Série B 2014

Sem objetivos na Série B, Náutico segura Ponte Preta na Arena e evita primeiro título dos paulistas

 Rafael Brasileiro /Diario de Pernambuco

A partida na Arena Pernambuco neste sábado só valia para a Ponte Preta. Talvez por isso a torcida alvirrubra assistiu a partida. Só se manifestou na hora do gol de Vinícius. Durante 90 minutos, os torcedores paulistas comandaram o som da Arena Pernambuco, mas não foram recompensados. O empate em 1 a 1 não foi o necessário para garantir o título e a ajuda do Oeste, que venceu o Joinville, não adiantou de nada. Para o Náutico, a despedida da Série B foi surpreendente, já que os atletas que realizaram greve jogaram mais do que o esperado e jogaram o bastante para garantir mais um ponto e terminar a competição em 12ª colocação.

A Ponte Preta queria o título da Série B e partiu para cima. Porém, as chances não se concretizaram. O castigo por não ter se aplicado tão bem veio à galope e de onde se menos esperava. E uma bola despretensiosa, Vinícius chutou de fora da área e marcou um gol inesperado. Uma finalização sem tanta força, mas com efeito e que quicou antes de balançar as redes. O suficiente para enganar Roberto e abrir o placar para o Timbu.

Era esperado que a Macaca respondesse à altura, mas não foi isso que ocorreu em um primeiro momento. O time de Campinas esbarrou na boa marcação alvirrubra no meio de campo e também na sua limitação. Nem parecia que realmente pensava em título. Apesar de depender da derrota do Joinville, o futebol mostrado pelos paulistas decepcionou os cerca de 100 torcedores que comparecem a Arena Pernambuco. O Timbu não criou muitas chances no primeiro tempo, mas em um único lance Bruno Furlan e Marinho desperdiçaram a oportunidade de ampliar.

Segunda etapa totalmente diferente

Ainda sem saber que o Joinville seguia empatando fora de casa contra o Oeste, a Ponte Preta não esperou por boas notícias e partiu para cima. Acuando o Náutico no início do segundo tempo, a Macaca perdeu duas chances claras e em uma delas colocou uma bola na trave em um chute de Cafu, que havia acabado de entrar na partida. Porém, não demorou para o gol de empate sair.

No embalo da torcida, que já havia anunciado o gol do Oeste sobre o Joinville, resultado que daria o título a Ponte em caso de vitória dos paulistas, a Macaca conseguiu a igualdade do placar aos . Em um lance difícil para a arbitragem, Renato Cajá deixou Roni na cara do gol e ele não perdoou. Júlio César amorteceu a bola, mas ela nem encostou nas redes, já que após cruzar a linha do gol William Alves chutou para longe. A arbitragem titubeou, mas confirmou o gol dos paulistas.

A partir daí a pressão foi sem precedentes. O Náutico só teve uma chance de desempatar a partida, mas Bruno Furlan, sozinho, cabeceou para fora. Investindo em lancamentos e e buscando Alexandro em todos os momentos, a Ponte pressionou como pôde. O Timbu ainda respondeu em lances isolados, mas a Ponte teve duas chances de ouro, mas não soube aproveitá-las. Em uma Júlio César evitou o gol, na outra Adrianinho se enrolou com a bola. O bastante para que a partida terminasse empatada e o sonho do primeiro título da sua história não se tornasse realidade.

Ficha do Jogo

Náutico 1
Júlio César; David, Luiz Alberto, William Alves e Gaston Filgueira; João Ananias, Paulinho, Vinícius e Guilherme (Vitor Michels, aos 301 do 2ºT); Bruno Furlan (Leleu, aos 23’ do 1ºT) e Marinho (Raí, aos 34’ do 2ºT).

Ponte Preta 1
Roberto; Jeferson, Tiago Alves, Gilvan e Bryan; Adilson Goiano, Juninho, Renato Cajá (Thomás, as 25’ do 1º T) e Roni (Adrianinho, aos 32’ do 2º T); Rafael Costa (Cafu) e Alexandro.

Local: Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata.
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (Asp Fifa-PR).
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Luiz Carlos Silva Teixeira (BA)
Gols: Vinícius (aos 13’ do 2º T) (NAU); Roni (aos 15’ do 2ºT) (PON)
Cartões amarelos: Adilson Goiano, Jeferson e Bryan (PON); Vinícius, David e Marinho (NAU)
Cartão vermelho: Bryan (PON)
Público: 2.312

SANTA CRUZ VENCE E ESTRAGA SONHO DO ATLÉTICO/GO

Por: Leonardo Albertim

Em clima de despedida, o Santa Cruz entrou em campo pela 38° rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. A partida, que aconteceu no Serra Dourada, diante do Atlético/GO, foi dividida por duas situações diferentes. Enquanto os goianos sonhavam com o acesso, os pernambucanos apenas cumpriam tabela para entrar de férias.

Mesmo sem almejar nada no campeonato, o Santa Cruz não amoleceu e complicou a vida dos donos da casa. Após sair atrás no placar, os pernambucanos conseguiram virar o marcador com dois gols de Léo Gamalho. Mas o que parecia decidido, mudou. O Atlético/GO conseguiu fazer empatar nos minutos finais e se mandou ao ataque querendo virar. Mas Emerson Santos aproveitou um contra ataque e fez o terceiro dos visitantes.

