Vivendo momentos diferentes, Santa Cruz e Náutico começam briga pela vaga na final

Por Rômulo Alcoforado e Thiago Wagner

O torcedor lembra a última vez que Santa Cruz e Náutico fizeram um clássico que valia algo mais – seja título ou vaga na final de algum campeonato – do que a simples vitória contra o eterno rival? Para que os que não recordam, a última grande decisão das duas equipes ocorreu em 2010, pela semifinal estadual. Na época o Timbu levou a melhor e foi para a final contra o Sport. Quase três anos depois, os dois clubes voltam a se encontrar em um mata-mata para escreverem juntos mais um capítulo da rivalidade. O primeiro ato desta nova história começa neste domingo, no Arruda, às 16h, onde o Tricolor e o Alvirrubro se enfrentam pelo primeiro jogo da semifinal do Pernambucano Coca-Cola.

Santa Cruz sem mistério para o clássico

Mais uma vez, Martelotte divulgou a equipe com antecedência. Nada de mistério. São duas as novidades do time que provavelmente começa jogando. Uma delas é a entrada do lateral-direito Nininho. Ele assume a vaga de Éverton Sena, deslocado para a esquerda para suprir a ausência de Tiago Costa, suspenso.


Será que Natan vai marcar mais um vez contra o Náutico? Foto: Rodrigo Lôbo/JC Imagem

A outra opção de Martelotte é a manutenção de Jefferson Maranhão no time titular. O jogador poderia ficar de fora porque Natan e Renatinho estão recuperados das lesões que os tiraram de ação por cerca de 15 dias. O técnico coral, contudo, achou arriscado escalar os dois juntos. Só Natan será titular. Renatinho fica como opção, exatamente para a continuidade de Maranhão.

Os dois (Natan e Maranhão) comporão o trio de meias da equipe. O esquema é igual ao utilizado pelo Santa Cruz quando derrotou o Náutico nos Aflitos. Dênis Marques, que também ficou fora de treinos nesta semana, está confirmado como único atacante do time. A dupla de zaga segue formada com Renan Fonseca e William Alves. Já a de volantes, composta por Anderson Pedra e Luciano Sorriso.


Santa Cruz está confirmado para o jogo

Marcelo Martelotte disse que não acredita em vantagem para o adversário por dizer o time que entrará dias antes do jogo.  “Não acho que a escalação por si só seja uma vantagem para o adversário. Contra o Sport, eu não divulguei porque ainda estava esperando algumas definições do departamento médico. Desta vez, não”, explicou.

Embora o time viva um bom momento, os jogadores não querem assumir a condição de favorito para o duelo. “Não acredito nisso, não. A gente é muito cauteloso e procuramos não nos sentir favoritos. Até porque esse jogo vai ser diferente do que nós vencemos. Se o professor usar o mesmo esquema, o Náutico vai estar mais ligado no nosso posicionamento”, disse o meia Natan.

Com Silas, Náutico espera espantar a desconfiança

Ao contrário de 2010, o Náutico não é favorito no confronto deste ano. Sem vencer nos Aflitos há mais de 30 dias e zerado de vitórias em clássicos neste Estadual, o Timbu vive um clima de desconfiança por parte de torcedores e imprensa. Tanto que o técnico anterior, Vágner Mancini, foi demitido e deu lugar a Silas, que faz a sua estreia no Pernambucano com a missão de recuperar o ânimo alvirrubro.


Como Silas vai armar o Timbu? Foto: Rodrigo Lôbo/JC Imagem

O novo comandante não deu pistas sobre o time titular do Timbu. O que sabe-se é que é que ele não poderá contar com quatro jogadores: os zagueiros Alcides e Jean Rolt, o lateral-esquerdo Bruno Collaço e o volante Marcos Paulo. Todos estão lesionados e vetados pelo departamento médico do clube.

Apesar dos problemas médicos, um reforço pode vir justamente do DM alvirrubro. O volante Elicarlos, considerado peça vital na marcação do time, vive a expectatvia de jogar. O jogador está sendo avaliado constamente pelos médicos do Timbu e pode pintar como novidade na escalação. Se ele não jogar, Auremir, que atuou praticamente toda a temporada improvisado na lateral-direita, deve assumir a posição.


Provável time do Náutico

Partindo para o lado técnico, Silas pode alterar o meio de campo. O treinador pode sacar Giovanni Augusto e colocar Vinícius Pacheco na equipe de três volantes. Outra opção é sacar um meia e acionar mais um atacante. João Paulo seria o escolhido. A primeira hipotese, contudo, é mais provável de ocorrer.

“O Santa Cruz é um time grande. A gente está assistindo aos jogos deles para saber o que eles podem trazer de surpresa. É jogo de rivalidade emoção”, avaliou Silas.

FICHA DA PARTIDA – SANTA CRUZ x NÁUTICO

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Nininho, William Alves, Renan Fonseca e Éverton Sena; Anderson Pedra, Luciano Sorriso, Raul, Natan e Jefferson Maranhão; Dênis Marques. Técnico: Marcelo Martelotte.

Náutico: Felipe; Maranhão, Alison, Luís Eduardo e Douglas Santos; Elicarlos (Auremir), Martinez, Rodrigo Souto e Giovanni (Vinícius Pacheco); Rogério e Elton. Técnico: Silas.

Pernambucano Coca-Cola. Local: Arruda. Horário: 16h. Árbitro: Gleydson Leite Auxiliares: Ricardo Chianca e Jean Marcel. Ingressos: arquibancada inferior: R$ 30; arquibancada superior, estudante, sócio, camarote (sóciO) e cadeira (propietário-sócio): R$ 20; cadeira (aluguel): R$ 60. camarote e cadeira (proprietário): R$ 40.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.