consolidado na terceira colocação, o Leão poderia entrar em campo disposto a eliminar o rival. Evitar um reencontro na final. Possibilidade cogitada pelo atacante coral. “Vai ser difícil, complicado. Pensando pelo lado do Sport, é viável para eles eliminar a nossa equipe agora.” Em paralelo a isso, o time rubro-negro deve considerar a possibilidade de encurtar a distância para Náutico e Salgueiro na classificação, já que os pontos somados na semifinal são considerados para definir a ordem do mando de campo da decisão.

Ricardo Fernandes/DP
Maior desfalque leonino é Lenis, suspenso

Indiferente
Além dessa vantagem de decidir em casa nos mata-matas, não há mais nada em jogo para o Sport. É por isso que o clube chega ao Clássico mais focado no confronto contra o Campinense, na Copa do Nordeste. A ordem do técnico Falcão, que não estará à beira do gramado do Arruda, é poupar jogadores. Assim, Rithely e Renê devem ficar fora, dando lugar a Ronaldo e Christianno – que também será titular na quarta-feira. Por outro lado, o chileno Mark González está relacionado e deve voltar a atuar após mais de dois meses.

Livre atirador
O principal objetivo do América no Campeonato Pernambucano já foi alcançado: a vaga na Série D. Com uma estrutura precária, sem local certo para treinar e estádio para mandar os jogos, era difícil imaginar que o Mequinha poderia alcançar a semifinal. E pode. Possibilidade real. As contas do Periquito envolvem duas vitórias. A mais “difícil” não depende dele. Precisa que o Sport vença o Clássico das Multidões, no Arruda.

O outro resultado necessário seria complicado não estivesse o adversário deste domingo, o Central, numa situação tão crítica. Lanterna do hexagonal, a Patativa precisou recorrer às pressas às categorias de base para conseguir montar um banco de reservas. Circunstâncias que tornam uma vitória do América, no Luiz Lacerda, um resultado plausível na tarde deste domingo.

Ficha do jogo

Santa Cruz
Tiago Cardoso; Vítor, Néris, Danny Morais, Alan Vieira; Uillian Corrêa, João Paulo, Lelê (Leandrinho ou Daniel Costa); Keno, Arthur, Grafite. Técnico: Milton Mendes.

Sport
Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Henríquez, Durval, Renê (Christianno); Ronaldo, Serginho, Luiz Antônio; Gabriel Xavier, Fábio (Mark González); Túlio de Melo (Vinícius Araújo). Técnico: Thiago Gomes.

Local: Arruda (Recife). Horário: 16h. Árbitro: Gleydson Leite (PE). Assistentes: Elan Vieira e Albert Junior (ambos de PE).

Até dez clássicos entre Santa Cruz e Sport em 2016, do Estadual à Sul-Americana

Por: Cassio Zirpoli

Em 2008, tricolores e rubro-negros não se enfrentaram uma vez sequer. Resultado do regulamento esdrúxulo no Estadual, somado à fraca campanha coral na competição e às divisões distintas no Campeonato Brasileiro. O hiato foi um incômodo na temporada, o primeiro em muito tempo. Em 2016, por outro lado, há a possibilidade de uma overdose de Clássico das Multidões. Com o retorno do Santa Cruz à Série A e ao Nordestão, torneios também com a presença do Sport, os destinos podem se cruzar várias vezes…

O número de confrontos oficiais pode ir de 4 a 10 jogos.

Estadual (de 2 a 4 jogos)
Além do hexagonal, com duas partidas já marcadas (21/02 e 10/04), os rivais podem se enfrentar no mata-mata (semifinal ou decisão). O histórico mostra que que a chance é considerável. Nos últimos cinco anos foram quatro vezes, com três triunfos tricolores (todos na final) e um dos rubro-negros (na semi).

Copa do Nordeste (até 2 jogos)
Por pouco os times não ficaram logo no mesmo grupo. No sorteio, o Sport foi o cabeça de chave do D. O Santa Cruz estava no segundo grupo de bolinhas, e só foi sorteado na chave C, encabeçada pelo Bahia. De toda forma, o confronto pode acontecer a partir das quartas de final (como em 2014, na semi).

