Vila Nova

Guedes sinaliza Wescley e prevê jogo difícil com lanterna: "Não vamos desconsiderar os riscos"

Sérgio Guedes optou pelo meia na vaga deixada por Carlos Alberto. Foto: Diego Nigro/JC Imagem – Autor: Marina Padilha

Sem voltar ao Recife, o Santa Cruz seguiu viagem de Cuiabá, onde foi goleado por 4×1 pelo Vasco, para Goiânia. Lá, enfrenta o Vila Nova em partida válida pela 12ª rodada da Série B. O jogo é neste sábado (19), às 16h20, no Estádio Serra Dourada. Para comissão técnica e jogadores, enfrentar o lanterna da competição está longe de ser um desafio simples.

Para começar, o técnico Sérgio Guedes não conta com o capitão Carlos Alberto, suspenso por ter levado o terceiro cartão amarelo. Quem deve entrar na vaga deixada no meio-campo é Wescley, mantendo a estrutura tática da equipe. Essa deve ser a única alteração no elenco em comparação ao time que entrou em campo contra o Vasco.

Outro problema é justamente a posição do adversário na tabela. Para os tricolores, o Vila Nova não tem mais nada a perder e deve adotar uma postura mais ofensiva em campo. De acordo com o técnico Sérgio Guedes, a crise que o Clube enfrenta não deve influenciar tanto na partida. “O Vila Nova é um time de tradição, não podemos desconsiderar os riscos, principalmente porque não tivemos um resultado positivo no jogo anterior”, afirmou.

Vila – Dentro e fora dos campos, o Tigre não vive boa fase. Ocupa a 20ª com apenas dois pontos somados. Sete a menos que o Paraná, penúltimo colocado da competição. Na última rodada, perdeu por 2×0, em casa, para o Boa Esporte. Nesta semana, dois atacantes deixaram o Clube – Bruno Veiga, por estar insatisfeito com a equipe e Thiago Silvy por problemas pessoais. O goleiro titular Toni entrou com uma ação na justiça contra o Vila por falta de pagamento do FGTS e foi afastado do time titular.

Ficha Técnica: Vila Nova x Santa Cruz

Vila Nova: Cléber; Léo Rodrigues, João Paulo, Gabriel e Christiano; Jeferson, Radamés, Arthur e Paulinho; Dimba e Evandro. Técnico: Márcio Goiano

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Nininho, Everton Sena, Renan Fonseca e Renatinho; Sandro Manoel, Memo, Danilo Pires e Wescley; Pingo e Léo Gamalho. Técnico: Sérgio Guedes.

Série B (12ª rodada). Estádio Serra Dourada, Goiânia (GO). Sábado (19), às 16h20. Árbitro: Antonio Neuriclaudio R. Costa (Acre). Assistentes: Rener Santos de Carvalho e Jean Carlos Rodrigues da Silva (ambos do Acre).

Com dois gols de Rodrigo Careca, Náutico vence o Vila Nova e segue invicto

João de Andrade Neto – Esportes

Uma vitória para levantar a moral. Após a derrota na final do Campeonato Pernambucano para o Sport, o Náutico deu uma resposta imediata ao seu torcedor ao vencer o Vila Nova por 2 a 0 neste sábado, na Arena Pernambuco, pela 2ª rodada da Série B. A partida também serviu para que o técnico Lisca testasse o atacante Rodrigo Careca na equipe, na busca para resolver um dos principais problemas da equipe: a fragildade do setor ofensivo da equipe. E pelo menos, na primeira partida, Careca passou no teste ao ser o autor dos dois gols do triunfo timbu.


O Náutico começou o jogo carregando a “ressaca” pela perda do título estadual. Tendo apenas Careca como mudança com relação à equipe que entrou em campo para a final contra o Sport, a equipe alvirrubra demorou para se achar na partida. Do outro lado, o Vila Nova, rebaixado no Campeonato Goiano, também tropeçava nas próprias limitações técnicas, o que tornou os primeiros 15 minutos modorrentos para o torcedor.

