Sochi 2014

Longhi erra, é desclassificado na 2ª descida e lamenta: 'Não me diverti'

Por Direto de Sochi, Rússia

Jhonatan Longhi nem sabia que havia sido desclassificado na segunda descida do slalom em Sochi 2014, mas já lamentava ao falar sobre sua participação na prova. O brasileiro não tinha percebido, mas havia passado direto por duas portas, recuperado uma, mas não a outra. Encerrava sua participação nas Olimpíadas de Inverno de maneira triste.

– A segunda descida foi muito pior que a primeira, porque o senhor que fez a pista não sabe nada de esqui. Ele fez um desastre. Hoje eu não me diverti. Se não me divirto esquiando, eu acho que é melhor ir trabalhar como professor de esqui. Não sei (qual vai ser o futuro). Quando eu souber de alguma coisa, vou dizer – afirmou Jhony, antes de olhar o telão e ver ao lado do seu nome as letras DSQ (que significam desqualificado).

O brasileiro não foi o único a criticar o traçado da segunda descida, feito pelo croata Ante Kostelic, pai e treinador do esquiador Ivica Kostelic. Treze dos 30 melhores competidores não conseguiram completar a prova, e o americano Ted Ligety chiou.

– É na fronteira da falta de espirito esportivo fazer este tipo de traçado. Nem todos os melhores conseguiram completar até o fim. A pista está montada dentro das regras, mas é um questão ética difícil quando você tem um pai montando a pista para seu filho – reclamou Ligety.

jhonatan longhi sochi olimpiadas de inverno (Foto: Getty Images)
Jhonatan se atrapalha na passagem por uma das portas e é eliminado (Foto: Getty Images)

Não foi só o traçado que irritou Jhonatan Longhi. Assim como o medalhista de prata Marcel Hirscher, da Áustria, o brasileiro também mostrou incômodo com a neve em Sochi.

– Aqui em Sochi foi muito duro porque não tem condições para fazer corridas técnicas de esqui, apenas downhill e super gigante. Para o slalom, como você viu, não está possível. Espero que depois da Coreia as Olimpíadas sejam em um lugar da Europa onde a neve seja boa – disse o atleta do Brasil.

Coroa e garoto no pódio

O pódio do slalom teve dois extremos. Mais rápido na primeira descida, o austríaco Mario Matt fez apenas o sexto melhor tempo no segundo traçado, mas foi o suficiente para manter a primeira posição e se tornar o mais velho campeão olímpico no esqui alpino. Com 34 anos e 319 dias, ele bateu o recorde anterior em 150 dias, ao completar o percurso com o tempo total de 1m41s84, 0s28 mais rápido do que seu compatriota Marcel Hirscher.

No terceiro lugar do pódio, outro recordista. Com 19 anos e 235 dias, Henrik Kristoffersen, se tornou o mais jovem medalhista do esqui alpino por 47 dias de diferença.