Série A (2 jogos)
Após quinze anos, o Clássico das Multidões está de volta à elite nacional, sendo a primeira vez nos pontos corridos. Desde 1971 foram 13 partidas. Mais duas entrarão na lista, uma no turno e outra no returno do Brasileirão.

Copa Sul-Americana (2 jogos…?)
Sula? Acredite, há chance. Caso o Sport termine a Série A atrás de São Paulo e Inter (e apenas um cenário improvável faria ser diferente), o time terá a pré-vaga da Sul-Americana, já no pote 1 da “fase nacional”. Enquanto isso, o Santa pode acabar a Segundona como vice (basta vencer o Vitória). Assim, teria uma chance razoável de obter a sexta vaga na fila do Brasileiro (a Ponte, vice da última Série B, conseguiu em 2015). Logo, ficaria no pote 2. Como são quatro confrontos brasileiros, haveria 25% de chance no sorteio da Conmebol.

Obs. Em tese, ainda haveria a Copa do Brasil, mas nunca houve um confronto entre os grandes do estado – e se ocorrer, não haveria disputa na Sula. A tabela não costuma ter clássicos nas três primeiras fases. Já na quarta (oitavas), ambos ficariam no pote 2 do sorteio. Ou seja, o clássico só poderia acontecer nas quartas de final, a 5ª fase do torneio. 

Clássico marca retorno do Campeonato Pernambucano

Por Thiago Wagner

Depois de dois amistosos, vários testes na linha de frente, últimos reajustes, chegou a hora dos trabalhos do técnico Ricardinho serem colocados à prova. O Santa Cruz estreará no Campeonato Pernambucano, neste sábado (31), diante o Sport. Para o Clássico das Multidões, a equipe tricolor ainda não terá a sua força máxima, visto que, alguns reforços não chegaram a tempo de serem regularizados pela CBF, como é o caso dos atacantes Bruno Mineiro e Nathan e os meias Emerson Santos e Guilherme Biteco, no entanto, o técnico Ricardinho garantiu que terá uma equipe forte na estreia do estadual.

Ricardinho tem teste duro pela frente. Foto: Rodrigo Carvalho/JC Imagem

“Nós esperamos por algumas regularizações, mas ao mesmo tempo nos preparamos para jogar sem eles. Posso garantir que estamos prontos para enfrentar o Sport com essa equipe que vamos colocar em campo”, assegurou.

Considerado favorito, Leão vem sem o principal astro

Eduardo tem que administrar favoritismo do Leão. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Eduardo tem que administrar favoritismo do Leão. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Favoritismo. Essa a palavra que os comandados de Eduardo Baptista terão que administrar a partir deste sábado no Sport. Desde que voltou para a pré-temporada, os leoninos são dados como favoritos na disputa estadual. Os argumentos são que o Leão manteve boa parte da base de 2014 e soube se reforçar bem. Só que ser favorito nem sempre é sinônimo de vitória. Por conta disso, o treinador rubro-negro prega o respeito ao adversário, principalmente porque não terá o meia-atacante Diego Souza. O principal astro do Leão não ficou regularizado a tempo para o duelo. Sem ele, Eduardo tem uma dúvida no ataque da equipe. Samuel e Régis brigam por uma vaga. O restante do time, porém, está definido.

Quem pode decidir: Anderson Aquino x Conjunto

Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Recém-chegado ao Arruda, Anderson Aquino conhece melhor do que ninguém o primeiro desafiante do Santa Cruz no Campeonato Pernambucano. Ex-jogador do Sport – vestiu a camisa rubro-negra em 2006 e 2007 –, Aquino foi regularizado no Boletim Informativo Diário da CBF minutos antes do fechamento e será o grande trunfo do técnico Ricardinho.

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

No lado do Sport quem pode desequilibrar o confronto é não é um jogador específico, mas o conjunto da equipe. Muito mais entrosado do que o adversário, o grupo leonino é apontado como possível diferencial dos rubro-negros no clássico.

Fique de olho: Bruno x Élber

Foto: Rodrigo Carvalho/JC Imagem

Foto: Rodrigo Carvalho/JC Imagem

O camisa 1 do Santa Cruz foi confirmado às vésperas da partida e ganhou o aval do treinador pela sua experiência em grandes jogos. O goleiro passou por todas as categorias de base do Palmeiras aonde foi revelado. No Alviverde, ele atuou em competições importantes como a Taça Libertadores da América e a Copa Sul-Americana.