Com a vitória por 3×2, o Santa Cruz alcançou os 55 pontos na tabela de classificação e terminou a Série B na 9° colocação. Joinville, Ponte Preta, Vasco e Avaí foram os quatro primeiros colocados e conseguiram o acesso à Série A.

TIME – Com muitos atletas já deixando o clube, Oliveira Canindé – que também não permanece -, comandou seu último jogo na beira do gramado. Sem poder contar com algumas peças por lesões, além de Alemão que foi vetado por problemas jurídicos, o treinador tentou repetir a escalação. As únicas novidades ficam no sistema defensivo. Fred assumiu o posto de titular com a lesão de Tiago Cardoso.

O Santa Cruz entrou em campo com a seguinte formação: Fred, Tony, Marllon, Renan Fonseca, Tiago Costa; Alberto, Sandro Manoel, Bileu, Wescley; Keno e Léo Gamalho.

O JOGO – Com a bola rolando, o Atlético/GO lutava contra o tempo para tentar abrir o placar. E a tranquilidade que o Santa Cruz demonstrava em campo irritava os jogadores goianos e deixam o torcedor impaciente.
Poucas chances foram criadas na primeira etapa. No seu último jogo na área técnica, Oliveira Canindé parecia mais calmo do que os demais jogos, onde se destacou pela movimentação e gritos de apoio aos jogadores. Com três volantes, O Santa Cruz buscava manter a posse de bola no meio de campo e explorar a velocidade do atacante Keno. Mas faltou criatividade.

Pelo lado dos pernambucanos, a melhor chance aconteceu aos 23 minutos. E foi em uma bola parada. Estreando como titular, Alberto cobrou uma falta da intermediária com perfeição. A bola parecia entrar, mas explodiu na trave no goleiro Márcio, que já estava batido no lance.

O Atlético/GO respondeu em seguida. Explorando muito as jogadas pelas laterais, com cruzamentos na área, Jorginho aproveitou de cochilo do sistema defensivo coral aos 31 minutos e mandou de cabeça. Mas a bola passou por cima da trave do goleiro Fred.

SEGUNDO TEMPO – Restavam 45 minutos para o Atlético/GO decidir seu futuro na Série B. E não demorou muito para a torcida comemorar. Com 2 minutos da etapa final, Caíque recebeu um lindo lançamento dentro da área, pegou a zaga do Santa Cruz desprevenida e ajeitou de cabeça para Junior Viçosa, o atacante só teve o trabalho de empurrar para as redes e abrir o placar no Serra Dourada. Gol que colocava os goianos dentro do grupo de acesso.

E o tricolor não amoleceu na partida. Com 8 minutos brilhou a estrela de Léo Gamalho. Keno recebeu dentro da área, não foi fominha e serviu com classe o camisa 9 tricolor, que só encostou para o fundo do gol.
E quase pintava gol de goleiro. Aos 11 minutos, Márcio saiu da sua meta para cobrar uma falta na entrada da área. A bola passou muito perto da trave de Fred, goleiro do Santa.

Mas foi o artilheiro coral que novamente apareceu no jogo.  Aos 15 minutos, Keno ficou de frente com Márcio, tentou achar o canto do goleiro, que fez ótima defesa, mas a bola sobrou no pé do camisa 9 tricolor, que empurrou novamente para o gol e virou o placar no Serra Dourada. Foi o 32° gol dele na temporada.

O técnico do Atlético/GO não via outra alternativa e resolveu colocar dois atacantes em campo, deixando sua equipe muito ofensiva. Com muito espaço no gramado, o Santa Cruz explora os contra golpes na velocidade de Keno e pivô de Léo Gamalho.

A rodada na Série B seguia emocionante. Todos os times que brigavam pelo acesso chegaram a figurar, mesmo que por pouco tempo, dentro do grupo de acesso.
A torcida goiana ficava a cada minuto mais impaciente com os jogadores. O que refletia dentro de campo. O time de Wagner Lopes partiu para o desespero e necessitava da virada para ainda sonhar com a Série A.

E o empate aconteceu aos 44 minutos. Após bobeira do sistema defensivo do Santa, em mais uma bola na área, Josimar escorou e reacendeu a esperança do torcedor atleticano.

Mas não durou muito tempo.Desesperados para conseguir o terceiro gol e entrar no G4, os contra golpes do Santa Cruz se tornaram perigosos. E Emerson Santos soube aproveitar. O meia, que entrou na etapa final, fez fila, tirou três marcadores atleticanos e finalizou na saída de Márcio, fazendo o terceiro gol tricolor.

Com a vitória por 3×2, o Santa terminou a Série B na 9° colocação, com 55 pontos ganhos. Todo elenco entra de férias e retoma as atividades apenas em 2015.

Santa Cruz volta ao Arruda e busca vitória para entrar no G-4 da Série B

Autor: Matheus Albino

Pela quarta vez seguida o Santa Cruz terá a chance de entrar no tão sonhado G-4 da Série B. A volta ao Arruda depois de pouco mais de um mês e seis jogos pode ser o diferencial para o Tricolor que enfrenta o Sampaio Corrêa nesta terça-feira, às 20h50 (horário de Pernambuco), pela 36° rodada. No entanto essa quarta tentativa será a mais difícil para o time do Arruda. Na primeira, bastava ao Santa vencer o América-RN na Arena PE para ingressar no grupo; a segunda vez foi no clássico contra o Náutico, também na Arena, mas o jogo acabou 0x0 e o Santa ficou no caminho; na última rodada perdeu de virada para o Bragantino, time que luta para se afastar da zona de rebaixamento.

