superliga nordeste

Pense bem antes de dizer que futebol americano é “coisa de gringo”

Mariners faz estreia neste fim de semana. Foto: Tiago Giordani/Recife Mariners

“Futebol americano é coisa de gringo”. Se eu fosse você não tentaria essa afirmação mais. Isso porque o esporte se populariza a cada ano no Brasil, atraindo cada vez mais pessoas para os jogos. Um exemplo claro foi a final da Superliga Nordeste do ano passado, quando mais de sete mil pessoas foram para a Arena Pernambuco acompanhar a decisão entre Recife Mariners e João Pessoa Espectros. Foi o recorde de público da modalidade. Uma grande recompensa para a organização das equipes do campeonato, que deu exemplo de como organizar uma decisão, até mesmo para os nossos clubes de futebol.

E a Superliga volta à ativa neste fim de semana. Para abrir em grande estilo a competição, nada mais do que a reedição da final do ano passado logo na primeira rodada. Espectros e Mariners se enfrentam neste sábado, às 15h, no Almeidão, em João Pessoa. As duas equipes estão no Grupo Sul, que ainda conta com Sergipe Bravos e o Vitória Futebol Americano. Os dois melhores da chave passam para o mata-mata.

No grupo, o Norte, estão Ceará Caçadores, América Bulls, Ufersa Petroleiros e Recife Pirates. Os piratas fazem a estreia somente no dia 12 de julho, contra os Petroleiros.

Porém, mais do que o título, que é ótimo de se conquistar, lógico, as equipes buscam maior apoio e a popularização do futebol americano no Nordeste. A semente foi plantada e pelo andar da carruagem até agora tem tudo dar um bom produto em breve.