Foto: Thiago Augustto

Foto: Thiago Augustto

Mas se o conjunto não decidir ainda há esperança para os rubro-negros. Nesse caso, uma possível aposta é garoto Élber. Recém-contratado pelo Sport, o meia-atacante ganhou logo a vaga no time titular e já se entrosou rápido ao grupo. Veloz, pode ser decisivo no duelo, principalmente se tiver liberdade para atuar.

Os times:


Provável time do Sport

FICHA DA PARTIDA – SANTA CRUZ X SPORT

Santa Cruz: Bruno; Moisés, Danny Morais, Alemão e Léo Veloso; Bileu, Sitta e Pedro Castro; Thiaguinho, Aquino e Bruno Mineiro (Waldison). Técnico: Ricardinho.

Sport: Magrão; Alex Silva, Páscoa, Durval e Renê; Rithely, Mancha e Danilo; Samuel (Régis), Élber e Joelinton. Técnico: Eduardo Baptista.

Pernambucano (1ª rodada). Local: Arruda. Horário: sábado, às 18h30 (horário  local). Árbitro: Marcelo de Lima Henrique. Auxiliares: Fernanda Colombo e Clóvis Amaral.

Santa Cruz e Sport 2014, capítulo 5

Autor: Wladmir Paulino

Pela quinta vez no ano, Santa Cruz e Sport medem forças. O confronto que mais se repetiu no mês de março entra pelo mês de abril com o mesmo caráter decisivo do período anterior. O encontro da vez será no Arruda, a partir das 16h, pelas semifinais do Campeonato Pernambucano 2014. Para quem está acostumado a decidir o Estadual nos últimos três anos, o embate, agora acontece um pouco antes. Desde 2011 rubro-negros e tricolores decidem o campeão do ano – o Santa levou vantagem em todas. Agora, a escrita será quebrada, mas nem por isso o Clássico das Multidões reserva menos emoções.

No Santa, por mais que tentem amenizar nas palavras todos deixam transparecer que estão com o Sport entalado na garganta. Até mesmo o técnico Vica reconheceu o incômodo dos sucessivos revezes – foram três derrotas e um empate. Além das derrotas, duas delas valeram a eliminação do Santa na semifinal do Nordestão. ” A gente não conversa em revanche, mas está engasgado. Ninguém quer perder sempre para o mesmo adversário e cinco jogos seguidos é desgastante para as duas equipes. Isso alivia um pouco a decepção pelos jogos passados”, declarou o técnicoSandro Manoel e Patric têm novo encontro marcado neste domingo. Foto: Guga Matos/JC Imagem

Vica terá de volta os três jogadores poupados na última rodada do hexagonal: Everton Sena (zagueiro), Oziel (lateral-direito) e Luciano Sorriso (volante). Ele não quis arriscar perder ninguém pelos cartões amarelos. Mesmo assim há uma dúvida. O atacante Betinho entrou bem no jogo com o Central, tendo inclusive marcado o gol de empate e deixou uma boa dúvida para o comandante. O problema é que ele disputa a posição com ninguém menos que Flávio Caça Rato, xodó da torcida mas que passa por um momento de maré vazante.

“Temos que ter uma equipe bem centrada no jogo como fizemos no último. Foi um bom sinal e dá um ânimo maior para nossa equipe repetir aquela atuação e com um pouco mais de felicidade ganhar o jogo. Se vencermos, a responsabilidade passa toda para o time que faz o segundo jogo em casa, pois vão ter que vencer no tempo normal e nos pênaltis. Espero que possamos fazer um bom resultado aqui e inverter a pressão para o segundo jogo”, pontou

Para o Sport, vale não só a invencibilidade frente ao rival, mas também a segunda vaga numa decisão num intervalo de pouco mais de uma semana. O time de Eduardo Baptista está em plena disputa do título da Copa do Nordeste – abriu vantagem de 2×0 em cima do Ceará – e o técnico já avisou que quer ganhar as duas competições. Por isso, garante que vai entrar em campo com o que tem de melhor. A única ausência é o lateral-esquerdo Renê, que tomou o terceiro cartão amarelo no clássico com o Náutico e cumprirá suspensão automática. Seu substituto será Danilo.