Desta vez, na nona colocação com 52 pontos, não depende apenas de si próprio para cravar um lugar no G-4. Terá que torcer por tropeços de Avaí, Ceará, Boa Esporte, América-MG e Atlético-GO. O Sampaio Corrêa, em décimo, com 50 pontos, também está na briga e vai em busca dos três pontos. No primeiro turno, os dois times empataram por 0x0 com grande atuação de Tiago Cardoso.

Santa conta com retornos

O técnico Oliveira Canindé mais uma vez terá desfalques na sua equipe. O zagueiro Alemão, o meia Danilo Pires e o volante Bileu cumprem suspensão. Os dois primeiros tomaram o terceiro amarelo na derrota para o Bragantino. Bileu foi expulso no fim do jogo. Por último, o meia Aílton sofreu uma tendinite no joelho esquerdo e está fora do jogo. As novidades são Léo Gamalho, Sandro Manoel e Tiago Costa, que retornam após cumprirem suspensão automática. Na defesa, Everton Sena e Renan Fonseca foram escolhidos No meio, Memo deve ocupar a vaga de Bileu, e na frente Léo Gamalho e Keno voltam a formar a dupla de ataque.

Quem pode decidir?

Léo Gamalho é uma das referências do time na Segundona. Foto: Alexandre Gondim/Acervo JC Imagem

Léo Gamalho é uma das referências do time na Segundona. Foto: Alexandre Gondim/Acervo JC Imagem

Léo Gamalho. O artilheiro volta ao time após cumprir suspensão automática na última rodada. O camisa 9 já marcou 11 vezes na competição e busca, além da vitória, uma marca importante com a camisa do Santa. Desde 2003, ninguém marcou mais de 30 gols em uma mesma temporada. O último foi o atacante Roberto Santos, em 2003. Léo está empatado com o ex-jogador e, se marcar nesta terça, passa a ser o maior artilheiro do Santa em uma temporada nos últimos dez anos.

Fique de olho

Foto: Diego Nigro / JC Imagem

Foto: Diego Nigro / JC Imagem

O meia Wescley está pronto para desequilibrar e armar as jogadas no meio de campo. Ele já marcou sete gols e costuma fazer boas apresentações quando joga no Arruda. É bem provável que tenha Natan como companheiro. Assim, terá mais liberdade para chegar ao ataque.

O adversário

O time maranhense terá um desfalque importante para a partida decisiva no Arruda. O volante Eloir recebeu o terceiro amarelo e está fora do jogo.Por outro lado, o atacante Siloé, que esteve na campanha do título do Santa Cruz na Série C e deixou o time no início desta temporada está confirmado no ataque ao lado de Válber. O técnico Vinícius Saldanha terá também o retorno do volante Jonas. O atacante Pimentinha, que também costuma dar trabalho aos adversários está relacionado mas deve começar no banco.

Palavra do treinador

Foto: Alexandre Gondim/Acervo JC Imagem

Foto: Alexandre Gondim/Acervo JC Imagem

“O Sampaio é um franco atirador, está um pouco mais distante, pode até chegar mas é difícil. Eles não carregam o peso de chegar ao G-4. “É um time forte que joga com três meias que variam para três atacantes. Tem o Siloé que sabe fazer essa função assim como o William Paulista”, disse.

Ficha de jogo

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Tony, Everton Sena, Renan Fonseca e Tiago Costa; Sandro Manoel, Memo, Wescley e Natan; Léo Gamalho e Keno. Técnico: Oliveira Canindé

Sampaio Corrêa: Rodrigo Ramos; Daniel Damião, Mimica, Luiz Otávio e Willian Simões; Marino, Jonas, Uillian Corrêa e Hiltinho; Siloé e Válber. Técnico: Vinícius Saldanha.

Campeonato Brasileiro Série B (36°rodada). Local: estádio do Arruda. Data: 18/11. Horário: 20h50 (horário de Pernambuco). Árbitro: Pablo dos Santos Alves (ES). Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Marrubson Melo Freitas (DF)

Com Arena PE vazia, Náutico supera marasmo e vence Luverdense com gol de Sassá

Por  Daniel Leal /Diario de Pernambuco

Os pouco mais de 1.500 torcedores alvirrubros que estiveram na tarde deste sábado, na Arena Pernambuco, certamente foram ao estádio por guardarem consigo alguma esperança no acesso. E devem ter saído um pouco mais confiantes. Jogando o suficiente para vencer, o Náutico bateu a Luverdense por 1 a 0 e chegou aos 49 pontos – a cinco do Ceará, que abre o G4 (ainda sem contabilizar o jogo do Boa Esporte, que fecha a rodada). O Timbu foi superior durante quase toda a partida, perdeu um festival de oportunidades ao longo do jogo e acabou sendo contemplado aos 35 minutos do segundo tempo com um gol de Sassá.

O Náutico agora volta a campo agora na próxima terça-feira, contra o Oeste, em Itápolis. Na sequência, o Alvirrubro ainda terá mais dois jogos para finalizar a Série B: América-RN, novamente fora de casa, e Ponte Preta, no Recife. Mesmo que vença as três partidas restantes, o Timbu teria que contar com uma complicada combinação de resultados para conseguir o acesso à Série A. A possibilidade matemática, porém, existe e os atletas insistem em garantir que acreditam.

