Vitoria da Conquista 0x0 Náutico

Em dois tempos distintos, Náutico fica no 0x0 com o Vitória da Conquista

Autor: Wladmir Paulino

Num jogo de dois tempos distintos, o Náutico ficou no 0x0 com o Vitória da Conquista no Lomanto Júnior, na noite desta quinta-feira (17). O jogo valeu pela primeira fase da Copa do Brasil e a partida de volta será no dia 7 de abril, aniversário de 115 anos do Timbu. Como a igualdade foi sem gols, o time pernambucano é obrigado a vencer para avançar na competição nacional. Empate com gols e, claro, vitória, classificam os baianos. Se o 0x0 se repetir, a decisão vai para os pênaltis.

» Técnico diz que expulsões atrapalharam estratégia

O Vitória da Conquista tentou a estratégia do time que joga em casa numa competição mata-mata: tentou adiantar as linhas para manter o Náutico entrincheirado em seu campo defensivo. Mas o Náutico teve velocidade suficiente para fugir da marcação e criar suas oportunidades. Aliás, foi o time visitante a ter mais volume de jogo e dominar a bola. Faltou apenas um problema que já está se tornando crônico no timbu: finalização.

O primeiro a chegar perto foi Renan Oliveira, aos 14 minutos. Ele chutou raspando a trave. Três minutos depois foi a vez de Walber obrigar o goleiro Carlos a fazer grande defesa. Rodrigo Souza, aos 27 também fez o camisa 1 adversário trabalhar. Notem que nenhuma dessas jogadas foi finalizada por um jogador do ataque. A liberdade maior dada pelos baianos era no meio de campo. Só nos dez minutos finais é que os anfitriões encaixaram melhor a marcação e deixaram o jogo mais preso.

O panorama foi bem diferente no começo do segundo tempo. O Vitória da Conquista conseguiu encaixar a marcação e desta vez manteve a bola no campo ofensivo. Sem econtrar uma brecha para sair, o Náutico limitava-se a espanar as bolas. Mas, assim como os alvirrubros, os baianos também tinham dificuldade para finalizar.

O Náutico só veio levar perigo efetivamente aos 18 minutos com um chute de Rony. Thiago Santana foi para o rebote e terminou atingido por Sílvio. O árbitro não interpretou como intencional e mandou a partida seguir. Nem assim os visitantes acordaram para evitar a pressão do adversário. Numa bola parada aos 34, Júlio César fez grande defesa numa cabeçada de Tatu. O Vitória manteve o volume de jogo até o fim mas sem deixar seus atacantes em condição de finalizar.

CARCARÁ
Em Araraquara o Salgueiro conseguiu igualar o jogo no primeiro tempo com a Ferroviária. Poderia ter saído com a vitória parcial mas falhou nos momentos cruciais. Na segunda etapa errou muito a saída de bola e favoreceu a pressão do adversário, que marcou o gol da vitória aos 34 do segundo tempo. A partida de volta está marcada para o dia 6 de abril, no Cornélio de Barros.

Ficha do jogo:

Vitória da Conquista: Carlos; Artur, Leandro Cardoso, Silvio e Edimar; Thiaguinho, Maicon Costa, Diego Aragão e Kleber (Todinho); Rafael da Granja e Tatu. Técnico: Sérgio Araújo.

Náutico: Júlio César; Walber, Rafael Pereira, Ronaldo Alves e Gastón; Niel (Eduardinho), Rodrigo Souza, Caíque, Renan Oliveira e Rony; Thiago Santana (Jefferson Nen). Técnico: Gilmar Dal Pozzo.

Local: Estádio Lomanto Júnior. Árbitro: Claudionor dos Santos Junior (SE). Assistentes: Rodrigo Guimarães Pereira e Daniel Vidal Pimentel (ambos de SE). Cartões amarelos: Rafael da Granja, Tatu, Ronaldo Alves, Walber e Rodrigo Souza. Público: 3.652. Renda: R$ 74.850.