Pelas declarações será uma grande surpresa se Eduardo Baptista entrar com os suplentes ou mesmo um time misto, embora tenha recebido o aval da diretoria para fazer o que bem entender. Como era preparador físico no início da temporada, ele lembrou que os jogadores foram trabalhados, desde o primeiro dia, para suportar momentos como esse. “Eles querem jogar e cabe a mim escolher. Não vou cometer loucruas e se tiver alguém com cansaço extremo vamos estudar. Mas a minha ideia é que quem estiver cem por cento vai jogar. Vou colocar o melhor Sport em campo”, garantiu.

Ficha do jogo:

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel, Everton Sena, Renan Fonseca e Zeca; </CL>Sandro Manoel, Luciano Sorriso, Raul e Jefferson Maranhão (Memo); Flávio Caça-Rato (Betinho) e Leo Gamalho. Técnico: Vica.

Sport: Magrão; Patric, Ferron, Durval e Danilo; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa e Aílton; Felipe Azevedo, Neto Baiano e Ananias. Técnico: Eduardo Baptista.

Local: Arruda. Horário: 16h. Árbitro: Gilberto Castro Jr. Assistentes: Elan Vieira e Francisco Bezerra Jr. Ingressos: Arquibancada superior R$ 15, arq. inf. R$ 50, sócio R$ 30, estudante R$ 25.

Santa Cruz e Sport procuram surpreender em mais um Clássico das Multidões neste mês

Por Thiago Wagner e Matheus Albino

É difícil de acreditar, mas Santa Cruz e Sport vão se confrontar mais uma em menos de um mês. O jogo desta quarta-feira, no Arruda, pelo Pernambucano, é, enfim, o último capítulo da sequência de quatro jogos entre as duas equipes. Em uma primeira análise, parece não haver mais o que surpreender o adversário por causa de tantos jogos. No entanto, é justamente na capacidade de trazer algo que as duas equipes apostam para saírem com os três pontos do gramado. Lembrando que o vencedor se torna líder do Estadual. O Leão é o atual primeiro com 16 pontos, mas pode ser ultrapassado pelos corais, que estão com 14.

LEIA MAIS:
> Vica sinaliza mudanças no Santa Cruz e faz mistério para o clássico contra o Sport

> Eduardo Baptista faz apenas um rachão e Sport para o clássico é uma incógnita

> Felipe Azevedo quer a vitória no clássico para garantir a liderança do Estadual

> Raul quer esquecer problemas do passado no Santa Cruz e foca o clássico contra o Sport

> PM promete mais rigor contra aglomerações de torcedores

Depois de três derrotas seguidas para os rubro-negros (uma pelo Pernambucano e duas pela Copa do Nordeste), o técnico Vica pensa em mudanças na equipe. Adotando o mistério, não revelou quais alterações planeja, mas cogitou até mesmo mudar a maneira de jogar. “Pode ser que eu entre com um time que o técnico do Sport não esteja esperando”.

Uma das alterações do comandante coral pode ser a entrada de Natan no meio. Vica não o confirmou como titular, mas deu a entender que pode utilizá-lo de frente. Raul seria o jogador a sair para dar vaga a Natan. “Temos essa dúvida. Vamos deixar para definir no dia do jogo”.

Vica adota mistério na escalação. Foto: Guga Matos/JC Imagem

Vica adota mistério na escalação. Foto: Guga Matos/JC Imagem

Independente da equipe que entrar em campo, o treinador tricolor não quer sair derrotado desta vez. Para isso, garante ter estudado o Sport. Além disso, espera contar com o poder do seu ataque, o melhor do Estadual. “defesa deles é bem sólida e bem postada. Tanto que tomou poucos gols. É a defesa menos vazada contra o melhor sistema ofensivo. Se vamos ter dificuldades para furar o bloqueio deles, eles também vão ter problemas para nos marcar”.

No Sport o objetivo é conquistar a quarta vitória em cima do Santa Cruz em quatro clássicos até agora nesta temporada, e se possível, confirmar a primeira colocação do hexagonal do título. Para que isso aconteça o time terá que torcer por no mínimo um empate entre Salgueiro x Náutico, que jogam no Cornélio de Barros, em Salgueiro. Mesmo com três vitórias sobre o rival, todos na Ilha querem continuar invictos sobre o rival. “Vamos manter a mesma atenção nesse quarto jogo, pois uma vitória e uma combinação de resultados nos deixará permanentes na primeira colocação”, disse o técnico Eduardo Baptista. “Está sendo visto como um jogo tão importante quanto os outros”, completou.