No entanto, bastou um lance para que os jogadores dos dois times despertassem em campo (e alguns torcedores na arquibancada). Aos 15 minutos, Careca levantou na área para Elicarlos desviar de cabeça. A bola caprichosamente bateu na trave direita do goleiro Cléber. Porém, apesar do maior interesse pelo jogo, os erros continuavam. Dos dois lados.

No entanto, outro lance deixou claro que, apesar dos pesares, se algum time merecia abrir o placar na partida esse era o Náutico. Após chutão para frente, Marinho avançou, invadiu a área e mandou uma bomba, que mais uma vez explodiu na trave do time goiano.

O prêmio pelo maior ímpeto alvirrubro veio logo em seguida. E em uma jogada bem trabalhada. O lateral-esquerdo Rai lançou na área para Elicarlos. O volante ajeitou para Careca tocar, de cabeça, para o fundo das redes, fazendo o Náutico descer para os vestiários, merecidamente, a frente do marcador.

No retorno para o segundo tempo, o técnico Lisca sacou o meia Zé Mário para colocar o atacante Paulo Júnior e, em tese, deixar o Náutico ainda mais ofensivo. E logo aos quatro minutos, Marinho por pouco não amplia ao arriscar de fora da área. Pouco depois foi a vez de Paulo Júnior fazer o mesmo. O Náutico seguia melhor em campo.

Atrás do marcador, o Vila Nova também resolveu arriscar com a entrada também de dois jogadores ofensivos. Com isso, apesar dos repetidos erros de passe, o jogo ficou mais aberto, mas com a equipe goiana passando a ter mais volume de jogo. Sentindo isso, o técnico Lisca optou por dar gás novo ao Náutico, colocando em campo Leléu e Vinícius nas vagas de Marinho e Elicarlos, respectivamente.

E no minuto seguinte, a mudança já surtiu efeito, com Vinícius lançando para Careca chutar sem defesa para o goleiro Cléber, assegurando a vitória alvirrubra.

Ficha do jogo
Náutico
: Alessandro. Jackson ,Leonardo, Flávio e Raí, Dê, Elicarlos (Vinícius), Yuri e Zé Mário (Paulo Júnior); Marinho (Leléu) e Careca. Técnico: Lisca.

Vila Nova: Cleber; Ângelo (Gustavo), Gabriel , Álvaro e Christiano; Gilmak, Radamés (Nené Bonilha), Léo Rodrigues e Almir; Rafael Oliveira (Thiago Furlan) e Marcelo Toscano. Técnico: Sidney Moraes.

Local: Arena Pernambuco.

Árbitro: Avelar Rodrigo da Silva (CE).

Assistentes: Aílton Farias da Silva e Daniel Vidal Pimentel (ambos de SE). Gol: Careca (34 do 1º e aos 30 do 2º).

Cartões amarelos: Ângelo, Radamés (V), Vinícius (N).

Público: 3.075.

Renda: R$ 118.550

Tabela Campeonato Brasileiro Série B 2015

Série B do Campeonato Brasileiro de Futebol de 2015 será uma competição de futebol realizada no Brasil, equivalente à segunda divisão. Será disputada por 20 clubes, dos quais os quatro primeiros colocados terão acesso à Série A de 2016 e os quatro últimos serão rebaixados à Série C de 2016.

Pelo nono ano consecutivo, a Série B será disputada por 20 clubes no sistema de ida e volta por pontos corridos. Em cada turno, os times jogam entre si uma única vez. Os jogos do primeiro turno serão realizados na mesma ordem no segundo turno, apenas com o mando de campo invertido. Não há campeões por turnos, sendo declarado campeão o time que obtiver o maior número de pontos após as 38 rodadas. Ao final, os quatro primeiros times ascenderão para a Série A de 2015, da mesma forma que os quatro últimos cairão para a Série C do ano seguinte.

Critérios de desempate

Em caso de empate por pontos entre dois clubes, os critérios de desempate foram aplicados na seguinte ordem:

  1. Número de vitórias
  2. Saldo de gols
  3. Gols marcados
  4. Confronto direto
  5. Número de cartões vermelhos
  6. Número de cartões amarelos
  7. Sorteio

 Tabela Série B 2015