Vila Bel Miro

Sport perde para o Santos por 3×1 e vai à Copa Sul-Americana

Autor: Wladmir Paulino

Sem intensidade e velocidade o Sport cedeu muito espaço ao Santos e perdeu a vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil ao sair derrotado por 3×1 na noite desta quarta-feira (22), na Vila Belmiro. O time rubro-negro entou em campo pensando em avançar na competição nacional, mas como está desclassificado terá que disputar a Copa Sul-Americana, quando deve enfrentar o Bahia.

Além das mudanças obrigatórias – Ferrugem e Ewerton Páscoa nos lugares de Samuel Xavier e Matheus Ferraz, respectivamente – o técnico Eduardo Baptista optou por deixar o volante Wendel no banco e colocar Rodrigo Mancha. Essa mudança provocou uma alteração no posicionamento de Rithely, com mais liberdade para chegar ao ataque. Mesmo assim, o Sport iniciou o jogo desligado e o Santos soube aproveitar muito bem marcando o gol ainda no primeiro minuto. Zeca jogou a bola na área e Gabriel desviou na saída de Danilo Fernandes.

O gol foi cedo, mas depois dele o Sport mostrou os motivos. Não lembrou em nada o time veloz, tanto para defender quanto para atacar, que venceu o São Paulo no último domingo. Essa falta de velocidade cedeu espaços demais ao Santos, que poderia ter ampliado logo em seguida quando Gabriel chutou por cima. O Sport tinha dificuldade pela lentidão, principalmente no lado esquerdo; e falta de coordenação no direito. Élber e Ferrugem, que atuavam juntos pela primeira vez, não conseguiam dar sequência às jogadas.

Nesse ritmo lento, o Santos ampliou num lance duvidoso. Aos 37, Renê tentou um corte de cabeça e a bola caiu nos pés de Ricardo Oliveira, que estava em posição de impedimento. O camisa 9 avançou para a área e cruzou rasteiro para Gabriel concluir cara a cara com Danilo. O Sport conseguiu responder dois minutos depois. Diego Souza, que escorregara anteriormente ao receber um presentão de Werley dentro da área, bateu falta e contou com o desvio nas costas de Marquinhos Gabriel para diminuir o prejuízo: 2×1.

Quem voltou diminuindo o ritmo do jogo foi o Santos, ainda que o resultado de 2×1 não lhe favorecesse. Já o Sport adiantou o meio de campo e passou a trocar mais passes no campo ofensivo. Mas o que o time pernambucano ganhou de bola não traduziu em verticalidade. O Leão rondava a área sem fazer a bola chegar em condições de finalização para ninguém.

O Santos cozinhou o jogo até encontrar o espaço. E encontrou aos 13. Renato lançou Geuvânio entre Páscoa e Durval. Ele esperou a saída de Danilo Fernandes e chutou na saída do goleiro para fazer 3×1. No prejuízo, o time da Ilha mudou. Élber, Marlone e Rithely saíram para entradas de Régis, Samuel e Wendel, respectivamente.

Não houve mais velocidade nem finalização. Régis não rendeu atuando como extremo direito – como não o fez em nenhum momento que atuou nessa posição – e Samuel diminuiu o volume de jogo pelo lado esquerdo. Wendel foi o único a fazer um pouco de diferença. Foi dele a finalização mais perigosa ao chutar raspando a trave direita aos 26 minutos.

Ficha do jogo:

Santos: Vanderlei; Vítor Ferraz, Werley, David Braz e Zeca; Paulo Ricardo, Renato e Marquinhos Gabriel (Elano); Geuvânio, Ricardo Oliveira (Nílson) e Gabriel (Rafael Longuine). Técnico: Dorival Júnior.

Sport: Danilo Fernandes; Ferrugem, Ewerton Páscoa, Durval e Renê; Rithely (Wendel), Rodrigo Mancha e Diego Souza; Élber (Régis), André e Marlone (Samuel). Técnico: Eduardo Baptista.

Local: Vila Belmiro (Santos-SP). Árbitro: Paulo Salmazio (MS). Assistentes: Eduardo da Cruz (MS) e Fabiano Ramires (ES). Gols: Gabriel, a um minuto e aos 37. Diego Souza, aos 39 do primeiro tempo. Geuvânio, aos 13 do segundo. Cartões amarelos: Vanderlei, Vítor Ferraz, Werley, Elano, Ricardo Oliveira, Renê e Ferrugem.