Na última vez em que se enfrentaram, pelas semifinais da Copa do Nordeste, os rivais fizeram um jogo bastante tenso, com erros de arbitragem e três expulsões. Em boa parte do jogo o Sport ficou com dois homens a mais, mas não soube transformar a vantagem numérica em gols. Alguns acreditaram que o técnico rubro negro havia pedido para o time tocar mais a bola e não agredir o Santa, algo que foi desmentido por ele na coletiva dessa terça-feira. “Eu não sei de onde saiu essa informação de que eu mandei respeitar o Santa. Pedi apenas para tomarem cuidado e se preservarem, para não perder ninguém por lesão ou por cartões”, comentou.

Eduardo Baptista também não confirmou o time titular. Foto: Guga Matos/JC Imagem

Eduardo Baptista também não confirmou o time titular. Foto: Guga Matos/JC Imagem

Para o jogo ele afirmou que ainda tem algumas dúvidas no time titular, referente ao setor defensivo e de meio de campo. Como não perdeu ninguém por contusão nos últimos jogos, a ideia é que ele repetisse a formação que vem utilizando. Mas, no treino desta terça-feira ele realizou algumas jogadas ensaiadas e situações de jogo, onde não permitiu a entrada da imprensa. Com isso, as dúvidas sobre quem vai à campo surgem, e se depender dele isso esse mistério só será desvendado minutos antes do jogo. “Tenho alguns detalhes para trabalhar. Assisti um vídeo do clássico entre Náutico e Santa Cruz e por isso fiz uma arrumação de cinco minutos com a equipe sobre o posicionamento em campo. Ainda não tenho o time definido, são algumas dúvidas na defesa, no meio entre o Danilo e o Renan Oliveira”, falou. “Preciso saber se o time vai precisar de mais posse de bola, se vai esperar o Santa. Por isso não tenho o time definido”, garantiu.

Se vai poupar alguém contra o Náutico no domingo, caso consiga a liderança isolada, ele garantiu que só irá preservar quem estiver pendurado com cartões amarelos. “Não vou poupar por questões físicas, só se for por cartão. Nas semifinais os cartões zeram se o jogador estiver com dois, mas se ele levar o terceiro na última rodada cumpre”, analisou.

FICHA DA PARTIDA – SANTA CRUZ X SPORT

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel, Renan Fonseca, Everton Sena e Zeca; Sandro Manoel, Luciano Sorriso, Raul (Natan) e Carlos Alberto; Flávio Caça-Rato e Léo Gamalho. Técnico: Vica.

Sport: Magrão, Patric, Ferron, Durval e Renê; Ewerton Páscoa, Rodrigo Mancha, Aílton e Renan Oliveira (Danilo); Felipe Azevedo e Neto Baiano. Técnico: Eduardo Baptista.

Pernambucano. Local: Arruda, Recife (PE). Horário: quarta-feira, às 22h. Árbitro: Sebastião Rufino Filho. Auxiliares: Elan Vieira e Wlademir de Souza.

Santa Cruz e Sport lutam por vaga na decisão da Copa do Nordeste

Autor: Thiago Wagner

Somente um time pernambucano vai seguir em frente na Copa do Nordeste depois desta quarta-feira. Quando Santa Cruz e Sport entrarem no gramado do Arruda, pelo segundo jogo da semifinal da competição, cada espaço do gramado será disputado pelas duas equipes na busca pela vaga na decisão. O Leão parte na vantagem deste duelo por ter vencido o primeiro confronto por 2×0. Os rubro-negros jogam pelo empate e até podem perder por um gol de diferença que se classificam. Como se isso não bastasse, se os leoninos marcarem um gol, obrigam os tricolores a vencerem por três gols de diferença.

Dentro deste cenário, obrigatoriamente o ataque do Santa Cruz não poderá passar em branco. Precisa furar a defesa do Sport e fazer algo que ainda não fez neste ano: gols em clássicos. “Temos que procurar fazer o primeiro gol para incendiar a partida. Não adianta querer marcar o terceiro gol sem ter aberto o placar antes. Não importa com quantos minutos o primeiro vai sair, temos que buscar até o fim”, disse o atacante Léo Gamalho.