O jogo

O Náutico abusou de perder gols no primeiro tempo. Somente Bruno Furlan perdeu quatro oportunidades, duas delas de maneira imperdoável. Não em vão os poucos torcedores que foram ao jogo não perdoaram e vaiaram a equipe na saída para o intervalo. Mas poderia ter sido bem diferente. Mesmo sem apresentar um bom futebol, o Timbu se mostrou mais disposto que a Leverdense. Lançou-se ao ataque e acumulou inúmeras chances. Não fosse a pontaria desastrosa dos atacantes, teria saído pelo menos com a vitória mínina na etapa inicial.

Aos 14 minutos, Furlan apertou saída de jogo do adversário, tomou a bola e serviu Crislan. Sozinho, na pequena área, o atacante mandou para fora. Retraída, a equipe de Mato Grosso segui sendo bombardeada. Furlan aos 22 e aos 26 e Paulinho aos 28 tiveram suas chances. Aos 30, o mais perto que o Náutico chegou do gol. Sassá avançou aos trancos pela esquerda e bateu cruzado, acertando a trave. No rebote, Paulinho chutou e o goleiro defendeu. Para concluir o festival, aos 43 Furlan tabelou com Vinícius e recebeu de frente para o goleiro: mandou para fora. A torcida não perdoou.

No segundo tempo, o Timbu diminuiu o ritmo, mas ainda assim seguiu melhor que a Luverdense. Aos 12, mais uma bola na trave! Vinícius, de falta, por pouco não abre o placar. Aos 28, a melhor chance matogrossense. Mizael fez grande jogada e serviu Café, sozinho, sem goleiro, que mandou para fora. Aos 35, enfim, o gol. Sassá recebeu lançamento de Bruno Furlan, ganha disputa com a zaga e testou para as redes. Era o gol da vitória e da ponta de esperança timbu no acesso.

Ficha do jogo 

Náutico 1
Júlio César; David (Rafael Cruz), Luiz Alberto, William Alves e Gaston Filgueira; João Ananias, Paulinho e Vinícius; Crislan (Renato), Furlan e Sassá. Técnico: Dado Cavalcanti.

Luverdense 0
Tomazella; Jean Patrick, Júlio Terceiro, Paulinho e Edinho; Carlão, Samuel (Café), Felipe Alves (Washington) e Gilson; Misael e Léo (Mateus Lima). Técnico: Maico Gaúcho.

Estádio: Arena Pernambuco. Árbitro: Antônio Dib Moraes de Sousa (PI).
Assistentes: Rogério de Oliveira Braga (PI) e Nailton Junior de Sousa Oliveira (CE). Gol: Sassá (aos 35’ do 2ºT).Cartões amarelos: Vinícius (N); Jean Patrick (L). Público: 1.566. Renda: R$ 78.060,00

A chance’. Santa Cruz recebe o América-RN na Arena PE e pode entrar no G-4

Autor: Matheus Albino

Foto: Guga Matos/JC Imagem

Foto: Guga Matos/JC Imagem

Após 32 rodadas da Série B 2014 o Santa Cruz terá, pela primeira vez, a chance de entrar no G-4 que classifica para a Série A do ano que vem. Para conseguir tal feito basta ao Tricolor vencer o América-RN, neste sábado, na Arena PE, às 16h (horário de Pernambuco) em jogo válido pela 33° rodada.

Se passar pelo time Potiguar o Santa chegará aos 54 pontos ocupando a quarta colocação, atualmente com o Avaí, que tem 51 pontos e já entrou em campo nesta rodada. Na última terça-feira o Avaí foi derrotado por 3×1 para a Luverdense fora de casa. O Tricolor vem de vitória por goleada aplicada no Vila Nova no jogo atrasado da 31° rodada.

Além dessa boa vitória, venceu o Ceará em pleno Castelão na última rodada. Do lado adversário, o América-RN, atual 18° colocado com 33 pontos, chega ao Recife pressionado por conta do mau momento na competição. A distância para o 16° colocado é de cinco pontos. No primeiro turno tricolores e alvirrubros se enfrentaram na Arena das Dunas. Melhor para o Santa que venceu por 1×0 com gol de Léo Gamalho.

O reencontro

Além da rivalidade entre potiguares e pernambucanos a partida marca também o reencontro de Oliveira Canindé com o América-RN. Antes de assumir o Santa Cruz, Canindé treinou o Alvirrubro onde alternou entre bons resultados na Copa do Brasil, eliminando Fluminense e Atlético-PR, e maus resultados na Série B. O atual técnico da equipe, Roberto Fernandes, adotou o mistério na escalação da equipe, na tentativa de esconder algo do ex-técnico do América.

América com desfalques

O técnico Roberto Fernandes terá quatro desfalques para o jogo deste sábado. Os volantes Tiago Dutra e Fábio Braga estão vetados pelo departamento médico. Judson, que recebeu o terceiro cartão amarelo, e Neto  expulso na última partida contra o América-MG, também estão fora do jogo.

Santa sem mistérios

No último treino antes do confronto decisivo, realizado nesta sexta-feira pela manhã, na Arena PE, dois jogadores desfalcaram o time. O lateral-esquerdo Tiago Costa, com dores musculares na perna direita; e o volante Bileu, com uma indisposição. No entanto eles não serão problemas para a partida. Canindé se reuniu com os atletas e passou algumas informações do adversário ainda nos vestiários da Arena. O lateral-direito Tony está de volta ao time após cumprir suspensão automática.

Quem pode decidir?