Diante do Santos, Sport quer estrear com pé direito no Brasileirão

Durval está confirmado no tim do Sport e, assim, vai encarar seu ex-clube pela primeira vez/Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem / Autor: Marcelo Cavalcante

A final do Pernambucano Coca-Cola 2014 acontece na próxima quarta-feira, mas o técnico do Sport, Eduardo Baptista,  não quer saber de moleza. Neste domingo, a partir das 18h30, na Vila Belmiro, o Leão faz sua estreia no Brasileirão, diante do Santos e o comandante rubro-negro manda a campo sua força máxima. Baptista que, neste início de competição, surpreender os rivais antes da paralisação por conta da Copa do Mundo. E, para isso, não vai poupar ninguém apesar da decisão no Estadual, diante do Náutico. Contra o Peixe, a ideia é valorizar a posse de bola no setor ofensivo e bloquear as jogadas do time paulista. Mas a missão não é fácil. Afinal, o time do técnico Oswaldo Oliveira venceu todos os jogos que fez em seu estádio. Até agora foram 11 vitórias, 26 gols marcados e cinco sofridos.

Eduardo Baptista sabe da força que o adversário tem. Por isso, o comandante pediu atenção máxima dos seus atletas. A única mudança confirmada no time que vinha jogando é a saída do meia Aílton, que está desgastando fisicamente. O treinador rubro-negro já confirmou a entrada do experiente Renan Oliveira. É possível que Eduardo também mude em outra posição. Wendell também pode ser sacado pelo mesmo motivo. Nesse caso, surge uma dúvida para saber quem entra na equipe: Ananias ou Danilo? A definição deve acontecer momentos antes da partida começar.

Para o comandante rubro-negro, apesar de se dividir e o Estadual e o Brasileirão, a equipe encontrou um perfil interessante para iniciar o segundo semestre bem. “Nesses seis últimos jogos, entramos dentro da realidade da Série A. Não em termos de poderio financeiro, mas de motivação. Tivemos jogos difíceis, como jogar uma final de Copa do Nordeste no Castelão, as partidas das semifinais do Pernambucano contra o Santa Cruz e uma final contra o Náutico. Com isso, nosso time já começou a respirar ares de Série A”, disse Baptista.

A meta dos rubro-negros é de conquistar de 15 a 18 pontos dos 27 que estarão em disputa até a pausa para a Copa do Mundo. Uma boa largada pode garantir tranquilidade ao grupo até o retorno dos jogos do Brasileirão. Por isso, o treinador quer o Sport “mordendo” o adversário do começou ao fim da partida. Os jogadores já assimilaram bem a ideia do comandante. “É importante ter o máximo de pontos possíveis porque depois temos um tempo de descanso para a cabeça e o professor Eduardo trabalhar mais a equipe. O campeonato é longo, mas passa muito rápido e três pontos que você perde no começo pode fazer falta lá na frente”, acrescentou o atacante Felipe Azevedo.

SANTOS

Depois de perder o título paulista para o Ituano, o Peixe venceu o Mixto, na Vila, por 3×0, e agora espera iniciar o Brasileirão com pé direito. O técnico Oswaldo de Oliveira confirmou as escalações do meia Cícero e o atacante Leandro Damião, que se recuperaram de contusões musculares.

A partida também chama a atenção pelos reencontros de alguns jogadores. No lado do Sport, Durval vai encarar pela primeira vez o Santos desde a sua saída do clube, no final do ano. Pelo lado do Peixe, Lucas Lima vai enfrentar o Sport, clube onde se destacou no ano passado na Série B. Certamente, os dois serviram de informante para os seus respectivos treinadores.

Ficha técnica

Santos
Aranha; Cicinho, Neto, David Braz e Mena; Alan Santos, Arouca, Geuvânio e Cícero; Thiago Ribeiro e Leandro Damião. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Sport
Magrão; Patric, Ferron, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa, Wendel (Danilo ou Ananias) e Renan Oliveira; Felipe Azevedo e Neto Baiano. Técnico: Eduardo Baptista.

Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP). Horário: 18h30.Árbitro: Arílson Bispo da Anunciação (BA). Assistentes: Rodrigo Pereira Joia e Silbert Faria Sisquim (ambos do RJ).