Nas outras duas vezes em que encarou o Leão, jogando na Ilha do Retiro, o time do técnico Vica não soube encontrar os espaços da defesa rubro-negra para chegar até o gol de Magrão. É bem verdade que a marcação imposta pelo técnico Eduardo Baptista foi dura e pegada, não deixando os mínimos espaços para o Santa trabalhar a bola.  Por conta disso, precisa trazer algo novo, que surpreenda o adversário, mas sem se desorganizar em campo. Apesar da necessidade de gols, o desespero não pode tomar conta dos corais.

Léo Gamalho é esperança de gols no Tricolor

Léo Gamalho é esperança de gols no Tricolor

“Não adianta entrar no jogo desorganizado. Vai ser uma partida dura e não podemos jogar de qualquer maneira. Se a gente for pra cima, sem organização, não vamos conseguir o resultado. Teremos 90 minutos equilibrados, de muita marcação. É o nosso terceiro confronto com o Sport e devemos ter aprendido alguma coisa. Vamos corrigir alguns pontos e por isso que a gente vai treinar hoje. Precisamos nos precaver para buscar a vitória. Vamos estar em casa, diante do nosso torcedor, que vai nos empurrar e a gente está trabalhando em cima disso para tentar a vitória e buscar a classificação”, afirmou Vica.

Apesar de ter feito o último treino antes do clássico de portões fechados, o treinador não deu indícios de que deverá fugir da escalação que vem utilizando nos últimos jogo. Ele, porém, deixou em aberto a possibilidade de alguma surpresa.”A base dos últimos jogos deve ser mantida. Mas só vou divulgar a escalação amanhã (nesta quarta). Pode ser que mude alguma coisa em relação ao confronto com o Porto. Vamos vê se a gente bola uma coisa nas próximas 24 horas”, declarou.

Pelo lado do Sport a tranquilidade reina não só pela boa vantagem, mas pelas boas apresentações recentes da equipe de Eduardo Baptista. Assim como Vica, o comandante leonino não confirmou os titulares. Tem dúvidas no meio para o substituto de Ewerton Páscoa, suspenso pelo recebimento do terceiro amarelo, e de Ananias, lesionado e vetado pelo departamento médico. Liberados pelo DM recentemente, o Rithely e Érico Júnior devem assumir as vagas respectivamente.

“Estou levando em consideração todos os fatores, como a experiência. Rithely não podemos falar que não é experiente, pois é titular desde 2012 na série A. Wendell está se recuperando e vou levar a dúvida até amanhã”, disse Baptista deixando em aberto uma disputa entre Rithely e Wendel pela vaga deixada por Páscoa.

Marcação rubro-negra deve vir forte novamente

Marcação rubro-negra deve vir forte novamente

Além de estudar as melhores alterações para os problemas da equipe, o treinador rubro-negro estuda estratégias de acordo com as variações do adversário. Não quer ser surpreendido pelo ímpeto por gols do adversário. “Trabalhamos três variações que o Vica costuma fazer. Têm jogadores tecnicamente interessantes e se ficar correndo atrás desses jogadores acaba se perdendo na marcação”.

Um aspecto que não deve mudar no Sport, porém, é a forte marcação, principalmente sobre a saída de bola do adversário. Por conta desse desejo, Baptista poupou seus titulares no fim de semana, contra o Salgueiro. A expectiva do treinador é que, mais descansados, os seus atletas possam imprimir maior pegada e intensidade nas roubadas de bola.

FICHA DA PARTIDA – SANTA CRUZ X SPORT

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel, Everton Sena, Renan Fonseca e Nininho; Sandro Manoel, Luciano Sorriso, Carlos Alberto e Raul; Flávio Caça-Rato e Leo Gamalho. Técnico: Vica.

Sport: Magrão; Patric, Ferron, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Wendel (Rithely) e Aílton; Felipe Azevedo, Érico Júnior (Sandrinho) e Neto Baiano. Técnico: Eduardo Baptista.

Copa do Nordeste (semifinais). Local: Arruda, Recife (PE). Horário: quarta-feira, às 22h. Árbitro: Sandro Meira Ricci. Assistentes: Albino Andrade Albert Junior e Ricardo Bezerra Chianca.