Atacante tem 29 gols na temporada. Fotos: Guga Matos/JC Imagem

Atacante tem 29 gols na temporada. Fotos: Guga Matos/JC Imagem

Sempre ele. Léo Gamalho, artilheiro do Santa Cruz na Série B com 11 gols é a principal arma do técnico Oliveira Canindé para vencer o América-RN na Arena PE. E por falar no palco da partida deste sábado, o camisa 9 está próximo de se tornar o maior artilheiro da Arena.

Atualmente ele está com seis gols, o mesmo número de Maikon Leite, que defendeu o Náutico na temporada passada. Um incentivo a mais para Gamalho marcar em cima do time Potiguar. Pelo América o atacante Rodrigo Pimpão, vice-artilheiro da Série B com 13 gols, é a esperança da torcida e do técnico Roberto Fernandes. Ele volta ao time após cumprir suspensão automática na última rodada.

Fique de olho

Foto: Acervo JC Imagem

Foto: Acervo JC Imagem

Wescley. Desde que chegou ao Arruda o meia rapidamente conseguiu ocupar o posto de principal articulador de jogadas da equipe. Além das assistências, Wescley se destaca também pelos gols marcados, já foram sete nesta Série B.

Palavra do treinador

““Vamos fazer o nosso jogo. Nem sempre vamos decidir a partida em 20, 30 minutos. O torcedor tem que ser esperto e jogar com o nosso time, o jogo se decide nos 90 minutos. Temos que ter sabedoria e honrar a confiança do nosso torcedor. Mas ele dificilmente vaia um time com determinação e dedicada como a nossa”, afirmou Oliveira Canindé.

Ficha de Jogo

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Tony, Renan Fonseca, Alemão e Tiago Costa; Sandro Manoel, Bileu, Danilo Pires e Wescley. Keno e Léo Gamalho. Técnico: Oliveira Canindé

América-RN: Andrey; Valber, Cleber, Lázaro e Wanderson; Fabinho, Jean Cléber, Daniel Costa e Artur Maia; Rodrigo Pimpão e Max. Técnico: Roberto Fernandes

Campeonato Brasileiro Série B (33°rodada). Local: Arena PE. Data: 1/11. Horário: 16h (horário de Pernambuco). Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL). Assistentes: Esdras Mariano de Lima  e Thalis Augusto Monteiro (ambos de AL)

Náutico é dominado na maior parte do tempo e perde para o Atlético-GO

Autor: Wladmir Paulino – Foto: Edmar Melo/JC Imagem

Na maior parte do tempo preso na boa marcação do Atlético-GO, o Náutico perdeu em casa por 2×1 e caiu para o 11º lugar na Série B. A segunda rodada seguida sem pontuar fez o time manter os sete pontos de distância para o G4 só que com menos jogos para tirar a defasagem. Na próxima rodada, os timbus enfrentam o Icasa, no Romeirão, sábado (1/11).

O Atlético de Goiás entrou em campo com a disposição de manter o Náutico o mais longe possível de seu gol. Para isso fez uma marcação quase pressão total. Manteve os volantes alvirrubros longe dos homens de frente e deu certo. A medida obrigou os atacantes a recuarem para manter o time mais compacto e deixou Cañete, sem a mobilidade necessária, pouco produtivo. Como o time vermelho e preto errava muito o passe final, o jogo ficou preso na intermediária alvirrubra e com pouquíssimas finalizações.

Nessa caminhada, dificilmente um time conseguiria envolver o outro. Chance de gol viria mais fácil por cima. E veio para o Náutico, aos 25 minutos. Raí bateu escanteio da direita e Renato Chaves cabeceou bem. Melhor ainda foi a defesa de Márcio. Depois disso, o jogo entrou num chove-não-molha que deu calo na vista de tanto passe errado. Até Tiago Primão, de longe o melhor em campo, perceber que Júlio César estava um pouco adiantado, mas o suficiente para não alcançar o efeito que ele pôs na bola e acertar perto do ângulo direito.

Nem o gol fez o Náutico mudar de postura. Para tentar melhorar a saída de bola todo mundo recuou. O Atlético manteve a pressão na saída e segurou o timbu. Aos 40 minutos, Bruno Furlan enroscou-se com Mateus dentro da área e caiu. O árbitro interpretou como falta e marcou o pênalti. Sassá foi para a cobrança e saltitou para o lado, parou, olhou tanto que chutou por cima do travessão. No último minuto, Furlan ainda acertou uma bomba no travessão.

O Náutico voltou para o segundo tempo e em dez minutos fez muito mais do que em toda primeira etapa. Jogou com velocidade, não se deixou marcar e, principalmente, criou. Mas, claro, não sem passar por sustos. Com um minuto, Jorginho recebeu cruzamento na marca do pênalti e mandou por cima. Depois o timbu partiu para o ataque, chegou perto com Furlan e Cañete. Até Furlan, outra vez, sofrer pênalti, agora de Artur. Sassá quis bater novamente e, desta vez partiu para a bola com mais decisão. Chutou forte, no canto direito e deixou tudo igual.

Quando tudo caminhava para uma pressão pela virada, o Dragão mostrou toda sua frieza. Tocou a bola, esperou o Náutico dar o espaço e pulou à frente no placar apenas dez minutos depois. Tiago Primão cruzou do lado direito da área para Jorginho subir livre e cabecear no canto oposto onde estava Júlio César. O desempate do time visitante deu o choque que faltava no jogo. O que era truncado deu lugar à correria. Do Náutico para tentar o novo empate e do Atlético para correr atrás dos alvirrubros.

Nos minutos finais, Dado Cavalcanti partiu para o tudo ou nada com Renato no lugar de João Ananias. Mas àquela altura o time estava praticamente sem cérebro no meio de campo. A bola chegava mais na base do chutão do que trabalhada pelos meias.

O onipresente do Náutico
Até nos piores momentos do Náutico na partida ele conseguia se destacar. Entre o meio e a ponta direita, Bruno Furlan incomodou bastante a defesa do Atlético. Trombou, chutou e conseguiu dois pênaltis. Faltou apenas melhorar a pontaria para deixar sua marca.

O onipresente do Atlético-GO
Tiago Primão parecia ter clones em campo. Pela direita, esquerda e pelo meio era tudo com ele, sem falar nas faltas. Fazendo uma associação ele seria como o titular de um cartório, que precisa carimbar todo documento que sai da firma. De quebra ainda acertou um belo chute de fora da área na hora de abrir o placar e deu o passe para o gol da vitória, de Jorginho.

Ficha do jogo:

Náutico: Júlio César; Neílson, Luiz Alberto, Renato Chaves e Raí; João Ananias (Renato), Hélder Ribeiro (Crislan), Paulinho e Cañete (Vítor Michels); Bruno Furlan e Sassá. Técnico: Dado Cavalcanti.

Atlético/GO: Márcio; Mateus, Artur, Lino e Diogo Barbosa; Willian Arão, Tiago Primão, Pedro Bambu e Jorginho (Juninho); Kayke (Josimar) e Diogo Campos (André Luiz). Técnico: Wagner Lopes.

Local: Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE). Árbitro: Raphael Claus (SP). Assistentes: Márcia Bezerra Lopes Caetano (RO) e Ricardo Pavanelli Lanutto (SP). Gols: Tiago Primão, aos 37 do primeiro. Sassá, aos 11; Jorginho, aos 20 do segundo. Cartões amarelos: Bruno Furlan, Paulinho, Cañete, Sassá, Diogo Barbosa e Kayke.

A sete pontos do G4, Náutico volta a tentar pontuar fora de casa diante do Boa Esporte

 Celso Ishigami /Diario de Pernambuco

O empate fora de casa com o Sampaio Corrêa até poderia ser considerado um bom resultado em outra situação. Entretanto, com o Náutico correndo por fora na acirrada disputa pelo acesso, o resultado merece uma análise mais dura. Os sete pontos de diferença para o G4 se mantiveram, contudo, o Timbu agora tem uma rodada a menos para alcançar os adversários da parte de cima da tabela da Série B. Assim, por mais que o confronto desta terça-feira seja em Varginha, os alvirrubros não podem se dar ao luxo de se contentar com um desfecho diferente de uma vitória sobre o Boa Esporte. Tudo isso, em meio a uma crise, cujo episódio mais recente foi a dispensa do atacante Tadeu e do lateral Roberto.

A reticência do técnico Dado Cavalcanti é uma prova de que o comandante alvirrubro está bem consciente do tamanho do desafio que tem pela frente. “Não se tira sete pontos em menos de três rodadas e agora, temos uma rodada a menos para buscar isso. Ou seja, são oito jogos para gente buscar a diferença de sete pontos”, reconheceu, antes de uma nova injeção de otimismo. “A coisa ficou um pouco mais difícil, mas a diferença se manteve. É sempre bom manter o otimismo de saber que nós somamos um ponto num jogo complicado. Nós somamos um ponto e vamos buscar, quem sabe, três contra o Boa”, acrescentou.

O encontro ganha ainda mais relevância por se tratar de um concorrente direto na corrida pelo direito de entrar em 2015 compondo a elite do futebol nacional. Depois de quatro derrotas consecutivas, o Boa venceu o Vila Nova e chegou aos 44 pontos. Somente um a menos que o Timbu. E para deixar a situação do Timbu ainda mais complicada, Dado não poderá contar com os atacantes Crislan e Sassá, o artilheiro do time. Ambos receberam o terceiro amarelo e estão fora da partida.

Por outro lado, o meia-atacante Marinho voltou a atuar após sete partidas sob os cuidados do departamento médico e foi um dos destaques do Timbu no Maranhão. “A gente sabe do potencial de Marinho. É apenas uma questão de recuperção. Ele não suportaria mais de 50 minutos num campo como o do Sampaio Corrêa. Mas, quem sabe, dependendo da recuperação, pode até reunir condições (para ser titular)”, justificou.

Adversário
A boa notícia para os alvirrubros é que o técnico Nedo Xavier também tem problemas para armar o Boa para esta partida. Um dos destaques do time na Série B, o atacante Uallison Pikachu voltou a se queixar de dores na coxa e pode desfalcar o time pelo restante da temporada. Para a sua vaga, o treinador deve optar por Diego, que vem sendo utilizado com frequência na campanha da equipe mineira no Brasileiro.

Boa Esporte
João Carlos; Tinga, Thiago Carvalho, Ciro e Marinho Donizete; Vinícius Hess, Wellington, Tomas e Clébson; Diego e Fernando Karanga. Técnico: Nedo Xavier.

Náutico
Júlio César; Rafael Cruz, William Alves, Renato Chaves e Raí; João Ananias, Paulinho e Cañete (Vinícius); Bruno Furlan, Marinho e Vinícius (Leleu). Técnico: Dado Cavalcanti

Local: Estádio Dilzon Melo, em Varginha-MG. Hora: 20h50 (do Recife). Árbitro: Antônio Denival de Morais (PR).Assistentes: Marcos Rogério da Silva (PR) e Luiz Santos Ernesto (PR).

Contra adversários em colocações melhores
13 jogos
5 vitórias
1 empate
7 derrotas
41% de aproveitamento

As vitórias
América-MG 1 x 3 Náutico
Náutico 1 x 0 Sampaio Corrêa
Luverdense 0 x 2 Náutico
Náutico 2 x 1 Ceará
Avaí 0 x 2 Náutico

O empate
ABC 1 x 1 Náutico

As derrotas
Joinville 1 x 0 Náutico
Náutico 0 x 1 Vasco
Atlético-GO 2 x 0 Náutico
Santa Cruz 3 x 0 Náutico
Ponte Preta 2 x 0 Náutico
Náutico 1 x 2 Joinville
Vasco 2 x 1 Náutico

Contra adversários em colocações piores
16 jogos
8 vitórias
4 empates
4 derrotas
58,3% de aproveitamento

As vitórias
Náutico 2 x 0 Vila Nova
Náutico 2 x 1 Portuguesa
Náutico 1 x 0 Icasa
Náutico 3 x 2 Oeste
Náutico 2 x 1 América-RN
Vila Nova 0 x 1 Náutico
Náutico 3 x 1 Paraná
Náutico 2 x 1 ABC

Os empates
Ceará 2 x 2 Náutico
Náutico 0 x 0 Bragantino
Portuguesa 0 x 0 Náutico
Sampaio Corrêa 1 x 1 Náutico

As derrotas
Paraná 2 x 0 Náutico
Náutico 0 x 1 Avaí
Náutico 1 x 3 Boa Esporte
Náutico 1 x 4 América-MG

Santa Cruz e Vasco buscam vitória na Arena PE como resposta a problemas extracampo

Autor: Thiago Wagner

Por mais que os fatos que ocorrem dentro das quatro linhas sejam o foco do futebol, Santa Cruz e Vasco vão para o gramado da Arena Pernambuco, neste sábado, às 16h10, pensando mais nos fatores extracampo que tiveram nesta semana. Cada um no seu quadrado, lógico. Sendo o caso dos corais, a greve por conta dos salários atrasados, muito mais grave do que o vazamento das palestras do técnico Joel Santana pelos jogadores vascaínos. Ainda assim, a vitória é importante não só pelos três pontos na tabela da Série B, mas para demonstrar uma resposta ao que ocorreu fora de campo.

Santa Cruz com retorno e Vasco com desfalque

Para essa partida o técnico Oliveira Canindé tem praticamente todos os jogadores à disposição. Há somente o goleiro Fred e o lateral-esquerdo Julinho no departamento médico. Além disso, o lateral-esquerdo Tiago Costa retorna de suspensão pelo recebimento do terceiro amarelo. Sendo assim, a provável equipe coral será a seguinte: Tiago Cardoso; Tony, Alemão, Renan Fonseca e Tiago Costa; Sandro Manoel, Bileu, Danilo Pires e Wescley; Keno e Léo Gamalho.

Se o Santa tem quase força máxima, o adversário não poderá contar com um dos principais jogadores: atacante Kléber, que cumpre pena imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva. Para o lugar dele, Joel Santana deve escolher Maxi Rodrigues ou Edmilson.

Quem pode decidir?

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Léo Gamalho. Não tem como escolher outro. O artilheiro coral na Série B é a grande referência, e esperança, do time no duelo contra os vascaínos. Léo Gamalho tem nove gols na Segundona e pode ser o cara decisivo do Santa Cruz na partida. Basta apenas um pouco de espaço ou uma mínima chance para deixar o dele.

Fique de olho

Foto: Alexandre Gondim/Acervo JC Imagem

Foto: Alexandre Gondim/Acervo JC Imagem

Wescley. O meia tricolor vem sendo um ótimo coadjuvante nos últimos jogos do Santa Cruz na competição. Tanto que é o vice-artilheiro do time na Série B com sete gols. A movimentação de Wescley será  fundamental se o Tricolor quiser superar a defesa do adversário.

Palavra do treinador

“Eles têm todo direito de protestar. Eu trabalharia normal e faria o meu melhor. Agora isso traz uma responsabilidade um pouco maior”, disse Oliveira Canindé destacando que a greve dos jogadores trouxe uma responsabilidade ainda maior para os atletas no jogo de sábado.

A ameaça

Foto: Marcelo Sadio/Vasco

Foto: Marcelo Sadio/Vasco

Douglas. O meia é o principal jogador do Vasco na competição e um dos melhores da Série B. Ele não só articula as jogadas como também chega para marcar – é o artilheiro da equipe com oito gols. Precisa ser vigiado de perto se o Santa Cruz não quiser amargar um resultado negativo.

FICHA DA PARTIDA – SANTA CRUZ X VASCO

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Tony, Alemão, Rena Fonseca e Tiago Costa; Sandro Manoel, Bileu, Danilo Pires e Wescley; Keno e Léo Gamalho. Técnico: Oliveira Canindé.

Vasco: Martin Silva, Diego Renan, Rodrigo, Douglas Silva e Marlon; Guiñazu, Fabrício, Pedro Ken e Douglas; Maxi Rodriguez (Edmilson) e Thalles. Técnica: Joel Santana.

Série B (30ª rodada). Local: Arena Pernambuco, São Lourenço da Mata (PE). Horário: sábado, às 16h10. Árbitro:  Leandro Pedro Vuaden (RS). Auxiliares:  Rafael da Silva Alves e  José Eduardo Calza (ambos do RS).

 

Contra o ABC, Náutico quer superar traumas da goleada da última terça

Autor: Thiago Wagner

Como vai se comportar o Náutico depois de uma goleada frustrante de 4×1 em plena Arena Pernambuco? Essa possivelmente é a principal pergunta que o torcedor alvirrubro tem na cabeça para a partida do Timbu contra o ABC, neste sábado, às 16h10, mais uma vez na Arena, pela 29ª rodada Série B. Para tirar a pulga de trás da orelha dos torcedores, e até mesmo dar uma resposta positiva à torcida, os alvirrubros precisam da vitória para aliviar o ambiente, que está pesado não só pela resultado negativo, mas pelos salários atrasados no clube.

Timbu mantém esperança do G4, enquanto ABC quer fugir do rebaixamento.

Em oitavo com 41 pontos, o Náutico precisa dos três pontos para manter o sonho do acesso ainda vivo. O Timbu está a sete pontos do G4 (o Joinville tem 48 pontos) e mantém a esperança de subir de divisão. Para a partida contra os potiguares, o técnico Dado Cavalcanti contará com o retorno do volante Paulinho, que cumpriu suspensão na rodada anterior. Por outro lado não poderá contar com Vinícius, suspenso pelo terceiro amarelo.

Já o ABC corre contra o rebaixamento na Segundona, é o 13º com 35 pontos a seis da zona de rebaixamento. Os potiguares chegam empolgados pela vitória de 2×1 sobre o Avaí na última rodada e buscam mais três pontos para ganharem mais tranquilidade na competição. Só que o técnico Moacir Júnior não poderá com com o lateral Suéliton, que cumpre suspensão, e o atacante João Paulo, vetado pelo departamento médico.

Quem pode decidir?

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Sassá. O atacante não vem em uma grande fase no Timbu ultimamente, mas ainda assim é uma das principais esperanças da torcida alvirrubra na busca pela vitória. Sassá tem cinco gols na Série B e pode decidir contra os potiguares. Como Vinícius não joga, é o cara alvirrubro em campo.

Fique de olho

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Paulinho. O volante fez falta na derrota de 4×1 para o América-MG, na última terça-feira. Paulinho é importante não só na marcação, mas também na criação de jogadas, principalmente como elemento surpresa. Com ele em campo, o Náutico pode voltar a ser um time mais seguro no gramado e com mais opções ofensivas.

Palavra do treinador

Foto: Alexandre Gondim/Acervo JC Imagem

Foto: Alexandre Gondim/Acervo JC Imagem

“Eu acho que teremos mais uma vez a batalha da equipe que vai ficar na contenção, mas eu sempre digo que eu sou uma nuvem e os jogadores fazem chover”, disse o técnico Dado Cavalcanti.

A ameaça

Foto: Divulgação/ABC

Foto: Divulgação/ABC

Rodrigo Silva. O atacante dos alvinegros foi o grande destaque na vitória  por 2×1 sobre o Avaí na terça-feira. Os alvirrubros terão que ficar atentos a cada movimentação do jogador para não amargarem nenhuma surpresa neste sábado. Rodrigo tem quatro gols na Série B.

FICHA DA PARTIDA – NÁUTICO X ABC

Náutico: Júlio César; Rafael Cruz, William Alves, Renato Chaves e Rai; Paulinho, João Ananias e Cañete; Furlan, Sassá e Tadeu. Técnico: Dado Cavalcanti.

ABC: Gilvan; Madson, Marlon, Samuel e Michel Benhami; Fábio Bahia, Marcel, Daniel Amora e Rodrigo Mendes; Rodrigo Silva e Zambi.. Técnico: Moacir Júnior.

Série B (29ª rodada). Local: Arena Pernambuco, São Lourenço da Mata (PE). Horário: sábado, às 16h10. Árbitro:  Felipe Duarte Varejão (ES). Auxiliares: Katiuscia M Berger Mendonça e Fabio Faustino dos Santos (ambos do ES).

 

Náutico decepciona na Arena Pernambuco e é goleado pelo América-MG por 4 a 1

Por: Assessoria FPF

O Náutico não conseguiu encaixar uma sequência de vitórias na Série B do Campeonato Brasileiro. Nesta terça-feira (7), o Timbu perdeu por 4×1 para o América-MG, na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata.

Os alvirrbros ocupam a oitava colocação da competção, com 41 pontos. O Coelho, que possui três a menos, está em nono.

Os gols do América-MG foram marcados por Gilson, duas vezes, Renan Oliveira e Obina. Renato Chaves descontou para o Timbu.

Na próxima rodada, o Náutico enfrenta o ABC, na Arena Pernambuco, no sábado (11), na Arena Pernambuco.

Local: Arena Pernambuco (São Lourenço da Mata). Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF). Assistentes: Marrubson Melo Freitas (DF) e José Reinaldo Nascimento Júnior (DF). Gols: Gilson (aos 21’ e aos 29’ do 1o T), Renan Oliveira (aos 3’ do 2o T), Obina (aos 10’ do 2o T), Renato Chaves (aos 22’ do 2o T). Cartões amarelos: Vinícius, Raí, Bruno Furlan (N), Andrei Girotto, Raul, João Ricardo (A). Público: 7.463. Renda: R$ 183.220,00.

RF